ColunistaFórmula 1Post

Reportagem: Alfa Romeo decidirá o futuro de Giovinazzi na próxima semana

Giovinazzi pode deixar a Alfa Romeo ao final da temporada 2021. Após o erro no GP do México, levantaram até a possibilidade da equipe estar prejudicando as corridas do italiano

A Alfa Romeo anunciará o piloto que será companheiro de Valtteri Bottas após o GP do Brasil, Frederic Vasseur, chefe de equipe da Alfa Romeo confirmou em uma entrevista ao Canal + na Twitch que o anúncio ocorrerá no dia 16 de novembro.

A equipe de Hinwil será a última a confirmar a sua dupla para a temporada 2022. Várias especulações ocorreram nos últimos meses, principalmente após a Sauber ter a autonomia para escolher os seus dois pilotos, sem ter um assento dentro do time destinado a um piloto da Ferrari.

LEIA MAIS: Alfa Romeo terá autonomia para escolher os pilotos a partir de 2022

Depois desta mudança, vários nomes começaram a ventilar, Vasseur tinha afirmado que estava de olho nos pilotos da Academia da Ferrari, mas também em outros que estão disputando a Fórmula 2 neste ano. Mas a busca por outro piloto, fez o chefe de equipe verificar pilotos que estão em outras categorias.

Neste momento era praticamente certo que Giovinazzi não teria o seu contrato renovado, ainda mais se o time tivesse a oportunidade de ter um piloto na equipe que desse um aporte financeiro. Guanyu Zhou e Oscar Piastri são os favoritos para ocupar o assento do italiano na próxima temporada. O nome de Nyck de Vries também aparece como uma aposta para a vaga.

Zhou está em seu terceiro ano na Fórmula 2. O chinês tem apoio de investidores e patrocinadores que ajudariam ele na conquista da vaga. Após a confirmação da renovação do contrato com o circuito da China, o nome de Zhou voltou a ser um dos mais fortes para ocupar o assento de Giovinazzi em 2022 – Foto: reprodução
LEIA MAIS: China tem contrato estendido e permanece no calendário da F1 até 2025

A revista ainda aponta, que Zhou seria mais atrativo que os outros, dada a quantidade de dinheiro e apoio de patrocinadores que o piloto chinês tem. Entretanto, nesta história é necessário lembrar que Zhou tinha o desejo de ter um contrato mais longo com a Alfa Romeo, mas a equipe ainda está de olho no desempenho de Théo Pourchaire, piloto que pode correr pelo time nas próximas temporadas, mas hoje corre na Fórmula 2 e faz parte da Academia da Sauber.

Tanto Zhou quanto Piastri são pilotos da Academia de Pilotos da Alpine. De Vries é o atual campeão da Fórmula E e reserva da Mercedes na Fórmula 1, mas a história do holandês na Alfa Romeo estava acompanhada de muitas firulas – como a possível substituição da unidade de potência da Ferrari (usada atualmente), para a utilização dos motores da Mercedes (algo que não seria permitido agora, por conta da quantidade de equipes que já usam este motor).

Segundo a revista italiana Autosprint estas serão as últimas quatro corridas de Giovinazzi na Fórmula 1. O piloto italiano disputa a sua terceira temporada na Fórmula 1, com 27 anos. Em 2017 ele substituiu Pascal Wehrlein nas duas provas que marcaram o início do campeonato.

Após ser vice de Pierre Gasly na GP2 em 2016, Giovinazzi ficou aguardando a oportunidade de correr na Fórmula 1 – Foto: reprodução

Para a temporada de 2019 Giovinazzi foi contratado pela Alfa Romeo, pelos laços estreitos com a Ferrari. O time italiano também havia confirmado ao final de 2018 que Charles Leclerc seria promovido para a equipe, substituindo Kimi Raikkonen.

A temporada de 2022 marca uma nova era na Fórmula 1, enquanto alguns times apostaram em manter os pilotos que já conhecem a casa por mais uma temporada, a Alfa Romeo foi mais radical. Kimi Raikkonen confirmou a aposentaria em setembro, informando que deixaria a categoria ao final de 2021. Valtteri Bottas foi escolhido pela Alfa Romeo para ocupar um dos assentos. Vasseur teve a influência na contratação do outro finlandês, pois trabalhou com Bottas na ART Grand Prix, durante a GP3.

Com a saída de Giovinazzi, a Fórmula 1 ficará mais uma vez sem um piloto italiano no grid.

Toda está movimentação ocorre depois de mais um GP desastroso de Giovinazzi, onde a Alfa Romeo tinha a possibilidade de deixar a etapa do México pontuando com os dois carros. A equipe tem a má fama de errar a estratégia, perdendo pontos preciosos ao longo do campeonato, mas nesta prova a equipe fez novamente uma péssima escolha, antecipando a parada de Antonio e devolvendo o italiano no meio do tráfego.

LEIA MAIS: Raio-X do GP do México: Red Bull reafirma bom desempenho

Depois do encerramento da prova, onde Giovinazzi foi irônico com o seu time pelo rádio, a Sky Sports conversou com o piloto e até levantaram a hipótese de a equipe estar sabotando a sua corrida. O piloto não confirmou nada, mas também deixou a hipótese no ar.

Antonio Giovinazzi foi prejudicado no GP do México pela estratégia adotada pela equipe – Foto: reprodução Alfa Romeo

Xevi Pujolar, chefe de engenharia de pista da Alfa Romeo explicou que a estratégia adotada por Giovinazzi, foi por eles terem notado que o piloto estava sofrendo com o desgaste dos pneus traseiros.

“Para nós não havia incentivo para parar mais cedo se não fosse necessário, mas então em um ponto Antonio começou a lutar com os pneus traseiros e estávamos olhando para o tráfego atrás, Kimi ainda estava com bom ritmo e tínhamos o grupo formado por Ricciardo e Bottas que chegaram cedo. Sabíamos que eles estavam controlando um pouco os pneus, então a última coisa que queríamos era que ficassem presos atrás de Antonio”, informou Pujolar.

Eles não julgaram que o ritmo de Bottas e Ricciardo seria aquele, além da disputa entre eles perdurar por mais algumas voltas. Não conseguiram devolver Antonio à frente desta disputa, portanto o italiano perdeu tempo e ritmo atrás deles.

Giovinazzi parou muito cedo – na volta 16 – completando a corrida fazendo apenas uma parada nos boxes, recebendo a bandeirada com os pneus duros. Depois do GP da Turquia e Estados Unidos, temos mais uma prova que Giovinazzi conquista o P11, ficando fora da zona de pontuação.

Atualmente a Alfa Romeo ocupa a nona posição do Campeonato de Construtores, somando 11 pontos. Giovinazzi melhorou nas classificações e até superou Raikkonen em alguns resultados de corrida, mas sempre que está próximo de pontuar, algo ocorre, prejudicando o seu resultado. O piloto costuma ser lembrado por boas largadas, semelhante a que realizou no México.

Escute o nosso Podcast 

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados