ColunistaFórmula 1Post

Raio-X GP dos EUA: Uma nova etapa do campeonato, outra vitória da Red Bull

Mesmo em um circuito onde achávamos que daria Mercedes, a Red Bull fez uma boa estratégia, trabalhou bem e venceu

O GP dos Estados Unidos contou com uma vitória da Red Bull, o time austríaco não vencia por lá desde 2013. Desta vez a Red Bull foi preparada, munidos de uma boa estratégia e performance, venceram com Max Verstappen, mas também conquistaram um terceiro lugar com Sergio Pérez.

Teoricamente, dado o histórico da Mercedes em pista, esperávamos que o time alemão vencesse no Circuito das Américas, no entanto, nos deparamos com um pouco mais de dificuldade deles para conseguir o resultado esperado. Portanto Verstappen encerrou a etapa ainda na liderança do campeonato e ampliando a diferença para o rival em 12 pontos.

Ao longo do fim de semana, os times reclamaram dos bumps na pista, questões que não foram resolvidas mesmo após a reforma que o COTA passou. A pista foi 40% recapeada, mas a degradação dos pneus se mostrou muito alta, principalmente quando as características do circuito, estavam atreladas as altas temperaturas.

Pierre Gasly encerrou a sua prova mais cedo, com danos na suspensão.

Confira o Raio-X da etapa, performance e o dilema de cada time, seguindo a tabela atual dos Construtores.

Mercedes

460,5 pontos

Na largada do GP dos Estados Unidos, Hamilton teve uma grande largada e superou Verstappen – Foto: reprodução

Durante o TL1 a Mercedes imprimiu um ritmo muito forte e dominou a Red Bull, com o desempenho apresentado parecia que o time alemão teria um resultado completamente diferente do conquistado no sábado e domingo. Ao final das atividades de sexta, a Mercedes havia testado configurações diferentes no carro, no TL1 os pilotos estavam bem confortáveis, mas no TL2 algo fugiu do controle.

Depois disso, na sexta mesmo, eles deixaram de mostrar aquele desempenho empolgante. Lewis Hamilton perdeu algumas voltas no TL3 deletadas por extravasar os limites de pista. E classificação, ele até brigou para encaixar uma volta melhor e obter a pole, mas novamente foi surpreendido por Max Verstappen e a Red Bull.

Um fato é, a Mercedes tem dado tudo, entretanto, as questões com o motor têm tirado um pouco do sono da equipe. Valtteri Bottas passou por uma nova troca do motor de combustão interna, rendendo a perda de cinco posições no grid de largada do domingo. Além disso, a Mercedes ainda não sabe muito bem o que está gerando os problemas, mas a confiabilidade da unidade de potência tem se tornando um ponto fraco da equipe. Hamilton pode necessitar de uma nova troca até o final do ano.

LEIA MAIS: Bottas, Russell e Vettel passam pela troca de elementos do motor para o GP dos EUA

Quando a corrida, tivemos mais uma vez a briga estratégica entre Red Bull e Mercedes. O time alemão levou um pouco mais de tempo para chamar Hamilton aos boxes nas duas paradas que realizaram. O uso dos pneus médios no começo da corrida, permitiu há Hamilton assumir a liderança da prova, mas não conseguiu estabelecer uma distância segura para fazer a sua parada e retornar à frente de Verstappen, ou mais próximo.

Além disso, a Mercedes também lidou com problemas na traseira, derrapagens que podem ter interferido no desempenho dos seus pneus. De qualquer forma vimos uma disputa bem interessante entre Hamilton e Verstappen, o inglês se aproximou do holandês nas voltas finais, onde ele atacou o adversário, lutando bravamente pela vitória. O primeiro lugar não foi obtido, mas Hamilton ficou com o ponto da volta mais rápida.

Quando ao desempenho de Valtteri Bottas, tanto a sua classificação quanto a corrida foram bem apagadas. O finlandês teve que fazer uma corrida de recuperação, largando do nono lugar, mas a sua frente teve que lidar com a disputa travada entre a dupla da Ferrari e Mercedes. Bottas terminou a corrida na sexta posição, depois de ultrapassar Sainz, na última volta da corrida.

Red Bull

437,5

Max Verstappen teve controle na volta final para vencer a corrida. Hamilton pressionou o holandês nos metros finais da corrida – Foto: reprodução

A Red Bull conseguiu encaixar bom tempos na classificação, onde Sergio Pérez tinha a pole provisória, mas Max Verstappen fez uma volta mais rápida ainda e ficou com a ponta. Depois do TL1, todas as sessões foram dominadas por eles, apesar de em vários momentos a equipe atribuir o resultado positivo a coisas que ainda precisavam de ajustes. Max Verstappen principalmente teve várias voltas deletadas por extravasar os limites de pista.

Sergio Pérez de certa forma chamou mais atenção que Max Verstappen, conseguiu acompanhar o ritmo do companheiro de equipe durante a classificação, desta forma a Red Bull já teve vantagem quando estabeleceram o P1 e o P3, em um fim de semana que Valtteri Bottas tinha que lidar com mais uma punição.

O mexicano teve uma das corridas mais difíceis, pois ficou sem a sua bebida desde a primeira volta da corrida. Pérez achou que não conseguiria terminar a corrida, mas cruzou a linha de chegada na terceira posição e ajudou o time.

Sobre desempenho de Max, depois de lidar com voltas deletadas, ele fez uma classificação precisa. Perdeu a ponta na largada para Hamilton, mas se beneficiou de um ritmo forte e da estratégia adotada pela equipe para vencer a prova. O holandês informou que o final da corrida foi complicado, especialmente as últimas duas voltas, onde ele não tinha mais aderência, mas a oportunidade de abrir o DRS no giro final, por estar atrás da Haas de Mick Schumacher, garantiu a sua vitória.

McLaren

254 pontos

A McLaren começou o fim de semana com uma performance apagada, mas foi ganhando terreno e na hora da decisão, entregou um bom desempenho. Na classificação, tivemos mais uma vez um embate entre Ferrari e McLaren, onde o time italiano superou a dupla Papaya.

Na corrida, a McLaren sabia das dificuldades que enfrentaria, dado o ritmo apresentado pela Ferrari, mas na largada Daniel Ricciardo e Lando Norris atacaram Carlos Sainz, o espanhol tentou resistir, mas conforme a corrida foi avançando, ele foi superado. Ricciardo que se sente bem nessa pista e gosta deste circuito, tentou tirar proveito da situação para obter um bom resultado.

Para a McLaren, Ricciardo ter superado Sainz foi um ponto muito bom, além disso, para benefício da equipe, o espanhol também foi ultrapassado por Bottas ao final da corrida. Com o P4 obtido por Leclerc e Sainz nos pontos, a distância entre as duas equipes é de apenas 3,5 pontos, mas a McLaren segue na frente.

Norris não conseguiu se dar bem no circuito, as rajadas de vento atrapalharam o seu trabalho, assim como as altas temperaturas e a dificuldade para gerir os pneus. O inglês terminou uma posição atrás de Sainz.

Neste retorno para a fábrica, a McLaren terá que analisar os seus dados e compreender o que aconteceu, para se preparar para os próximos desafios, na tentativa de defender a terceira posição do Campeonato de Construtores.

Ferrari

250,5 pontos

Charles Leclerc conquistou mais um quarto lugar. O resultado da Ferrari no circuito fez a equipe diminuir ainda mais a distância para a McLaren – Foto: reprodução

Desde as últimas atualizações do motor, a Ferrari tem desempenhado um bom trabalho. No COTA a equipe conseguiu demonstrar confiança desde o começo das atividades, se tornando uma forte adversária para a McLaren. As aparições nos treinos livres, confirmaram o bom resultado na classificação, onde Charles Leclerc foi P5 e Carlos Sainz o P6.

A Ferrari não acreditava que o seu pacote aerodinâmico teria especificações para o circuito, ou que fornecesse grandes chances para duelar com os rivais.

Leclerc que herdou o P4 pela punição de Valtteri Bottas, conseguiu largar e ficar com a posição até o final. No entanto, o monegasco sofreu com a parte traseira do carro em decorrência das altas temperaturas.

Sainz teve uma visão diferente da corrida, perder a posição para Ricciardo, mas também para Bottas, fez com que o seu resultado fosse frustrante. O pit-stop lento também prejudicou os seus ataques no decorrer da prova. Largar com os pneus macios forneceu a aderência no começo, mas não ajudou nos giros subsequentes.

O resultado ajudou a Ferrari a tirar mais pontos desta disputa com a McLaren, pois foram superiores aos dois pilotos do time rival. Agora os italianos estão definitivamente focados para conseguir a terceira posição do Campeonato de Construtores.

Alpine

104 pontos

A Alpine não completou a corrida com os dois carros – Foto: reprodução Alpine

O fim de semana da Alpine se resume em uma palavra: frustrante!

Desde o começo das atividades Fernando Alonso demonstrou que o carro da equipe estava sofrendo, o piloto até completou algumas voltas na sexta-feira, mas na sua primeira saída dos boxes, foi alertado para parar imediatamente o carro. Naquele momento a Alpine passou a verificar os problemas do carro, tiveram que fazer uma troca completa do motor, fazendo assim, o espanhol largar do final do pelotão.

Esteban Ocon também não encontrava ritmo ao longo do fim de semana, necessitou até mesmo de ajuda do companheiro de equipe para usar o vácuo e buscar o Q3 – mas eles falharam, pois os dois carros da Alpine avançaram.

Na corrida Alonso ainda protagonizou uma disputa com a dupla da Alfa Romeo, ele até se tocou com Kimi Raikkonen e ficou com o assoalho do carro danificado. Ele também batalhou com Antonio Giovinazzi, superou o italiano, mas ao final da corrida, na volta 52, precisou abandonar. A Alpine identificou um problema na asa traseira, portando Alonso foi forçado a parar.

Ocon teve uma corrida dura, no início da prova se encontrou com um dos carros da Alfa Romeo e com a asa dianteira danificada, o piloto se dirigiu para os boxes, fazendo uma troca. Ele seguiu na corrida, mas como não tivemos a ação do Safety Car, não pode se aproximar do restante do pelotão. A equipe também suspeitou de danos na traseira do carro do francês e por isso fizeram ele também abandonar a prova.

AlphaTauri

94 pontos

Yuki Tsunoda foi o piloto que pontuou com a AlphaTauri neste fim de semana nos Estados Unidos, representando a equipe após o abandono de Pierre Gasly – Foto: reprodução

A AlphaTauri tinha grandes chances de ter ainda mais pontos, mas foi um pouco complicado no domingo, antes do início da prova, um dos sensores do carro de Pierre Gasly apresentou problemas, a equipe tentou consertar rapidamente, mas o francês permaneceu poucas voltas na pista, depois que enfrentou um problema na suspensão.

No começo das atividades, a AlphaTauri estava um pouco deslocada, longe de andar entre os dez primeiros. Yuki Tsunoda se focou em reconhecer o circuito e se preparar o máximo possível na sexta-feira. Os esforços deram certo, o japonês avançou mais uma vez para o Q3 quando a classificação foi realizada. Na corrida, Yuki teve a oportunidade de representar o time nos pontos, depois que Gasly abandonou a corrida. O piloto ainda se defendeu dos ataques de Bottas e ultrapassou o próprio companheiro de equipe.

O francês desfrutou de um início de temporada melhor, mas com o retorno das férias, a AlphaTauri foi encontrando mais dificuldade para derrotar a Alpine. De qualquer forma, ainda apresentam um ritmo forte em algumas pistas, só precisam encontrar uma forma de obter mais pontos. Agora apenas dez pontos separam a Alpine da AlphaTauri no Campeonato de Construtores.

Aston Martin

62 pontos

Sebastian Vettel se aproveitou do erro de Kimi Raikkonen para terminar no Top-10 – Foto: reprodução

A Aston Martin está correndo um pouco mais por fora nesta luta pela 5ª posição do campeonato, a dupla tomou uma certa distância dos rivais. Passaram pelos mesmos dramas da AlphaTauri, com a dificuldade de terminar nos pontos, além de perder um pódio que teria ajudado eles nesta briga.

Sebastian Vettel também passou por uma troca de elementos do motor que forçaram o piloto a largar do final do pelotão. Portanto na sexta-feira ele fez um programa diferente, a sua preparação estava voltada para realizar uma corrida de recuperação. Na classificação Vettel avançou para o Q2, tentando obter uma posição melhor do que a de Fernando Alonso e George Russell para a largada no domingo.

Na corrida, a Aston Martin traçou uma estratégia diferenciada, sempre parando após os outros adversários fazerem as suas trocas de pneus. Vettel lidou muito bem com as altas temperaturas na pista, evitando o superaquecimento dos pneus. O alemão terminou a corrida em P10, se aproveitando da rodada de Raikkonen para ultrapassar o finlandês.

LEIA MAIS: Red Bull lida com degradação dos pneus e boa estratégia para vencer o GP dos EUA

Stroll poderia ter um resultado melhor, mas bateu ainda no começo da corrida com Nicholas Latifi, algo que provocou um dano significativo na sua asa dianteira. Ele tentou lutar por pontos, mas fechou a corrida em P12. A bandeira amarela provocada por Antonio Giovinazzi no final do Q1, fez o canadense reduzir a velocidade e perder a oportunidade de encaixar um tempo melhor.

Stroll agora parte para o México tentando ajudar a equipe assim como Vettel na conquista por pontos e uma recuperação da equipe nesta reta final.

Williams

23 pontos

George Russell foi penalizado pela troca do motor, portanto foi um pouco mais complicado escalar o grid e obter um resultado melhor nos Estados Unidos

A Williams não conseguiu entregar aquele desempenho surpreendente do início da temporada. No sábado eles sofreram com as rápidas rajadas de vento, que desestabilizaram o carro. George Russell levou o carro para o Q2, brigando por uma posição melhor com os pilotos que também teriam que lidar com penalidades pelas trocas de motor. O inglês teve a sua única volta do Q2 deletada por ter extravasado os limites de pista, desta forma começou a corrida do P20.

Russell se divertiu com as disputas, tentou um resultado melhor, entretanto, buscar uma melhor posição começando do final do grid é mais complicado para a equipe. O virtual Safety Car que foi ativo rapidamente esfriou os pneus da equipe, fazendo a dupla perder desempenho.

Latifi também teve as mesmas questões com as rajadas de vento, o piloto ainda se envolveu em um incidente no início da prova com Stroll, necessitando antecipar a parada. O canadense terminou a corrida em P15, uma posição atrás do companheiro de equipe.

Alfa Romeo

7 pontos

A dupla da Alfa Romeo duelou com Fernando Alonso ao longo da corrida, fazendo a disputa ser dura – Foto: reprodução Alfa Romeo

A dupla da Alfa Romeo passou o final de semana pintando no Top-10, algo que animava muito, principalmente com a Ferrari mostrando um bom desempenho no circuito. Entretanto, quando a classificação teve início, Raikkonen não avançou para o Q2 e Giovinazzi ficou preso no Q3, o italiano ainda rodou na sua última volta rápida.

No domingo a dupla certamente se divertiu, principalmente na batalha particular protagonizada com Fernando Alonso, mas eles fecharam mais uma vez sem pontos. A equipe apresentou um bom desempenho no início da corrida, tentaram valer as posições ganhas com as punições dos adversários, mas também tiveram uma largada muito boa.

Raikkonen se sustentou no P10 por parte da prova, mas rodou nas últimas voltas, sendo ultrapassado por Sebastian Vettel, o finlandês ficou apenas com o p13.

A equipe busca mais uma vez pontos, nem que seja no P10.

Haas

0 pontos

Mick Schumacher contribuiu para a vitória de Max Verstappen – Foto: reprodução Haas

A Haas é a equipe conhecida por tomar conta do final do pelotão. A dupla herdou algumas posições com as punições dos pilotos pela troca dos motores, mas também se beneficiaram de alguns abandonos que ocorreram na corrida.

Mick Schumacher foi o piloto que salvou a corrida de Verstappen, pois o holandês teve a chance de ativar o DRS quando a prova estava chegando próximo do final e ele tentava se defender dos ataques de Hamilton. Restou para a dupla fazer uma corrida divertida e tentar se safar de problemas na pista.

Mazepin teve um problema com o encosto da cabeça, o russo precisou fazer uma parada depois do início da corrida, desta forma ficou ainda mais distante do restante do pelotão, além de ficar a uma distância considerável do companheiro de equipe.

Escute também o nosso podcast

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados