ColunistaFórmula 1Post

Raio-X do GP da Hungria – Vitória de Esteban Ocon e o caos da prova

Ocon conquistou a sua primeira vitória, mas Vettel espera para confirmar o seu segundo lugar, enquanto Aston Martin entra com recurso

O GP da Hungria fecha a primeira parte do calendário da Fórmula 1, agora as equipes vão entrar de férias, antes do retorno acontecer no GP da Bélgica. No entanto, a corrida deste último domingo adicionou mais um capítulo emocionante para a temporada 2021. Ninguém dava nada por está prova, principalmente por ela ser disputada em um circuito tão travado, mas a bandeira vermelha provocada no início da prova, proporcionou uma dinâmica diferente.

Ainda é difícil dizer se Sebastian Vettel vai permanecer com a segunda posição, pois a equipe não conseguiu entregar o combustível necessário para análise, mas a Aston Martin entrou com um recurso para apelar a decisão da FIA.

Esteban Ocon conquistou a sua primeira vitória na Fórmula 1, depois de se defender bravamanete dos ataques do tetracampeão mundial.

Mercedes

Valtteri Bottas provocou uma batida com Lando Norris no início da prova, a corrida precisou ser paralisada – Foto: reprodução Mercedes

A Mercedes saltou para a primeira posição do campeonato de construtores, retomando a liderança perdida em Mônaco para a Red Bull.

O Hungaroring é um terreno da Mercedes, onde a equipe é conhecida por realizar um trabalho muito forte. Durante os treinos livres eles lideraram duas sessões, deixando a sua marca de força. Na classificação a dupla não deixou espaço para a Red Bull, dominando a ponta com tranquilidade.

O resultado da prova não saiu como o esperado, Valtteri Bottas acabou provocando um acidente no início da corrida, tirando Lando Norris, que bateu em Sergio Pérez, além de instaurar o caos na prova. O finlandês tem alguns problemas em largadas, nesta não foi diferente, ele acabou patinando, perdeu espaço para o piloto da McLaren e não conseguiu frear por calcular mal o ponto de frenagem, acertando a traseira do rival.

Bottas abandonou a corrida e ainda provocou uma bandeira vermelha – aquela que acabou sendo o ponto de virada da corrida, ou o começo de uma nova prova. Está é a terceira vez na temporada onde o piloto da Mercedes abandona uma prova. O finlandês acabou assumindo a culpa do incidente, que também provocou o abandono de Sergio Pérez. Para o GP da Bélgica ele carrega uma punição, com a perda de cinco posições no grid de largada.

Na relargada, Lewis Hamilton largou sozinho, evitando os boxes caótico, quando todos os outros pilotos pararam para instalar imediatamente os pneus slick- Foto: reprodução F1

Lewis Hamilton deu outro show, mesmo em uma pista tão travada. O piloto teve uma boa largada, mas foi o seu reinício na prova que acabou chamando mais a atenção. Hamilton largou sozinho, completou uma volta com os pneus intermediários e aproveitou um pit-lane vazio para realizar a sua troca, mas retornou na última posição.

Depois deste evento o piloto começou uma corrida, pare recuperar as posições e retornar ao pódio, precisando trabalhar com uma estratégia de duas paradas. Ele obteve a terceira posição, mas depois de muito custo, já que a pista é de difícil ultrapassagem e ele se deparou com concorrentes determinados. A ultrapassagem mais complicada ocorreu na disputa com Fernando Alonso.

Hamilton ficou sem tempo para buscar a liderança da corrida, pois só conseguiu concluir a ultrapassagem em Alonso na volta 66. Mas obteve o pódio depois de obter a posição de Carlos Sainz. Agora ele também é o atual líder do campeonato de pilotos.

Red Bull

Red Bull perde a liderança do Campeonato de Construtores e pilotos, enquanto Sergio Pérez não termina nem a primeira volta do GP da Hungria – Foto: reprodução Red Bull

A equipe austríaca também apresentou um desempenho forte durante o fim de semana, dando a entender que eles conseguiriam duelar com a dupla da Mercedes. Durante a classificação a Red Bull ficou com a segunda fila, depois que os rivais dominaram a primeira. Max Verstappen não teve a chance de batalhar pela pole, já que o time acabou optando por deixar os boxes no finalzinho da classificação e a dupla da Mercedes travou a pista, andando lentamente durante a volta de aquecimento dos pneus. O holandês teve que se contentar com a terceira posição, enquanto Sergio Pérez não pode melhorar a sua volta porque ficou sem tempo.

Se não fosse a chuva do início, a Red Bull teria que ter começado a prova com os pneus macios, mas a estratégia foi zerada com a utilização dos pneus intermediários.

Max quase abandonou a corrida, com aquele início caótico, mas realizou a prova com o carro todo danificado. Se Vettel for desclassificado, ele fica com a nona posição, mas atualmente é o décimo colocado. O holandês se arrastou na pista, não tendo chances de disputar o pódio como Lewis Hamilton.

Sergio Pérez não completou se quer uma volta, pois acabou abandonando a prova no início, depois do efeito cascata provocado pelo incidente entre Bottas e Norris.

O GP da Hungria marca a perda da liderança do Campeonato de Construtores e também de Max Verstappen, colocando a Red Bull agora em uma posição que precisa caçar a Mercedes.

Ferrari

Mesmo com apenas Carlos Sainz conquistando pontos, a Ferrari teve um bom desempenho – Foto: reprodução Ferrari

Se a desclassificação de Sebastian Vettel da corrida for confirmada e mantida, a Ferrari acaba de empatar com a McLaren e superar a equipe, pois o segundo lugar conquistado por Carlos Sainz no GP de Mônaco e o segundo lugar de Charles Leclerc em Silverstone tem um peso maior no campeonato.

Mesmo o terceiro lugar no Campeonato de Construtores não sendo o ponto de menor preocupação da Ferrari durante a tempora, o desenrolar acabou ajudando muito o time italiano nesta conquista.

O GP da Hungria foi marcado por altos e baixos para a Ferrari, eles realizaram um bom trabalho nos treinos livres, poderiam ter avançado com os dois carros para o Q3, mas Carlos Sainz bateu durante o Q2, provocando o seu abandono. A equipe realizou a troca de motor, para que o espanhol tivesse a oportunidade de ter um desempenho melhor na corrida.

Sainz teve um papel muito importante durante o fim de semana, não acatando a decisão da equipe de realizar a parada na volta 22. Assim ele permaneceu na pista para aumentar as suas chances de brigar por um pódio. Sainz pode ficar com o terceiro lugar do GP da Hungria, mas receber a bandeirada na quarta posição, já foi um ótimo feito.

Com o abandono de Charles Leclerc, depois de ser acertado por Lance Stroll, o monegasco não teve a chance de ajudar o time, mas era esperado que o piloto somasse mais pontos para a equipe.

McLaren

Valtteri Bottas bateu em Lando Norris e fez o piloto da McLaren abandonar a corrida – Foto: reprodução McLaren

Chegando na Hungria, o circuito seria bem desafiador para a McLaren, principalmente por ser extremamente travado. No entanto, era esperado que eles conseguissem alguns pontos, principalmente Lando Norris, já que o piloto estava em uma ótima sequência, pontuando durante todas as corridas deste ano.

A classificação de Lando não foi incrível, mas o piloto começou pela sexta posição e saltou para o terceiro lugar depois da largada, mas foi acertado por Valtteri Bottas. Norris arrastou o carro até o pit-lane, quando a prova precisou ser interrompida, mas a McLaren acabou abandonando a corrida, por conta dos diversos danos.

Sobrou para Daniel Ricciardo buscar pontos para o time, mas o seu carro também foi afetado pela batida do início da prova. O australiano até figurou na décima posição, mas perdeu terreno caindo para o décimo segundo lugar depois de ser ultrapassado por Verstappen e Raikkonen.

A McLaren terminou a primeira prova do ano zerada, com um fim de semana para esquecer, já que não tinham como melhorar o desempenho de Ricciardo e tinham perdido Norris.

Alpine

Esteban Ocon venceu a primeira corrida na Fórmula 1, enquanto Fernando Alonso cruzou a linha de chegada na quinta posição – Foto: reprodução Alpine

A disputa pela quinta posição do campeonato de pilotos segue acirrada. A Alpine vem melhorando o seu desempenho, conseguindo trabalhar bem com os problemas que o seu carro apresenta.

A equipe estava trabalhando entre as dez primeiras posições durante os treinos livres e também conseguiu levar os dois carros para o Top-10 da classificação. Eles tinham grandes chances de conquistar pontos nesta etapa, mas ninguém poderia imaginar uma vitória do time, ainda mais com Esteban Ocon.

Mas o francês teve sorte, mas também garra para assumir a liderança para prova, depois que o seu reinício se deu. Ocon ainda precisou se defender dos ataques de Sebastian Vettel e quase fingir costume, para poder conquistar a sua primeira vitória na Fórmula 1. Em um início acidentado, é importante dizer que ele saiu ileso, para poder ter chances de brigar pela vitória.

Fernando Alonso também foi fundamental para a vitória do companheiro de equipe, já que ele conseguiu segurar Lewis Hamilton por várias voltas, evitando que o piloto da Mercedes conseguisse escapar os pilotos que estavam no pódio. A disputa entre Alonso e Hamilton foi essencial e muito emocionante, onde o espanhol teve a oportunidade de demonstrar todo o seu domínio do carro.

O espanhol também teve que escapar do início conturbado, tendo uma das melhores onboards de largada do GP. O piloto foi desviando dos acidentes para completar a primeira volta. O bom trabalho de Alonso acabou casando com as estratégias da equipe. Ele terminou a prova na quarta posição, com chances de ficar com o quinto lugar. 

Com o resultado a Alpine que era a sétima colocada no Campeonato de Construtores, salta para a quinta posição, superando AlphaTauri e Aston Martin.

AlphaTauri

Pierre Gasly precisou desviar dos incidentes para dar continuidade a sua prova – Foto: reprodução AlphaTauri

Pierre Gasly e Yuki Tsunoda terminaram a corrida na zona de pontuação, conquistando mais pontos neste GP. Mas aqui é importante lembrar que o japonês não teve um bom início, acarretando vários problemas para a equipe. Tsunoda bateu no TL1, ficou fora do TL2 e não teve uma boa classificação. Em uma prova comum na Hungria, ele talvez não pontuasse.

Só que com a corrida atípica, e os seis carros que abandonaram a equipe teve a chance de encaixar os dois carros na zona de pontuação. Pierre Gasly foi o piloto que conseguiu superar Ferrari e McLaren na classificação para começar do quinto lugar. Mas ele fez um desvio no início da corrida, evitando os acidentes e destroços, além de passar pela brita e tentar se manter na prova.

A equipe tentou trabalhar com Tsunoda que teve uma boa reação no início da corrida, mas também na relargada, mas o piloto não estava rendendo. Desta forma Gasly ultrapassou o companheiro de equipe e ainda roubou o ponto de volta mais rápida de Lewis Hamilton.

Quando Tsunoda começa com erros e problemas, fica nítido que ele não consegue entregar o mesmo desempenho que poderia se não tivesse cometido nenhum erro durante os treinos livres. A confiança dele se abala facilmente.

Mas a AlphaTauri deseja conquistar pontos com regularidade, para finalmente se estabelecer no campeonato, além de recuperar a posição perdida.

Aston Martin

Sebastian Vettel pode perder o segundo lugar conquistado no GP da Hungria – Foto: reprodução Aston Martin

É comum entre as equipes que estão disputando o quinto lugar no campeonato de construtores, apresentar uma flutuação ao longo das provas, além disso, com as disputas se intensificando nem sempre sobra espaço para posicionar os dois carros entre os dez primeiros colocados.

A Aston Martin conseguiu colocar Sebastian Vettel no décimo lugar, enquanto Lance Stroll largou do décimo segundo. Vamos primeiro falar sobre Stroll, o canadense abandonou a corrida despois de fazer uma barbeiragem, colocando o carro na grama para tentar ultrapassar Charles Leclerc. O canadense acabou abandonando a prova e levando com ele o piloto da Ferrari. Por conta do erro, ele tem uma punição com a perda de cinco posições no grid de largada do GP da Bélgica para cumprir.

LEIA MAIS: As formas que Vettel e Hamilton estão encontrando para falar sobre a lei anti-LGBTQIA+ na Hungria

Bom, sobre Sebastian Vettel, o piloto teve um ótimo início, levou o carro para a segunda posição, tendo a oportunidade de disputar a vitória com Esteban Ocon, quando Lewis Hamilton realizou a sua parada nos boxes. O tetracampeão mostrou domínio do carro, tentou pressionar o rival e esteve perto de conquistar a vitória. Se não fosse o problema no seu pit-stop, provavelmente ele poderia ter mais chances de assumir a ponta.

Agora o alemão vive um drama, a FIA desclassificou o piloto da prova horas depois do encerramento da corrida. A equipe não conseguiu entregar um 1 litro de combustível para verificação, desta forma, pela infração técnica ele foi desclassificado.

O time vai entrar com um recurso, para provar que tinha essa quantidade de combustível para a verificação, tentando retomar a posição e os pontos.

Williams

A Williams conquistou pontos com os dois pilotos – Foto: reprodução Williams

A Williams conquistou os primeiros pontos da temporada 2021, assumindo a oitava posição do campeonato de construtores, para superar a Alfa Romeo na 11ª etapa da temporada. Não só o time, mas os dois pilotos da equipe levaram pontos para casa.

A classificação da equipe não foi boa na Hungria, nem mesmo George Russell conseguiu uma vaga no Q2, mas a prova deles no domingo foi surpreendente. Na relargada, Russell apareceu na segunda posição, mas por conta de um erro ele caiu para o sétimo lugar. Enquanto Nicholas Latifi apareceu na terceira posição e permaneceu por lá até realizar a sua parada nos boxes.

Russell queria que o time priorizasse a corrida de Latifi, se isso fosse fazer o time ter mais chances de pontuar, mas a equipe conseguiu trabalhar com os dois carros para obter os pontos.

Depois que a Williams perdeu várias oportunidades de pontuar, está é a primeira vez desde Monza 2018 que os dois carros do time terminam na zona de pontuação. Os dois pilotos ficaram emocionados com os pontos conquistados. O caos foi bem-vindo para o time, mas só porque eles conseguiram lidar bem com a situação.

Alfa Romeo

A Alfa Romeo fechou a etapa sem pontos e sendo superada no Campeonato pela Williams – Foto: Alfa Romeo

A Alfa Romeo não conseguiu se beneficiar dos problemas que ocorreram para pontuar, mesmo com o abandono de cinco carros que costumam ficar a sua frente. O fim de semana para o time começou todo de forma dura, Antonio Giovinazzi teve um problema no carro, TL1 perdendo parte da sessão, além de não ter um bom desempenho no TL2.

A classificação foi de certa forma o único ponto positivo do fim de semana, já que eles conseguiram passar com os dois carros para o Q2.

A prova foi um verdadeiro desastre, Kimi Raikkonen foi punido por ter batido com Nikita Mazepin no pit-lane, enquanto o italiano recebeu uma punição de pôr excesso de velocidade no pit-lane. Raikkonen foi o piloto que ficou mais próximo de pontuar, já que terminou na décima primeira posição, com a desclassificação de Vettel ele pode assumir o décimo lugar e o time ter um ponto. Giovinazzi por outro lado foi o último colocado do grid.

A Alfa Romeo teve péssimas escolhas de estratégia, fazendo trocas de pneus (quase um teste de compostos) e não conseguindo nenhum rendimento.

Haas

Mick Schumacher tentou se defender dos ataques de Max Verstappen para garantir pontos para a Haas – Foto: reprodução Haas

Assim como a Alfa Romeo, a Haas não conquistou pontos, o time vive o seu drama de fim de grid, sem um carro para bater os outros ou sustentar uma posição.

Nikita Mazepin abandonou a corrida depois que entrou nos boxes e foi acertado por Kimi Raikkonen, quebrando a suspensão no pit-lane e ficando sem chances de retornar para a pista.

Mick Schumacher viveu outro drama, o piloto bateu no TL3, não realizou a classificação, mas conseguiu participar da prova. A equipe realizou a troca do câmbio para que ele participasse da prova. O piloto foi bem aguerrido, apareceu na décima posição, tentou sustentar ela, deu trabalho para Max Verstappen quando o holandês tentou ultrapassá-lo.

Ao longo da corrida ele até tentou votar para os pontos, mas terminou a prova na décima terceira posição, sendo superado por Raikkonen e Ricciardo.  

Escute o nosso podcast 

Escute o Área de Escape com participação da Deborah Almeida

Resultado antes da desclassificação de Sebastian Vettel

Resultado depois da desclassificação de Sebastian Vettel

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados