ColunistaDestaquesFórmula 1Post

Ocon conquista vitória em prova inacreditável e alucinante que marca GP da Hungria

Com resultado improvável, Ocon leva Alpine na ponta dos dedos para obter primeira vitória da carreira no Hungaroring

O GP da Hungria foi um grande capítulo nesta temporada 2021, adicionando mais um tempero para o restante do ano. Vocês certamente já estão ansiosos para como a Netflix vai trabalhar este roteiro para a próxima temporada da série – Hungria merece um bom destaque.

Ninguém imaginou – e certamente não tinha um roteiro para isso – mas Esteban Ocon conquistou a sua primeira vitória na Fórmula 1, em uma prova extremamente caótica, mas o grande ponto foi justamente a relargada.

A Renault conquistou a sua última vitória como construtora em 2008, com Fernando Alonso, no Japão. Está é a primeira vitória do time como Alpine, em uma construção inacreditável.

A chuva e o erro de Valtteri Bottas na primeira curva, ocasionaram a interrupção da prova por uma bandeira vermelha. O circuito que tinha tudo para fornecer uma corrida parada, mas se deparou com o caos. Para chegar neste resultado de pódio, o grid que deveria ter feito uma relargada parada, abandonou a possibilidade quando retornou para os boxes, instalando os pneus slick.

A pista já estava seca após aquele breve bate-bate que ocorreu por conta da chuva no início da corrida. Desta forma Lewis Hamilton optou por algo diferente, alinhou na reta principal, reiniciou a corrida sozinho, mas estava com os pneus intermediários – compostos que não forneceriam nenhuma chance para ele já que a pista tinha secado.

Hamilton realizou a parada, depois de todo o grid e caiu para a última posição, ficando focado para remar todo o grid. Quem estava em primeiro? Bom, Esteban Ocon, o mesmo piloto que largou da oitava posição e no reinício da prova já era o segundo colocado.

Vettel que também tinha dado um salto dá décima posição para terceiro, ficou com o segundo lugar, Nicholas Latifi era o terceiro colocado. Daí em diante, bom, Vettel foi tentando pressionar Ocon para obter a vitória, mas o piloto da Alpine fez boas defesas, merecendo a vitória de hoje.

Já Lewis Hamilton foi apostando em uma estratégia diferente, remando o grid, para conquistar o terceiro lugar e retornar ao pódio. Mas não foi fácil para o inglês, já que Fernando Alonso foi um ótimo piloto para a equipe hoje, defendeu muito os ataques de Hamilton nas últimas voltas da corrida, tentando segurar o inglês na quinta posição, para que ele não ameaçasse principalmente Esteban Ocon, pois Hamilton tinha carro para obter uma vitória.

Ocon fez uma grande prova, enquanto Hamilton mostrou mais uma vez porque é grande. O campeonato segue eletrizante e Hamilton deixa a Hungria como líder do campeonato de pilotos, contando com 192 pontos, contra 186 de Max Verstappen. O holandês só obteve um ponto, já que no boliche provocado por Bottas, o carro do holandês também foi atingido, mas ele cruzou a linha de chegada na décima posição.

O capítulo o final da metade da temporada, também é mercado pela Mercedes que está reassumindo a primeira posição do Campeonato de construtores, 300 pontos, contra 290 da Red Bull.

O restante do grid

Marcado pelo abandono de seis pilotos, apenas catorze terminaram a prova.

Carlos Sainz conseguiu a quarta posição, mesmo depois de um fim de semana complicado para o espanhol, mas ele ajudou na disputa que a Ferrari está travando com a McLaren no campeonato de construtores, agora os italianos estão separados por apenas três pontos. Esta foi a primeira vez no ano que a McLaren terminou uma prova sem pontos.

Fernando Alonso foi considerado o piloto do dia, mas ele realmente merece, o espanhol realizou uma largada onde desviou dos incidentes e também protagonizou um trabalho bem duro de defesa, evitando os ataques de Hamilton.

A dupla da AlphaTauri terminou nos pontos, Pierre Gasly conseguiu a sexta posição e a melhor volta da corrida, acompanhado por Yuki Tsunoda que fechou a prova no sétimo lugar.

Finalmente os pontos da Williams foram conquistados, onde Nicholas Latifi conquistou a oitava posição, seguido por George Russell em nono. Naquele reinício de prova Latifi era o terceiro colocado, mas com as paradas perdeu um pouco de espaço. Russell até figurou na segunda posição na saída dos boxes, mas depois de um erro, caiu para o sétimo lugar.

Max Verstappen completou o Top-10, mesmo com o carro destroçado o piloto permaneceu na pista buscando conquistar pontos.

Agora a F1 realiza uma pausa, retornando no dia 29 de agosto para o GP da Bélgica.

Saiba como foi o GP da Hungria 

A Honda identificou um problema na unidade de potência de Max Verstappen, desta forma eles optaram pela realização da troca, usando o terceiro motor do ano. Mas o piloto da Red Bull não foi penalizado, podendo manter a terceira posição para a largada.

A Haas realizou a troca da caixa de câmbio pois Mick Schumacher bateu no TL3, como a troca ocorreu antes de seis provas, ele foi penalizado com a perda de cinco posições no grid, mas já largaria da última posição, pois não participou da classificação.

Carlos Sainz teve o carro arrumado e conseguiu largar da décima quinta posição. 

Confira o grid de largada:

Por conta da chuva a estratégia zerou pois todos os pilotos foram obrigados a largar com os pneus intermediários, podendo optar por qualquer pneu quando a pista estivesse seca. Giovinazzi resolveu largar dos boxes com os pneus médios, o que se provou uma estratégia bem ruim.  

Ocorreu uma batida na largada, onde Bottas acabou tendo uma péssima reação, tocando na traseira de Lando Norris e obliterando outros pilotos do grid. Além disso eles acabaram levando Max Verstappen e Sergio Pérez que estavam ocupados a terceira e a quarta posição.

Lance Stroll acertou Charles Leclerc, em uma reação bem ruim de largada, colocando o carro da Aston Martin na grama e depois do toque, fez o monegasco abandonar a prova. Com o incidente entre eles o carro da Ferrari acertou também Daniel Ricciardo.

Pérez, Stroll, Leclerc e Bottas abandonaram a corrida, provocando a ativação de uma bandeira vermelha. O carro de Lando Norris também estava bem danificado, a McLaren recolheu para os boxes, abandonando a corrida. 

Fernando Alonso se livrou dos acidentes para assumir a sétima posição, assim como Pierre Gasly que teve um bom início e conseguiu a décima terceira posição. 

Nova relargada

O grid ficou desta forma: Hamilton (1), Ocon (2), Vettel (3), Sainz (4), Tsunoda (5), Latifi (6), Alonso (7), Russell (8), Raikkonen (9), Schumacher (10), Gasly (11), Ricciardo (12), Verstappen (13), Mazepin (14) e Giovinazzi (15)

As equipes tiveram a oportunidade de realizar alguns reparos nos carros, por conta de todos os problemas que ocorreram na primeira largada.

A pista tinha secado, todos os pilotos foram para os boxes realizando a troca dos pneus, desistindo da largada parada pois a pista já tinha secado e não existia mais a necessidade de usar os pneus intermediários. Mas Hamilton foi diferente, permaneceu na pista, para fazer a largada parada SOZINHO.

Mazepin acabou batendo nos boxes, depois que o piloto tocou em Kimi Raikkonen da Alfa Romeo e quebrou a suspensão, o piloto da Haas abandonou a prova na sequência. Depois o finlandês foi penalizado, pois foi considerado culpado no incidente.

Russell deixou os boxes na segunda posição, mas acabou perdendo espaço, caindo rapidamente para o sétimo lugar. Esteban Ocon assumiu a segunda posição, mas Hamilton parou nos boxes depois de ter optado pela largada parada.

Na quinta volta Ocon estava na liderança, enquanto Hamilton entrou nos boxes e retornou na décima quarta posição. Os dez primeiros eram: Ocon, Vettel, Latifi, Tsunoda, Sainz, Alonso, Russell, Raikkonen, Ricciardo e Schumacher. Enquanto Verstappen estava na décima primeira posição. Todos os pilotos apostaram nos pneus médios. 

A corrida estava completamente maluca, a chuva do início e as escolhas embolaram todo o grid.

Durante a nona volta, Giovinazzi fazia o possível para segurar Hamilton, mantendo o inglês na décima quarta posição. A ultrapassagem só ocorreu na décima volta, quando o inglês colocou o carro de lado no final da reta, para finalizar a ultrapassagem.

Giovinazzi foi penalizado por excesso de velocidade no pit-lane.

Russell já tinha informado que poderiam priorizar a corrida de Latifi, pois o seu companheiro de equipe estava na terceira posição.

Schumacher fazia o possível para segurar Verstappen, em várias voltas, mas na décima quinta volta, mesmo com a escapada de pista, o piloto da Red Bull foi se segurando, jogando o carro, quase furou o pneu, mas conseguiu realizar a ultrapassagem no piloto da Haas. Verstappen assumiu a décima posição.

Pierre Gasly também realizou a ultrapassagem em Schumacher, durante a décima sexta volta. Hamilton também teve a oportunidade de ultrapassar o piloto da Haas.

Raikkonen foi para os boxes durante a décima sexta volta, pagando a penalidade de dez segundos, por ter atitude insegura no pit-lane, aquela que acabou rendendo o abandono de Mazepin. O piloto da Alfa Romeo retornou para a pista com os pneus duros.

Durante a volta 17, Ocon era o líder da prova, com mais de um segundo de vantagem para Vettel. Enquanto Latifi já estava separado por mais de 11 segundos do alemão.

Na volta seguinte Vettel tinha se aproximado de Ocon, podendo usar a asa tentando assumir a liderança da corrida.

Os dez primeiros colocados na vigésima voltam, os dez primeiros eram: Ocon, Vettel, Latifi, Tsunoda, Sainz, Alonso, Russell, Ricciardo, Verstappen e Gasly. Hamilton foi para os boxes, instalando os pneus duros, retornando na décima segunda posição. Enquanto Raikkonen estava com a volta mais rápida da prova, anotando 1m23s165.

No giro seguinte Verstappen também foi para os boxes, retornando com os pneus duros. Mas Ricciardo também tinha apostado em já realizar a sua troca de pneus, desta forma o piloto da McLaren conseguiu segurar Verstappen, que retornou na décima segunda posição, enquanto Hamilton assumia o décimo lugar, seguido por Ricciardo.

Algumas paradas começaram a acontecer, assim como Russell parou durante a vigésima terceira posição. Agora os pilotos apostavam nos pneus duros. Enquanto Sainz informava que não realizaria a sua parada naquele momento. Yuki Tsunoda teve um bom pit-stop, retornando em sétimo, durante a décima terceira volta.

Latifi que era o terceiro colocado, caiu para a sétima posição durante a vigésima quarta volta, já que o piloto da Williams realizou a sua parada. Desta forma Tsunoda ultrapassou Latifi na pista.

E durante a trigésima volta, os dez primeiros eram: Ocon, Vettel, Sainz, Alonso, Gasly, Tsunoda, Hamilton, Latifi, Schumacher e Russell. Depois que Vettel tentou atacar Ocon, o piloto francês conseguiu abrir mais de dois segundos de vantagem para o alemão. Verstappen estava na décima segunda posição, não conseguindo nenhum ponto até este momento.

Pierre Gasly fez a sua parada na trigésima volta, retornando na oitava posição, com os pneus duros.

Carlos Sainz só realizou a sua parada na volta 33, para instalar os pneus duros e ficar com a quarta posição. Enquanto Hamilton conseguiu realizar uma ultrapassagem em Tsunoda para ficar com a quinta posição.

No giro seguinte Russell conseguiu realizar a ultrapassagem em Schumacher, assumindo desta forma a nona posição.

Giovinazzi parou mais uma vez, mas agora na volta 35, enquanto Schumacher também perdeu as posições para Ricciardo, Verstappen e Raikkonen.

Foi apenas na volta 37 que Vettel realizou a sua parada, instalou os pneus duros e estava na terceira posição. Ocon e Alonso eram os primeiros colocados, mas a Alpine precisou responder a parada do alemão, realizando a sua troca no giro seguinte.

A vantagem é que o piloto da Aston Martin estava com os pneus mais aquecidos e conseguiu retornar pressionando ainda mais o francês. Fernando Alonso era o atual líder, com um pneu de 35 voltas, mas a Alpine fez a sua parada no giro 40, mas caiu para a quinta posição, atrás de Lewis Hamilton.

Os dez primeiros eram: Ocon, Vettel, Sainz, Hamilton, Alonso, Tsunoda, Gasly, Latifi, Russell e Ricciardo.

Com o andamento da corrida, a Red Bull estava fazendo o possível para que Verstappen conseguisse algum ponto, desta forma o time austríaco precisou realizar outra parada, instalando os pneus médios, ele deixou o décimo primeiro lugar para assumir o décimo segundo.

Na pista, Vettel acabou travando um pouco os pneus, enquanto ainda tentava atacar Ocon de todas as formas. Mas neste momento, o foco também estava na corrida de Alonso e Hamilton, já que o espanhol tentava se aproximar do inglês.

Como Sainz esperava, Hamilton foi para os boxes na volta 48, instalando os pneus médios, mas retornando para o circuito na quinta posição com condições de desafiar os outros concorrentes. O inglês tinha mais de 4 segundos de vantagem para o japonês da AlphaTauri.

E foi no giro seguinte que com um dos carros da Alfa Romeo estava tomando bandeira azul, Vettel tentou se beneficiar para tentar assumir a ponta, mas Ocon conseguiu se segurar, mesmo com a distância entre eles caindo para 0s4.

Restando menos de 20 voltas para o final, os dez primeiros eram: Ocon, Vettel, Sainz, Alonso, Hamilton, Gasly, Tsunoda, Latifi, Russell e Ricciardo. Verstappen assumiu a décima primeira posição na volta 51.

Hamilton chegou em Alonso na volta 56, mas o piloto da Alpine conseguia se segurar de todas as formas na quarta posição. Fazendo de tudo para evitar os ataques do piloto que queria voltar para o pódio depois de todo o caos da corrida até aquele momento.

Na penúltima volta Gasly realizou mais uma parada, instalando os pneus macios para tentar a melhor volta da prova na sexta posição.

Ocon recebeu a bandeirada, vencendo o GP da Hungria de 2021, obtendo a sua primeira vitória na história da F1. Vettel ficou com a segunda posição, enquanto Hamilton era o terceiro colocado.

Pierre Gasly ficou com a volta mais rápida, depois de anotar 1m18s394.

Os dois carros da Williams pontuaram neste fim de semana, com Latifi ficando com a oitava posição, enquanto Russell foi o nono. Oficialmente a dupla da Williams obteve o P8 para o time depois do resultado obtido neste domingo. Em um fim de semana improvavél, depois de uma classificação onde Russell ficou preso no Q1, os dois carros deixam o circuito com pontos.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados