ColunistaFórmula EPost

Venturi Racing passa a ter novos proprietários

Equipe de Mônaco anunciou que um grupo de investidores dos Estados Unidos é o novo dono da equipe

A ROKiT Venturi Racing anunciou nesta quarta-feira (09) que a equipe agora pertence a um grupo de investidores liderado por Scott Swid e José M. Aznar Botella. Swid é um americano com experiência no mercado de investimentos financeiros e Botella é filho do ex-Primeiro Ministro da Espanha, José Maria Aznar, e cunhado de Alejandro Agag, criador da Fórmula E.

Apesar dos novos donos, Susie Wolff continua no cargo de Team Principal e Gildo Pastor se mantém na presidência da equipe. Outras coisas que permanecem são o recém-chegado Jerome D’Ambrosio como vice-diretor, o nome da equipe e a sede em Mônaco. 

LEIA MAIS: Jerome D’Ambrosio é o novo vice-diretor da Venturi

Susie Wolff, aliás, é apontada como um “contínuo impulso positivo” desde a sua chegada à equipe em junho de 2018. O novo investimento demonstra também o forte lado comercial não só da equipe, mas também da Fórmula E que agora é um campeonato mundial. 

Scott Swid revelou que “Inicialmente, estávamos olhando para a Fórmula 1 de uma perspectiva de investimento – mas, compreensivelmente, José acredita muito no potencial da Fórmula E e me apresentou a Susie. Desde nosso primeiro encontro, pude ver um caso singular de negócios.

Susie Wolff e Jerome D’Ambrosio. Foto divulgação ROKiT Venturi Racing

“Investir na Venturi, com sua herança como equipe original guiada pelo visionário Gildo Pastor, e competir em um esporte emocionante que promove a sustentabilidade global e a mobilidade elétrica pioneira é uma grande oportunidade. Todos os conselhos corporativos de visão de futuro do mundo estão cientes da importância da sustentabilidade e buscam formas de investir em seu futuro. 

“A Fórmula E está em sua fase intermediária, tendo superado com sucesso os obstáculos de seu período inicial. Com essa base forte, é um ótimo momento para investir quando o campeonato é estabelecido e ainda há muito crescimento por vir”, completou o novo sócio-gerente da Venturi.

A Diretora da Venturi, Susie Wolff, considera que o time avançou “para o próximo capítulo como uma equipe sob a nova propriedade liderada por José e Scott”. Ela disse ainda que “A experiência de investimento de Scott e José fortalecerá as capacidades da equipe e nos fornecerá novas perspectivas e oportunidades interessantes para o futuro. 

“Esse movimento também demonstra o papel positivo que o próximo limite de custos deve desempenhar na viabilidade comercial e, portanto, no apelo do esporte aos investidores e parceiros”, encerrou Susie.

Scott Swid também enumerou os motivos da escolha da Venturi: “É a única equipe no esporte internacional gerenciada e parcialmente propriedade de uma mulher. Somos também a equipe com a maior diversidade de gênero no grid e a única equipe de corrida baseada no Mônaco. Em suma, a Venturi é completamente única – pensa para frente, é ousada, ousa sonhar com o que os outros não sonhariam, tem história e herança. Do ponto de vista empresarial, isso faz da Venturi um investimento altamente atraente.”

Na visão de Swid, o investimento significa “um grande sinal de progresso” para a Venturi. “Assim como a Fórmula E, a Venturi também está entrando em uma nova era em 2021 e tanto José quanto eu compartilhamos a visão ousada da equipe para o futuro. 

LEIA MAIS: Edoardo Mortara lidera sessão de treinos na pré-temporada

Enquanto Susie continuará gerenciando a equipe, José e eu combinaremos nossa experiência comercial para elevar o apelo da equipe à medida que ela continua a crescer. Já vimos uma indicação do progresso que a equipe está fazendo, reconhecendo coletivamente a necessidade, e nomeando um Vice-Diretor da Equipe que traz uma riqueza de conhecimento e experiência em Jerome d’Ambrosio. 

“A herança monegasca de Venturi permanecerá em seu cerne e estamos muito satisfeitos por entrarmos neste novo capítulo juntos”, encerrou o americano.

“Edoardo Mortara na pré-temporada em Valência. Foto: divulgação ROKiT Venturi Racing”

José Botella comentou sobre as expectativas com o futuro da equipe: “A 7ª temporada marca o segundo da Venturi em parceria com a Mercedes-Benz e, do ponto de vista de Susie, aprendemos muito desde as dificuldades do final da 6ª temporada em Berlim. 

“Depois de mostrar um potencial excepcional em circuitos de rua no passado, estamos ansiosos para ver o que Edo pode entregar em sua quarta temporada com a equipe e as indicações iniciais de Norman também são promissoras. 

Botella completa dizendo que ainda há muito o que fazer antes da primeira corrida, mas que todos estão “muito ansiosos para a corrida inaugural da Fórmula E como um Campeonato Mundial no Chile.”

Mostrar mais

Cinthia Venâncio

Cearense que acompanha Fórmula 1 desde que se entende por gente. Faz aniversário no mesmo dia do Damon Hill.

Deixe uma resposta

Artigos relacionados