ColunistaFórmula 1Post

McLaren atende pedido do Reino Unido e luta contra Covid-19

O Grupo McLaren mudou a sua produção para fornecer equipamento hospitalar, ajudando a combater o Covid-19 e auxiliando a salvar vidas

Com a produção dos carros suspensa por conta da pandemia de Covid-19, a McLaren atendeu ao pedido do governo do Reino Unido em março e passou a produzir respirados para pacientes que foram afetados pelo vírus.

Foram produzidos 13.437 respiradores e mais de 100 mil componentes individuais fabricados em apenas 10 semanas. O foco do momento estava em salvar vidas, desta forma o Grupo McLaren utilizou os recursos disponíveis de design, prototipagem, produção e eletrônica para aumentar a produção de equipamentos.

McLaren produz respiradores para auxiliar vítimas do Covid-19 - Foto: McLaren
McLaren produz respiradores para auxiliar vítimas do Covid-19 – Foto: McLaren

O mundo todo estava ao mesmo tempo necessitando de equipamento médico para salvar vidas, a quantidade de respiradores não era suficiente para a demanda de pessoas necessitadas. Realizar a produção destes equipamentos, significou salvar a vida de milhares de pessoas.

Várias equipes de F1 atenderam ao Projeto Pitlane, disponibilizando a sua tecnologia para a construção de equipamentos, aquelas que tem sede no Reino Unido atenderam ao chamado prontamente.

No comunicado da equipe, eles explicaram a complexidade que é para montar um equipamento hospitalar:

“Projetar e fabricar um respirador, assim como um carro de Fórmula 1 ou um supercarro, não é de forma alguma um processo simples ou rápido. As peças mais importantes do equipamento médico são extremamente sensíveis, estas máquinas que precisam de hardware e software especializados operando em um design altamente complexo e intrincado. Se um dos componentes não funcionar corretamente, toda a máquina pode desligar e potencialmente colocar o paciente em risco.”

Para produzir as peças necessárias, utilizaram projetos que já estavam acordados para acelerar o processo, já que a certificação de equipamentos hospitalares leva tempo.

Problemas surgiram no caminho, como a necessidade de adquirir matérias especializado e peças necessárias para a fabricação. Desta forma começou um processo de planejamento, gerenciamento de projetos, compra e logística pela McLaren Racing. 

Confira: Ferrari e Instituto Italiano de Tecnologia produzem novo respirador para pacientes de covid-19

Eles conseguiram 117 fornecedores para obter os componentes necessários para a produção do dispositivo Penlon.

“No espaço de quatro semanas, tendo começado o projeto do zero, tínhamos 10 milhões de peças novas. E tudo isso vinha de uma cadeia de suprimentos completamente nova – a maioria de nós nunca tinha visto um respirador antes”, disse Mark Mathieson, diretor de inovação da McLaren.

“Nem uma vez tivemos que parar a linha de produção devido a falta de peças ou materiais. Quando você considera que no início do projeto havia um risco real de acontecer, esta foi uma conquista fenomenal”, finalizou.

Confira: Equipes de Fórmula 1 e montadoras auxiliam na produção de respiradores em meio ao covid-19

O esforço do grupo (McLaren Racing e McLaren Automotive) ainda resultou na produção de carrinhos sob medida onde os ventiladores podem ser fixados e transportados dentro de ambientes clínicos.

Confira: Respiradores produzidos pelo Projeto Pitlane já estão disponíveis e sendo utilizados nos hospitais

“A construção do carrinho foi uma experiência de aprendizado para todos os envolvidos”, admite Piers Thynne, diretor de produção da McLaren Racing. “Apesar de ser um produto simples, é um dispositivo médico, portanto, está sujeito a um rigoroso processo de inspeção de alta qualidade.”

A Royal Academy of Engineering premiou a McLaren pelos serviços prestados durante a pandemia.

Carrinhos produzidos pela McLaren para o transporte dos respiradores - Foto: McLaren
Carrinhos produzidos pela McLaren para o transporte dos respiradores – Foto: McLaren
Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados