ColunistaDestaquesFórmula 1Post

Ferrari e Instituto Italiano de Tecnologia produzem novo respirador para pacientes de covid-19

Enquanto a Fórmula 1 não retorna, a Ferrari segue trabalhando para ajudar os pacientes do covid-19, nesta semana a marca italiana laçou um novo respirador, projetado e construído em apenas cinco semanas.

Com o curso da doença na Itália, a Ferrari já havia realizado a doação de 10 milhões de euros, 150 respiradores e estava fabricando as válvulas e acessórios para máscaras de proteção, onde todo o material estava sendo fornecido ao Departamento de Proteção Civil Italiano.

Foto do novo respirador produzido pela Ferrari e IIT em cinco semanas / Foto Ferrari

A Ferrari montou uma equipe liderada por Simone Resta, chefe de engenharia de chassis e Corrado Onorato, gerente de inovação da F1, para unir forçar com o Instituto Italiano de Tecnologia, para criar o respirador e lidar com a emergência atual. O projeto recebeu o nome de FI5, por conta da parceria estabelecida, enquanto o número cinco é corresponde ao número de semanas que o protótipo levou para ser produzido, após passar por todas as etapas de desenvolvimento.

O FI5 é para atender as demandas atípicas nos hospitais, ser confortável e versátil, além de proporcionar uma rápida montagem e poder ser produzido em larga escala, utilizando materiais que estão facilmente disponíveis.

O projeto foi totalmente disponibilizado, para que seja possível a sua produção em outras localidades. Empresas italianas, mexicanas e americanas entraram em contato com a Ferrari para certificar e distribuir o produto.

“É um projeto iniciado por causa de uma emergência de saúde urgente em nossa sociedade, à qual respondemos rapidamente, graças à combinação da Scuderia, que é o orgulho de nossa nação e famosa em todo o mundo, e a um centro de pesquisa que está na vanguarda. instituições científicas internacionalmente respeitadas. Estimulados pela prática da Ferrari de trabalhar em alta velocidade, projetamos e construímos o protótipo em apenas cinco semanas.” disse o diretor científico do IIT, Professor Giorgio Metta.

O Chefe de equipe, Mattia Binotto completou: “O desafio do COVID-19 era aquele que queríamos enfrentar. O FI5 é a contribuição que fizemos como Scuderia, apresentando a essência do que faz uma equipe de Fórmula 1 e, mais importante, todas as características que tornam a Ferrari especial; sua paixão, sua criatividade e seu desejo de melhorar.

Este projeto foi uma experiência muito estimulante, além de ser verdadeiramente gratificante para todos os envolvidos, que trabalharam lado a lado com nossos colegas do IIT e outros parceiros. São iniciativas como essas que tornam a #essereFerrari, não apenas um slogan, mas uma característica distintiva da nossa identidade.”

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados