ColunistaFórmula 1Post

Max Verstappen fecha sexta-feira na liderança, mas provoca bandeira vermelha no final do TL2

Depois de ficar na segunda posição no TL1, Verstappen conquista a liderança, mas acaba batendo ao final da sessão

O TL2 realizado nesta sexta-feira (27) contou com Max Verstappen liderando a segunda atividade, o holandês assumiu a ponta depois de anotar 1m44s472, superando Valtteri Bottas por 0s041. No entanto, a sessão não terminou da melhor forma para o holandês já que ele acabou provocando uma bandeira vermelha depois de perder o carro na curva 7. O holandês terá muita sorte se não for preciso realizar a troca do câmbio.

A sessão foi mais uma vez bem movimentada, com os pilotos investindo mais uma vez no teste dos pneus. Mas novamente, a sessão começou com a pista úmida, uma cena que deve ser comum por todo o fim de semana por conta do clima instável.

Desta vez Lewis Hamilton ficou com a terceira posição, depois de ser impedido de realizar uma volta rápida no TL1, pois foi atrapalhado por Esteban Ocon. O inglês fechou a atividade com 1m44s544.

Fernando Alonso vem se destacando em SPA e ficou com a quarta posição, acompanhado por Pierre Gasly, para fechar o top-5 com o piloto da AlphaTauri.

Como estamos observando desde o início da temporada, o grid esteve mais uma vez misturado, Lance Stroll levou o carro da Aston Martin para a sexta posição, enquanto Esteban Ocon era o sétimo colocado. O francês da Alpine mais uma vez esteve na liderança da sessão. A disputa entre Alpine, Aston Martin e AlphaTauri promete ser acirrada, pois eles estão bem próximos e Sebastian Vettel ficou com o oitavo lugar.

Lando Norris e Sergio Pérez completaram o top-10, ocupando o nono e o décimo lugar respectivamente.

A Fórmula 1 retorna neste sábado às 7h (pelo horário de Brasília) para a realização do TL3 antes da classificação ser disputada às 10h.

Saiba como foi o TL2 na Bélgica

Na pista a temperatura estava na casa dos 19°C, com 15°C no ambiente.

A atividade começou mais uma vez com a pista úmida em alguns pontos por conta da chuva que caiu mais uma vez antes dos carros da F1 retornarem para a pista. Quando a sessão começou a chuva já havia parado, por conta de alguns trechos secos na pista e a utilização dos pneus intermediários não era mais adequada.

Desta forma, após cinco pilotos fazerem uma volta de reconhecimento, Lando Norris abandonou os pneus intermediários para usar os compostos duros. E rapidamente o piloto da McLaren anotou 1m48s219. Depois dele outros pilotos foram deixando os boxes também com os pneus slick.

As avaliações seguiam onde os times ainda estavam dando preferência para a utilização dos pneus médios e duros. Norris melhorou o seu tempo para 1m47s138, enquanto Yuki Tsunoda com os pneus médios cravou 1m48s429. Era para Carlos Sainz estar com a segunda posição, mas a sua volta foi deletada por extravasar os limites de pista na curva 9.

Com pouco mais de quinze minutos de atividade, Latifi assumiu a ponta com 1m46s198 com os pneus médios, superando Esteban Ocon que tinha registrado 1m46s638 de pneus duros. A pista seguia evoluindo com o trilho de asfalto seco que havia se formado. Desta forma Bottas saltou para a ponta com 1m44s513 estabelecendo desta forma o melhor tempo do fim de semana até aquele momento.

A Fórmula 1 aproveitou o treino livre para mostrar a câmera com a visão do piloto na pista, bem parecida com aquela que já é usada na Fórmula E – a ‘Drivers Eyes’. Em uma volta de Fernando Alonso pelo circuito da Bélgica, a categoria mostrou o traçado ‘com o olhar do piloto’.

Com 30 minutos de atividade completada, os dez primeiros eram: Bottas, Hamilton, Verstappen, Pérez, Gasly, Alonso, Norris, Latifi, Stroll e Ricciardo. Neste momento da sessão os pilotos passaram para utilizar os pneus macios.

Alonso assumiu a quarta posição com 1m44s953, Stroll acompanhou o espanhol obtendo a quinta posição depois de anotar 1m45s180.

Foi a vez se Max Verstappen ter a oportunidade de superar Valtteri Bottas, assim o holandês anotou 1m44s472. Neste momento foi possível ver Esteban Ocon rodando na curva 13 depois de ter atacado a zebra, mas como o carro não teve danos ele só retornou para os boxes para trocar os pneus já que esses sim tinham sido danificados.

O grid ficou mais uma vez bem misturado de acordo com as avaliações que os times fizeram com os pneus macios. A pista estava mais vazia pois vários competidores estavam nos boxes.

Restando 16 minutos para o encerramento da atividade, o regime de bandeira vermelha foi instaurado por conta de uma batida provocada por Charles Leclerc. O monegasco perdeu o carro depois que a traseira escorregou, a suspensão da frente dianteira direita ficou danificada.

Neste momento os dez primeiros eram: Verstappen, Bottas, Hamilton, Alonso, Gasly, Stroll, Ocon, Vettel, Norris e Pérez.

A sessão foi retomada nos últimos dez minutos, mas os pilotos aproveitaram para fazer alguns giros em modo de simulação de corrida.

A atividade foi encerrada em bandeira vermelha depois da batida de Max Verstappen, o holandês bateu na curva 7. O piloto rodou, perdeu a traseira e acabou danificando a suspensão traseira direita. A sessão não foi retomada.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados