ColunistaFórmula 1Post

Lewis Hamilton rompe a barreira das 100 poles, obtendo mais uma marca no Hungaroring

Hamilton crava oitava pole na Hungria, mostrando mais uma vez que este território é do piloto inglês

A confusão está armada, depois do GP da Inglaterra ficou claro que Lewis Hamilton e Max Verstappen vão se enfrentar em todas as oportunidades e ficou mais nítido nesta classificação – os primeiros vislumbres para o GP da Hungria.

O heptacampeão Lewis Hamilton cravou a 101ª pole da carreira, rompendo a barreira de 100 poles ao estabelecer a melhor volta no Q3 quando anotou 1m15s419. Na disputa o inglês deixou os boxes primeiro, percorreu o pit-lane de forma mais lenta, mantendo Max Verstappen na traseira do W12.

Hamilton ditou o ritmo na última saída dos boxes, o que fez Max Verstappen ter que se contentar com o P3, enquanto Valtteri Bottas já tinha garantido a segunda posição.

Amanhã o embate entre Red Bull e Mercedes ganha mais um capítulo, pois os pilotos que estão batalhando pelo título de pilotos fecharam as quatro posições da largada, pois Sergio Pérez encaixou o carro na quarta posição.

A Hungria também é um território de estratégia, assim como a Red Bull já estabeleceu que começa com os pneus macios, tendo um pouco mais de aderência para o início, mas sabendo que a goma dos seus pneus vai acabar antes.

Sobre os outros competidores, destaque para Pierre Gasly que superou Lando Norris e começa a prova da quinta posição, acompanhado pelo piloto da McLaren. Charles Leclerc representou a Ferrari na sétima posição, depois que Carlos Sainz provocou uma bandeira vermelha e ficou preso no Q2.

Esteban Ocon e Fernando Alonso dominaram o oitavo e nono lugar, respectivamente. Sebastian Vettel ficou com a décima posição, colocando um dos carros da Aston Martin em P10.

A Fórmula 1 retorna neste domingo às 10h pelo horário de Brasília para a realização do GP da Hungria e último antes das férias de verão.

Saiba como foi a Classificação

 A temperatura na pista estava na casa dos 59°C, com 29°C no ambiente.

Q1

Yuki Tsunoda assim como a dupla da Alfa Romeo foram para a pista assim que ela foi liberada, o japonês anotou 1m18s163, mas rapidamente ele foi superado pela dupla da Alfa Romeo, com Raikkonen anotando 1m17s963, enquanto Giovinazzi tinha 1m18s055. Todos estavam com os pneus macios nesta primeira parte da atividade.

A dupla da Mercedes foi liberada, com Bottas e Hamilton disputando os setores da pista. Bottas cravou 1m16s610, mas o inglês o superou anotando 1m16s424, enquanto Vertappen anotou 1m16s214 para assumir a liderança.

A temperatura na pista foi aumentando conforme a sessão foi avançando para o encerramento do Q1. Quando todos os pilotos registraram pelo menos uma volta cronometrada os dez primeiros eram: Verstappen, Hamilton, Bottas, Sainz, Gasly, Norris, Leclerc, Alonso, Pérez e Ocon. Na zona de eliminação era possível ver Tsunoda, Russell, Latifi e Mazepin – enquanto Mick Schumacher depois de bater no TL3 não foi liberado para participar da classificação.

Vettel anotou 1m17s105 saltando para a oitava posição aproveitando a pista livre quando os pilotos estavam retornando para os boxes. 

E nesta última saída tentando uma vaga para o Q2 Raikkonen melhorou a sua marca cravando 1m17s553 para superar Ricciardo que anotou 1m17s664. Giovinazzi conseguiu passar no limite já que ficou com a décima quinta posição com 1m17s776. Russell não conseguiu desta vez avançar para o Q2, como vinha fazendo atualmente, além do bom desempenho das últimas três provas. 

Depois de ter batido no TL1, Tsunoda acaba tendo um pouco mais de problemas para obter uma posição melhor e fica preso mais uma vez no Q1 neste ano. Uma temporada complicada, marcada por altos e baixos, mas o japonês sabia que precisava passar por um fim de semana sem erros, algo que aconteceu logo no início. A AlphaTauri realizou a troca do câmbio, para poder participar do restante do fim de semana. 

Schumacher não participou da classificação, pois bateu no TL3, desta forma a equipe precisou realizar uma recontrução do seu carro, trocando o câmbio para que ele possa participar da corrida. 

Eliminados

16) Yuki Tsunoda – 1m17s919
17) George Russell – 1m17s944
18) Nicholas Latifi – 1m18s036
19) Nikita Mazepin – 1m18s922
20) Mick Schumacher – Sem Tempo 

Q2

Rapidamente a dupla da Mercedes e Red Bull foram para a pista com os pneus médios, tentando uma estratégia para largar com compostos mais resistentes, pensando na corrida do domingo. Bottas cravou 1m17s083, enquanto Hamilton fechou 1m16s553 superando Verstappen por 0s216. Vettel aproveitou o momento para superar finlandês da Mercedes para garantir a sua passagem para o Q3, o piloto anotou 1m16s972.

Restando 06s39 para o encerramento da atividade, Carlos Sainz bateu forte na curva 14, depois de perder a traseira do carro, quando a dianteira foi a causa para a balançada dele. Para a retirada do carro de Sainz, a sessão foi paralisada entrando em regime de bandeira vermelha. O espanhol ainda não tinha tempo aferido, assim como Antonio Giovinazzi. 

Sainz era um piloto forte para a classificação, principalmente tendo como base a performance obtida por Charles Leclerc, mas a dele mesmo durante todo o fim de semana.

Com a paralização os dez primeiros eram: Hamilton, Leclerc, Verstappen, Alonso, Vettel, Gasly, Bottas, Pérez, Ocon e Ricciardo. Enquanto Norris aparecia na zona de eliminação. Fernando Alonso chamava atenção por ter superado Vettel levando o carro da Alpine para a quarta posição com 1m16s906.

A pista foi liberada mais uma vez, mas os pilotos levaram um pouco mais de tempo para serem liberados, esperando realmente os últimos minutos. Pérez apostou nos pneus macios, enquanto Bottas apostava mais uma vez em médios.

Na sua volta Bottas cravou 1m16s702, enquanto Verstappen saltou para a ponta com 1m15s650 mas agora apostando nos pneus macios, seguido por Pierre Gasly com 1m16s394. Norris superou o piloto da AlphaTauri com 1m16s385. Vettel conseguiu o P10 superando Ricciardo e eliminando ele, mas o piloto da McLaren acabou comentendo um erro na sua volta. 

Verstappen vai largar com os pneus macios, pois apostou em uma outra estratégia para a corrida, mas terá que rivalizar com Valtteri Bottas e Lewis Hamilton que apostaram nos médios. O finlandês da Mercedes acreditou no seu desempenho e conseguiu uma volta melhor com estes compostos. 

Eliminados

11) Daniel Ricciardo – 1m16s871
12) Lance Stroll – 1m16s893
13) Kimi Raikkonen – 1m17s564
14) Antonio Giovinazzi – 1m17s583
15) Calos Sainz – Sem Tempo

Q3

Mesmo com o cronômetro em regressiva, as equipes esperaram um pouco mais para a liberação. Na primeira volta de Hamilton o piloto foi para a ponta com 1m15s419, acompanhado por Bottas que anotou 1m15s734, com Verstappen ficando com a terceira posição com 1m15s984.

Na nova saída para a pista foi a Mercedes que comandou o espaço em pista, mas também foram eles que comandaram a volta de aquecimento dos pneus. Desta forma Lewis Hamilton não deixou muito espaço para a dupla da Red Bull, segurando os concorrentes. 

Hamilton ficou com o melhor tempo, ainda que não tenha melhorado a sua marca anotando a 101ª pole. Verstappen melhorou um pouco a sua volta anotando 1m15s840, mas permaneceu na terceira posição. Bottas e Hamilton seguraram a dupla da Red Bull, para justamente garantir a dianteira. Pérez não teve a chance de abrir uma nova volta. 

Algumas critícias ocorreram depois do término da sessão por Hamilton ter tetado uma manobra prejudicando a Red Bull, mas foi uma opção todos seguirem para a pista juntos, desta forma foi uma consequência pegar trânsito. 

O grid de largada ficou definido desta forma:

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados