ColunistaFórmula 1Post

Como saber se um piloto fez uma boa largada?

Largar é uma parte muito importante de uma corrida, o piloto tem que ter controle da sua máquina, prestando atenção aos pontos para começar a corrida da melhor forma

Quando a gente fala sobre automobilismo, existe aqueles clichês que sempre podem ser usados, como: ‘nenhuma corrida jamais foi ganha na primeira curva, mas muitas foram perdidas ali.

Vale completamente para a largada, o início de uma corrida acaba determinando quais serão as próximas decisões, tudo depende de com quem o piloto está duelando. A largada é um grande desafio para o piloto, por isso eles testam a largada durante os treinos livros, aproveitando a saída do pit-lane ou a reta principal para praticar o início de uma prova. Naquele momento eles vão ajustar o carro, configurar motor e embreagem para as melhores condições. Não é uma configuração padrão, uma variação ocorre de circuito para circuito.

Ao longo do fim de semana os times vão tentando treinar a largada, seja na reta principal depois que os treinos livres acabam, ou em alguma parte da saída do pit-lane – Foto: reprodução

A posição que o piloto vai largar, tem que ser levada em consideração pelo engenheiro. Eles testam algumas variações ao longo do fim de semana, mas é apenas depois da classificação que fica mais fácil traçar um plano. A equipe vai levar em consideração o lado sujo e limpo da pista para determinar as configurações necessárias e assim o piloto possa ter o melhor início.

Ao longo dos anos, mas principalmente no início dos anos 1990, a automação começou a dominar a Fórmula 1, formas de melhorar o desempenho, mas tirar um pouco do controle do piloto. Depois, existiu uma preocupação para tornar alguns procedimentos nas corridas mais ‘humanos’, a largada é um exemplo claro disso.

Em 2017 a Fórmula 1 retomou o controle da largada para os pilotos, pois nos anos 2000 o sistema eletrônico tinha tomado conta dos procedimentos de largada, pois o piloto apertava um botão e o carro se encarregava de fazer o resto. A partir da temporada 2017, começaram a impedir que os engenheiros dessem informações para os pilotos, além de deixarem mapas pré-programados para auxiliar os pilotos.

A embreagem de um Fórmula 1 é bem sensível, por isso os pilotos precisam ir liberando aos poucos para que o carro não comece a patinar e fique girando as suas rodas sem sair do lugar. A reação depois que as luzes vermelhas se apagam precisam ocorrer de forma precisa, com o carro dando um pequeno pulo, mas continuando a sua saída do colchete depois.

Largar não é um procedimento simples, o piloto precisa ter controle da sua máquina, além de uma boa reação – Foto: reprodução

Alguns pilotos têm uma ótima reação na largada, mas depois perdem desempenho, isso de dá em parte pelas rodas ficarem rodando sem sair do lugar, mas até mesmo pelo piloto não ter aquecido os pneus de forma correta e não ter aderência naquele começo.

Durante a volta de apresentação, quando os pilotos deixam o grid fazendo um zigue-zague, eles estão preparando os pneus e freios para o início da corrida. Neste momento, é normal os líderes do grid fazerem o burnout – parece que eles estão queimando os pneus – mas na realidade o piloto está fazendo a temperatura dos freios subirem e por consequência, a dos compostos também é elevada.

via GIPHY

Os líderes costumam investir mais, pois vão ficar segundos a mais parados antes que todo o grid esteja posicionado para o começo da prova. Aqueles que não fazem isso, correm o risco de ter uma largada ruim, podendo até mesmo passar reto na primeira curva, pois não conseguem contar com os freios que não estão na temperatura ideal.

Sim, os pneus são parte essencial de uma corrida, portanto, o piloto também precisa controlar as temperaturas no início da corrida, mas durante toda a competição. Como aqui estamos falando essencialmente da largada, o piloto pode patinar se não contar com a aderência. O início determina o restante do seu desempenho nos próximos metros.

A largada acaba roubando um pouco de atenção em uma corrida, além de ser reprisada várias vezes, pois mescla esse início de vários pilotos. O competidor precisa estar atento aos adversários, saber se posicionar na pista, defender a posição, além de atacar o adversário. Em alguns circuitos, a largada é o melhor momento para ganhar alguma posição e realizar ultrapassagens.

Em 2017 durante o GP da Áustria, Bottas teve uma reação tão boa no início da corrida, que depois que as luzes vermelhas se apagaram o piloto levou 201 milésimos para fazer os procedimentos de largada e começar a corrida. Na época alguns pilotos afirmaram que Bottas tinha queimado a largada, no entanto, a reação do piloto foi boa mesmo. Ele venceu está corrida.

Quando o GP da Áustria acabou, Bottas disse: “Aqui as luzes vermelhas ficaram acesas mais tempo do usual. Você nessa hora está no grid com a rotação (da unidade motriz) bem alta e esperando, esperando. E ele soltou a embreagem no mesmo instante em que as luzes se apagaram, teve sorte. Eu fiz isso uma vez na F3 (foi campeão britânico em 2009)”.

No GP da Hungria de 2020, Bottas fez um movimento no colchete durante os procedimentos de largada, a roda do piloto se movimenta, onde o carro da um pulo, mas não foi considerado queima de largada, pois existe uma tolerância. A largada também é medida por um sensor, que neste caso não pegou uma queima de largada –  Bottas terminou a prova na terceira posição.

A atual dupla da Alfa Romeo é muito elogiada em suas largadas, principalmente por escalar o pelotão. No entanto, também temos exemplos ruins vindos do próprio Bottas, no GP da Hungria de 2021, o finlandês cometeu um erro, onde provocou uma batida e ocasionou outros toques pelo grid.

Para um piloto não ter uma boa largada, ele precisa não aquecer os pneus e freios adequadamente, não se posicionar corretamente no grid, provocar uma batida, não lidar direito com o torque do motor e patinar quando as luzes vermelhas se apagarem, além de perder posições no grid. Qualquer coisa que faça parte desta lista determina uma largada ruim.

Confira nosso novo vídeo falando sobre as largadas

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados