Fórmula ERedação

Antonio Felix Da Costa Vence e tem final de semana perfeito em Marrakesh

 
Foi realizado neste sábado (29) no Circuito Internacional Moulay El Hassan o 2020 Marrakesh E-Prix, quinta etapa da sexta temporada da ABB Formula E. E pela terceira vez consecutiva, o piloto português Antonio Felix da Costa (DS Techeetah) marcou presença no pódio, porém agora, no degrau mais alto.
 
Após ter conquistado a Julius Baer Pole Position, Da Costa se manteve na ponta após a largada,  perseguido de perto pelo alemão Maximilian Guenther (BMW i Andretti Motorsport), até chegou a perder a liderança durante algumas voltas. Mas logo utilizou o MODO ATAQUE para recuperar a ponta e receber a bandeirada em primeiro.
 
A vitória bateu na trave em duas oportunidades (Da Costa foi 2º colocado em Santiago e Cidade do México), e desta vez o piloto português conseguiu vencer em Marraquexe, inclusive superando o “trauma” da temporada passada, onde acabou se envolvendo em um acidente com o então companheiro de equipe na BMW i Andretti Motorpsort, Alexandre Sims, e viu a vitória certa escapar.
 
Com a conquista, Antonio Félix da Costa agora é o novo líder do campeonato com 67 pontos, 11 a mais do que o neozelandês e ex-líder Mitch Evans (Panasonic Jaguar Racing), que largou em último e teve que fazer um prova de recuperação, na qual terminou em sexto lugar.
 
O brasileiro Lucas di Grassi também teve que fazer uma prova de recuperação, após ter largado na 13ª posição. O piloto da Audi Sport ABT Schaeffler terminou a corrida em sétimo, o suficiente para se manter entre os cinco pimeiros colocados do campeonato.
 
Já Felipe Massa (ROKiT Venturi Racing) outra vez teve dificuldades no treino classificatório e largou na 19ª colocação. Durante a prova, o brasileiro conquistou sofreu para conseguir algumas posições e fechou apenas em 17º, ficando outra vez fora da zona de pontuação.
 
Confira como foi o 2020 Marrakesh e-Prix
Foto reprodução da Fórmula E
 
Largando na Julius Baer Pole Position, Antonio Félix da Costa se manteve à frente nas primeiras voltas, seguido por Maximilian Guenther. A largada não teve nenhum incidente, e o jovem holandês Nyck de Vries superou André Lotterer, assumindo a terceira colocação. Porém, o piloto da Mercedes Benz EQ acabou penalizado com um drive through, caindo para as últimas posições.
 
Após ter largado na 11ª posição, o atual bicampeão Jean-Eric Vergne deu inicio a uma série de ultrapassagens e em poucas voltas assumiu a sexta colocação. O piloto francês da DS Techeetah então soube utilizar o MODO ATAQUE no momento correto, e logo deixou para trás Sébastien Buemi (Nissan e.Dams), Edoardo Mortara (ROKiT Venturi Racing) e André Lotterer (Tag Heuer Porsche), alcançando a terceira colocação em 20 minutos de prova. Vale lembrar que JEV ficou ausente do primeiro treino livre em Marraquexe por conta de um problema de saúde (suspeita de coronavírus, que deu negativo).
 
Enquanto isso, Guenther se aproximou de Da Costa e conseguiu superá-lo, assumindo a liderança por algumas voltas. Mas o piloto alemão mencionou no rádio da equipe que suspeitava de que o português havia permitido a ultrapassagem para poder economizar energia, o que foi de fato confirmado algumas voltas mais tarde, quando Da Costa retomou a liderança usando o MODO ATAQUE e abriu uma boa diferença. 
 
No meio do pelotão, Mitch Evans (Panasonic Jaguar Racing) superou os problemas que enfrentou durante o treino classificatório e já aparecia no Top-10, seguido pelo brasileiro Lucas di Grassi (Audi Sport ABT Schaeffler).
 
Já Felipe Massa não conseguia impor um ritmo forte o suficiente para fazer uma prova de recuperação do nível de Evans e Di Grassi. Após ter largado em 20º, o piloto brasileiro da ROKiT Venturi racing chegou até a ocupar a 16ª posição durante algumas voltas, mas terminou na 17ª colocação.
 
Vergne e Guenther protagonizaram uma intensa batalha, com o piloto francês assumindo a segunda colocação a menos de cinco minutos do término da prova, enquanto Evans continuava sua escalada alcançando um impressionante sexto lugar.
 
Porém na volta final, Guenther fez uma manobra ousada e superou Vergne, recuperando a segunda colocação e evitando o segundo 1-2 da história da DS Techeetah na categoria de carros elétricos, enquanto Da Costa recebia a bandeira quadriculada confirmando sua terceira vitória na carreira na Fórmula E.
 
Ex-líder do campeonato, Evans terminou em sexto lugar, seguido por Di Grassi em sétimo. A volta mais rápida da prova foi de Pascal Wehrlein (Mahindra Racing), com 1:20.345.
 
A próxima etapa da ABB Formula E será em Roma, no dia 04 de abril, dando início a fase europeia da competição de carros 100% elétricos.
 
Depoimentos
Foto reprodução Fórmula E
 
“A vitória de hoje foi por conta da equipe. Eles me deram um carro incrível e estamos trabalhando juntos para melhorar. A corrida foi realmente muito mais difícil do que parecia. Eu tive que ser muito corajoso e inteligente para fazer a jogada correta. A certa altura,tTive que deixar o Max se aproximar muito e pressioná-lo a usar energia extra, enquanto no segundo MODO DE ATAQUE consegui recuperar a liderança. No final, funcionou perfeitamente! Planejamos a corrida muito bem e todo o trabalho em Paris valeu a pena. Tiro o chapéu para o JEV hoje que, apesar de ter tido uma semana difícil, conseguiu um pódio para a equipe”, disse Antonio Felix da Costa, piloto da Techeetah.
 
“Lutar contra os dois carros da DS TECHEETAH foi intenso. A corrida ficou muito emocionante quando o JEV me ultrapassou no final. Porém eu sabia que poderíamos fazer uma jogada, pois tinha uma vantagem energética sobre ele. Foi uma luta dura, mas ao mesmo tempo foi um jogo limpo. Acho que o que JEV fez hoje é impressionante. Eu tinha mais energia em relação a ele e isso fez a diferença nas últimas curvas. Além disso, Antonio foi inteligente em manter a liderança, então parabéns a ele!”, disse Maximilian Guenther, piloto da BMW i Andretti Motorsport. 
 
“Foi a corrida mais difícil de toda a minha carreira aqui na Fórmula E. Apesar de não ter participado dos treinos ontem, fiquei assistindo a tudo do hospital. Ainda não estava me sentindo bem hoje, mas a equipe fez um excelente trabalho. Durante a corrida, eu apenas abaixei a cabeça e dei tudo de mim. Quando meu engenheiro me disse no meio da corrida que eu estava em quarto lugar, eu não podia acreditar. Tive uma boa briga com Max no final, mas sabia ele acabaria me ultrapassando. Tentei defender o segundo lugar o máximo que pude, mas não tinha energia suficiente no carro. É um grande prazer voltar ao pódio”, Jean-Eric Vergne da Techeetah e companheiro de Da Costa. 
 
“Mais uma corrida de recuperação, fizemos o possível hoje mas não conseguimos ter o resultado esperado. Ainda assim terminamos em sétimo, conquistando seis pontos muito importantes para o campeonato. No momento não temos o melhor carro, mas estamos trabalhando muito para conseguir melhorar, pois essa é a unica forma de brigar pelo título. Por enquanto, vamos marcando o máximo de pontos que conseguirmos, tentando fazer o melhor possível e com isso, seguimos na quinta colocação geral”, Lucas Di Grassi, piloto Audi Sport ABT Schaeffler. 
 
“Os problemas de frenagem realmente prejudicaram meu fim de semana, e durante alguns momento não fui capaz de frear o carro da maneira correta. Por conta disso, não pude usar a linha ideal da pista por diversas vezes. Precisamos analisar o carro porque ele estava muito diferente aqui em Marraquexe, comparando com outras corridas desta temporada. Se conseguirmos entender o problema, estou confiante de que conseguiremos alguns pontos nas próximas corridas”, disse Felipe Massa da Rokit Venturi Racing. 
 
Mostrar mais

Rubens Gomes Passos Netto

Editor-chefe do BP, host do BPCast e colunista.

Artigos relacionados