ColunistaDestaquesFórmula 1Post

Raio-X – O final dramático em Abu Dhabi

O último capítulo da temporada 2021 foi dramático. Verstappen conquistou o título da temporada 2021 da Fórmula 1

A temporada de 2021 foi travada até o final, mas a realidade é que em uma disputa com lados, uma parte não pode ficar satisfeita com o resultado. Max Verstappen conquistou o seu primeiro campeonato mundial de Fórmula 1, fechando uma era onde ele conseguiu vencer Lewis Hamilton, o inglês que atualmente é o maior de todos os tempos.

Sem mais delongas, pois certamente ainda é necessário esmiuçar a temporada 2021, indo mais afundo nas disputas, derrotas e vitórias, deixemos isso para a retrospectiva da temporada, agora é a hora de falar sobre a última corrida do ano.

A definição do título

As escolhas do diretor de prova, mudaram o rumo final da corrida – Foto: reprodução

Antes de tudo, é necessário dizer que a temporada 2021 tem uma marca, algo que é relevante para as discussões futuras. A FIA interferiu na disputa, usou o regulamento, ou melhor, parte dele para dar um tom ainda mais acentuado para as disputas. O show foi orquestrado até o final, a última corrida foi apenas outro capítulo dessa mácula.

Tanto para quem torceu para Max Verstappen quanto para quem vibrou por Lewis Hamilton, o sentimento é mútuo, todos encerram a temporada acusando o outro lado: tivemos preferências, onde as duas partes se sentiram lesadas com as tomadas de decisão e avaliam que outro lado foi favorecido em alguns momentos.

Ao final da temporada, obviamente que em um campeonato definido por pontos, Verstappen conquistou mais pontos e saiu como o vitorioso, este é um critério para determinar um vencedor. Neste ano, tivemos dois pilotos que mereciam muito o campeonato, mostraram as suas particularidades. Este é um ponto para a discussão, mas também as interferências deram um direcionamento para qual tipo de show eles queriam.

O GP de Abu Dhabi foi marcado por um grande domínio de Lewis Hamilton, o piloto liderou 51 das 58 voltas da prova. O inglês conseguiu estabelecer uma distância confortável para Max Verstappen e foi apenas com a entrada do Safety Car provocado pela batida de Nicholas Latifi que as coisas mudaram.

O diretor de prova tirou apenas os pilotos que estavam entre Hamilton e Verstappen, que estavam sendo ultrapassados pelo líder. A última volta da corrida foi feita em bandeira verde, resgatando aquele espírito de emoção. Verstappen que estava de pneus macios por ter trocado os compostos nesta última ativação do DRS, fez a ultrapassagem em Hamilton que estava com pneus já velhos.

A corrida encerrou dando a vitória para Verstappen e por consequência a validação de que o campeonato estava decidido. Entretanto, a Mercedes entrou com um recurso para discutir a forma como as regras foram aplicadas e o modo como a corrida foi encerrada – A FIA informou que nada estava errado, pois o diretor de provas tem alguns poderes com relação a ativação e uso do Safety Car.

Mercedes

613.5 pontos

Lewis Hamilton era o líder da corrida até a relargada acontecer na última volta da prova – Foto: reprodução

A Mercedes fecha como líder do Campeonato de Construtores, o resultado de Lewis Hamilton e Valtteri Bottas contribuiu para que o time alemão vencesse pela oitava vez o mundial.

Durante o fim de semana eles se mostraram muito fortes, com um ritmo impressionante e se prepararam para a corrida. A pole não foi conquistada no sábado, neste quesito a Red Bull sobrou e optou por uma estratégia diferente a escolhida pelo time alemão. Hamilton e Bottas fizeram o Q2 com os pneus médios, buscando mais durabilidade dos compostos, mas além disso, usando mais uma vez, compostos que forneciam uma operação melhor para os seus carros, já que o W12 tinha muitos problemas com o superaquecimento dos compostos.

No domingo, para Hamilton de certa forma foi uma vantagem largar da segunda posição, este lado da pista costuma estar mais quente, em decorrência da posição da arquibancada que fica do lado oposto. Lewis largou muito bem, assumiu a dianteira, se envolveu naquele lance com Max Verstappen, onde para evitar uma colisão passou por fora da pista, mas precisou devolver a vantagem ganha.

Hamilton sobrou na corrida toda com o ritmo apresentado, liderou 51 das 58 voltas, mas perdeu a corrida por conta daquele período de Safety Car que ocorreu ao final da corrida. Outra coisa que está clara, é que no VSC provocado por Giovinazzi, ou no Safety Car do final da prova, a Mercedes não tinha muitas escolhas, se fizesse a parada com o seu piloto, provavelmente a Red Bull não faria, essas foram oportunidades perfeitas para descasar as estratégias.

O duelo entre Hamilton e Pérez foi brilhante, os dois pilotos se comportaram muito bem na pista, acrescentando um espetáculo particular na batalha final.

Valtteri Bottas teve um início de final de semana forte, mas a sua classificação não trouxe um resultado promissor. O finlandês fez uma corrida apagada, terminando na sexta posição, a mesma da largada. Talvez se ele estivesse um pouco mais à frente, a Mercedes tivesse a oportunidade de trabalhar uma estratégia diferente.

A Mercedes conquistou o oitavo título no Campeonato de Construtores.

Red Bull

585.5 pontos

Max Verstappen lidera uma volta e vence GP de Abu Dhabi – Foto: reprodução Red Bull

Max Verstappen conquistou o título neste domingo, o holandês fez um grande campeonato, travou batalhas importantes. A corrida em Abu Dhabi foi um pouco fora do esperado, a Red Bull avaliou que os pneus macios eram bons compostos para se trabalhar na classificação e corrida, portanto eles deram preferência para começar a prova com esse tipo de pneu.

O traçado de Yas Marina é favorável para a entrada do Safety Car, mas também por ser a última corrida do ano, é comum alguns pilotos não completarem a prova. Verstappen largou com os pneus macios, foi ultrapassado por Hamilton e teve que lidar com um gap para o primeiro colocado.

Os pneus usados por Verstappen acabaram antes, portanto o piloto fez a sua parada na décima terceira volta, enquanto Hamilton respondeu no giro seguinte. A Red Bull se aproveitou do VSC e Sefety Car para fazer paradas adicionais e ter pneus mais novos em uma futura disputa, portanto o holandês tinha pneus melhores para fazer a corrida e talvez travar um possível duelo com Hamilton.

Sergio Pérez começou a corrida da quarta posição, mas foi fundamental naquele momento que travou a disputa com Hamilton, pois o mexicano fez Verstappen se aproximar do rival. Diferente do observado em Bottas, Pérez foi usado para ajudar o companheiro de equipe, pela posição que estava na pista. Por um problema no motor e com medo da atuação do Safety Car alongar, a Red Bull optou por retirar Pérez da corrida. A estratégia de pneus trabalhada em Verstappen, foi parcialmente semelhante a adotada para Pérez.

Apesar da forma como a corrida acabou e todos os questionamentos que a FIA deixou, Verstappen ou Hamilton mereciam o título da temporada 2021.

Ferrari

323.5

Carlos Sainz apareceu no pódio de Abu Dhabi, concretizando mais uma grande conquista na temporada – Foto: reprodução Ferrari

A dupla da Ferrari começou o final de semana dentro do top-10 e também de uma forma um pouco apagada, mas na classificação, Carlos Sainz conquistou o P5, enquanto Charles Leclerc foi o P7.

Em uma corrida focada na briga pelo título, os pilotos da Ferrari pouco apareceram, Sainz fez um início corrida de forma discreta figurando em quarto lugar, pois fez a ultrapassagem em Lando Norris no começo da prova. Enquanto Sainz trabalhou com a estratégia de apenas uma parada, Charles Leclerc teve que lidar com duas trocas de pneus. Por conta das duas mudanças de compostos, o monegasco perdeu um pouco de terreno, nas batalhas, concluindo a corrida apenas na décima posição.

O resultado de Sainz, reflete a temporada do espanhol, pois além do pódio em Abu Dhabi, ele teve outros resultados semelhantes ao longo do ano, refletindo um grande amadurecimento e competitividade. Os resultados da dupla confirmaram a Ferrari na terceira posição do Campeonato de Construtores.

McLaren

275 pontos

Lando Norris poderia ter um resultado melhor, mas precisou fazer outra parada por conta de um pneu furado – Foto: reprodução McLaren

Com a definição do terceiro lugar dos Construtores para a Ferrari, a McLaren completou o ano na quarta posição. Lando Norris fez uma grande classificação, obtendo o P3, superando pilotos como Sergio Pérez e Valtteri Bottas. A corrida do inglês foi muito boa, mesmo perdendo o P3 para Pérez e Sainz, Lando estava fazendo uma corrida consistente, entretanto, novamente em uma questão com os pneus, fez o piloto recorrer a uma segunda parada. Norris precisou abandonar os pneus duros, pois teve um furo, desta forma perdeu espaço no grid, precisando se contentar com o sétimo lugar.

Daniel Ricciardo começou a corrida em P10, mas após a parada precisou lidar com o trânsito. O piloto australiano também foi prejudicado pela decisão de não reorganizar os carros no período do Safety Car. Ricciardo fez uma segunda parada quando o Safety Car entrou, os pneus macios foram instalados em seu carro, a McLaren contava com a possibilidade de participar de uma disputa, mas só assistiu há definição do título de camarote.

Alpine

155 pontos

Fernando Alonso e Esteban Ocon terminaram mais uma corrida nos pontos – Foto: reprodução

As escolhas estratégias para a dupla da Alpine melhoraram muito ao longo do ano, e mesmo não sendo tão competitivos durante algumas classificações, tanto Esteban Ocon como Fernando Alonso, conseguiram partir para batalhas importantes, gerir os pneus e terminar a prova nos pontos.

Este foi mais um exemplo. Ocon participou do Q3, mas Alonso ficou preso no Q2, o espanhol começou a corrida com os pneus duros, alongou o stint e conseguiu terminar a corrida na zona de pontuação conquistando o oitavo lugar. Ocon teve as suas disputas particulares, mas fechou a prova em P9, ajudando a confirmar a Alpine na quinta posição dos Construtores.

AlphaTauri

142 pontos

Yuki Tsunoda terminou a prova na quarta posição, a melhor desde a sua estreia na categoria – Foto: reprodução AlphaTauri

Uma das corridas mais brilhantes da AlphaTauri na temporada, mas que também pouco ganhou destaque da transmissão, fora que ao final da corrida, o resultado demorou para sair, afinal, o aplicativo onde é possível acompanhar a resolução da corrida, simplesmente deixou todo mundo na mão na última disputa do ano.

Yuki Tsunoda teve o papel de representar a AlphaTauri no Q3, enquanto Pierre Gasly precisou lidar com o tráfego na pista. Entretanto, o saldo foi extremamente positivo para os dois pilotos. Tsunoda largou da oitava posição, conseguiu reverter a classificação no P4. É claro que o furo no pneu de Norris e o abandono de Pérez contribuíram para o resultado. O japonês disputou espaço na pista com Bottas. Tsunoda estava se sentindo mais confiante em Abu Dhabi, principalmente pela prova ocorrer em um traçado que ele já conhecia. O japonês fechou a temporada com o seu melhor resultado.

Pierre Gasly que não teve uma boa classificação, contou com uma estratégia adequada da equipe para ganhar posições no grid e finalizar a prova na quinta posição, o francês superou Bottas. Ver a equipe conseguindo estipular uma boa estratégia foi um ponto muito positivo, pois eles cometeram muitos erros ao longo do ano. A forma de Gasly guiar e lidar com os pneus, também colaborou para o resultado.

Aston Martin

77 pontos

Sebastian Vettel e Lance Stroll encerram a temporada mais uma vez com um desempenho complicado – Foto: reprodução Aston Martin

A Aston Martin teve mais um fim de semana apagado, além de escolher os piores momentos para liberar a sua dupla de pilotos na pista quando eles precisavam buscar a melhor volta na classificação. Por mais que Sebastian Vettel e Lance Stroll possam ter se esforçado para obter um bom resultado, Abu Dhabi se mostrou uma pista inadequada para os seus carros, além disso, o próprio desempenho deles não acaba contribuindo para resultados melhores.

Williams

23 pontos

Nicholas Latifi bateu, provocando uma mudança no rumo da prova – Foto: Williams

A Williams fechou a temporada com os dois carros não completando a prova. George Russell foi forçado a abandonar a corrida na volta 26, mas o seu carro não estava rendendo em Abu Dhabi, no traçado em questão, ele se quer conseguiu superar o companheiro de equipe na classificação e também não participou do Q2.

Em Abu Dhabi é muito comum alguns carros apresentarem problemas, é também a última corrida da temporada, os equipamentos chegam lá bem desgastados.

Nicholas Latifi superou o companheiro de equipe na classificação e mesmo fazendo uma corrida no final do grid, disputou espaço com Mick Schumacher da Haas, entretanto, foi em uma dessas disputas que ele se tocou com o piloto alemão. Latifi foi o piloto que provocou a neutralização da corrida que gerou a entrada do Safety Car. Por conta da torcida exaltada, Latifi foi responsabilizado pelo público pela mudança de mãos que o título sofreu. O piloto foi atacado em suas redes sociais, entretanto, o canadense estava apenas disputando, como fez em outras corridas, a questão é que ela acabou de uma forma ruim.

Alfa Romeo

13 pontos

A Alfa Romeo está prestando uma homenagem para Kimi Raikkonen, em seu carro será possível ver “Dear Kimi, we will leave you alone now” – Foto: reprodução Alfa Romeo

Na corrida de despedida de Antonio Giovinazzi e Kimi Raikkonen, os dois pilotos não completaram a prova. O italiano levou o carro até o Q2, superando mais uma vez o companheiro de equipe. Giovinazzi começou a corrida de P14, avançando para P13 após a largada, o piloto teve suas batalhas particulares, mas abandonou a corrida na volta 37, pela área que ficou parado na pista, um VSC foi ativo.

Raikkonen abandonou a corrida algumas voltas antes, ela ocorreu na volta 25, o piloto danificou a asa dianteira quando passou reto por uma área de escape, com problemas nos frios, ele precisou parar nos boxes, encerrando a sua participação na Fórmula 1 desta forma. O finlandês não passou o final de semana se questionando sobre como seria o resultado da prova, ou se quer como vão lembrar dele na categoria. Entretanto, muitos fizeram questão de homenagear e provar que a sua passagem pela F1 foi importante.

Homenagens foram prestadas aos pilotos da Alfa Romeo, pela equipe e também pela categoria. Raikkonen se despede de vez da Fórmula 1, enquanto Giovinazzi deseja retornar em outro momento para a categoria.

Haas

0 pontos

A contou apenas com Mick Schumacher na etapa final – Foto: reprodução Haas

Não é nenhuma novidade ver a Haas nas últimas posições do grid, mas a novidade foi não ver Nikita Mazepin em pista. O piloto russo participou dos treinos livres e classificação, mas no domingo recebeu um teste positivo de Covid-19, desta forma ficou impossibilitado de correr. Como Pietro Fittipaldi não tinha participado de nenhuma sessão, a Haas precisou correr com apenas um carro.

Mick Schumacher por sua vez superou George Russell na primeira volta, o piloto da Haas ficou nesta disputa particular com os pilotos da Williams, mas ele se tocou com Latifi – gerando o incidente que provocou a entrada do Safety Car. Por conta dos abandonos, Schumacher terminou a corrida na décima quarta posição.

Outro ponto

A temporada se encerrou desta forma, entretanto, a Mercedes pode prosseguir com o recurso para análise das decisões que foram tomadas na fase final da prova. Max foi declarado campeão da temporada 2021.

A corrida em Abu Dhabi foi agitada, as mudanças no traçado não contribuíram para uma corrida mais movimentada com mais chances de ultrapassagem, mas a diferença dos asfaltos, mostrou que alguns times estavam tendo mais dificuldade para compreender a aderência diferente naquele trecho.

Escute o nosso podcast! 

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados