ColunistaFórmula 1Post

Preview GP da Turquia – Qual o show teremos agora?

Pista em fase de maturação, previsão de chuva, disputa acirrada do campeonato e imprevisibilidade. O que o GP da Turquia reserva?

O GP da Turquia será disputado como a 16ª etapa da temporada 2021. O circuito de Istambul retorna mais uma vez ao calendário da Fórmula 1 neste ano, depois que o GP do Japão foi cancelado, portanto está é mais uma oportunidade que surgiu para a realização de outra por lá.

A pista tinha recebido a última prova da F1 em 2011, mas por conta da pandemia de Covid-19 e a necessidade de realizar o campeonato passado, a Turquia voltou mais uma vez para a rota da categoria.

Em 2020 foi possível ver Lewis Hamilton conquistar o seu sétimo título mundial, mas também atingir a marca de 94 vitórias. O inglês atingiu mais uma marca de Michael Schumacher, portando, certamente este foi mais um motivo para marcar está prova em nossas memorias.

Hamilton conquista o seu sétimo título no GP da Turquia – Foto: reprodução Mercedes/Daimler

A chuva marcou todo o desenrolar do fim de semana. No sábado a classificação foi bem movimentada e ninguém poderia imaginar que Lance Stroll conquistaria a sua primeira pole, superando Max Verstappen que na ocasião estava com um pouco mais de dificuldade para encaixar uma boa volta.

Lance Stroll se aproveitou da chuva no sábado para conquistar a primeira pole da carreira – Foto: reprodução

A última prova na Turquia foi marcada pelo caos, a pista foi recapeada duas semanas antes da Fórmula 1 realizar a sua prova. Os pilotos estavam rodando pelo circuito como se estivessem no gelo, era complicado lidar com a falta de aderência. A chuva contribuiu para aumentar o nível de dificuldade e, na volta de saída dos boxes Antonio Giovinazzi e George Russell bateram.

Com a pista úmida no início, a Red Bull teve mais dificuldade com o equilíbrio do carro, mas conforme o traçado foi secando e os pilotos se aproximavam da parada nos boxes, ficou um pouco mais fácil guiar.

LEIA MAIS: Raio-X do GP da Turquia

Hamilton começou a prova da sexta posição, enfrentou dificuldade para realizar ultrapassagens. Com a prova se aproximando do final, os times estavam considerando realizar uma segunda parada. Aqueles que pararam, tiveram um pouco de dificuldade nas primeiras voltas com os novos pneus intermediários. No entanto, Hamilton viu a oportunidade de permanecer na pista e praticamente transformar os seus pneus intermediários para chuva, em slick. Por ter seguido na pista, conquistou a vitória.

Certamente 2020 foi uma loucura para os times, pois eles tiveram que lidar com uma pista onde não tinham muitas informações, enquanto precisavam redescobrir como lidar com as condições do asfalto.

Pneus e Pista

Para 2021 os times não vão estar completamente às cegas, mas a Pirelli mudou o tipo de pneus que será usado. As equipes agora têm alguma informação, mas ainda será um momento para aprender e tentar coletar a maior quantidade de dados que for possível durante os treinos livres.

LEIA MAIS: GP da Turquia – Pirelli muda escolha dos pneus e aposta em gama intermediária

A fornecedora de pneus apostou na gama mais dura de compostos em 2020, mas desta vez a Pirelli vai fornecer a gama intermediários. Os times vão trabalhar com 13 conjuntos, divididos entre 2 jogos do C2 (duro – faixa branca), 3 jogos do C3 (médio – faixa amarela) e 8 jogos do C4 (macio – faixa vermelha).

Tabela dos pneus para o GP da Turquia – Foto: Ale Ranieri/BP

Durante a prova os times vão disputar 58 voltas. A pista oferece um certo desafio para os pneus por conta das forças que acabam atuando neles. A curva 8 é a mais crítica, mas o restante do circuito também exige atenção, principalmente por conta da combinação de inclinação e mudanças. O circuito é feito em sentido anti-horário, algo que foi escolhido justamente para aumentar a dificuldade. O primeiro setor da pista é um dos mais complicados e demanda muita atenção do piloto, tanto em volta rápida, quanto na tentativa de realizar uma ultrapassagem.

O Istambul Park conta com duas zonas de ativação do DRS, a primeira ativação ocorre entre as curvas 11 e 12, enquanto o segundo trecho de ativação está localizado entre a curva 14 e 01. 

Ter a oportunidade de fazer a prova de cara para o vento é muito melhor do que ser o piloto que vai precisar atacar tentando buscar uma ultrapassagem.

Motores

Carlos Sainz vai receber a atualização do motor na Turquia, após Charles Leclerc ter testado a nova unidade de potência em Sochi. O espanhol da Ferrari então vai começar a corrida do final do grid.

Outras equipes também podem aproveitar o momento para realizar a troca do motor, principalmente a Aston Martin com Sebastian Vettel e a Williams com George Russell. O grande questionamento é se a Mercedes vai fazer a troca do motor utilizado por Lewis Hamilton.

Mercedes ou Red Bull?

Difícil dizer, depois do desempenho apresentado pela Mercedes na temporada passada, poderíamos dizer que é um circuito para o time alemão. No entanto, no ano passado a Red Bull enfrentou dificuldades por conta da chuva – se ela der as caras neste ano mais uma vez, se torna uma loteria, onde tudo pode acontecer. 

A Red Bull melhorou nas largadas, enquanto a disputa entre o time austríaco e o alemão está mais equilibrada. Portanto, ainda que a Mercedes tenha uma vantagem, o time precisa saber se o motor conseguirá entregar toda a potência que Hamilton necessita para garantir e administrar a ponta. 

LEIA MAIS: SÉRIE CIRCUITOS DA F1: Istambul 

Em pista seca, a Red Bull pode ter a chance de conquistar alguns pontos valiosos. Quando ao motor, o time austríaco está sossegado, pois já fez a troca do motor de Max Verstappen e o holandês ainda beliscou um pódio no GP da Rússia.

Pontos na superlicença

Depois do GP da Rússia chegamos no Istambul Park com a seguinte situação: Daniel Ricciardo está zerado agora. O australiano entrou em 2021 com apenas um ponto, mas ele expirou depois do GP da Rússia.

LEIA MAIS: Os pilotos e suas pontuações… de penalidades

Lance Stroll conta com 8 pontos, o canadense recebeu mais 2 pontos em Sochi por ter causado uma colisão com Pierre Gasly na curva 8. A punição tem validade de 12 meses, portanto o piloto se coloca em uma posição complicada até o final da temporada.

Lembrando que aquele piloto que acumular 12 pontos em um período de 12 meses, fica suspenso por uma corrida.

Expectativas

O GP da Turquia promete ser movimentado, principalmente se tivermos a atuação da chuva – que tem previsão para cair no sábado e domingo. Portanto se ao menos ela cair no sábado, a classificação pode bagunçar o grid e deixar a corrida mais emocionante.

De qualquer forma o campeonato segue disputado, Lewis Hamilton está na liderança com 246.5 pontos, contra 244.5 de Max Verstappen.

Também estamos vendo outras disputas no grid, como a luta da Alpine, AphaTauri e Aston Martin pelo quinto lugar dos construtores. Vettel esteve no pódio com a Ferrari no ano passado, portanto é um piloto que devemos ficar de olho neste ano.

Tudo depende do clima, principalmente para que os times encontrem o acerto ideal para os carros. A prova promete ser mais um capitulo emocionante na disputa do campeonato 2021.

Agenda com os horários do GP da Turquia – Foto: Ale Ranieri – BP
Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados