ColunistaFórmula 1Post

Pódio surpreendente em Baku! Pérez vence, Vettel conquista primeiro pódio com a Aston Martin e Gasly fica com o terceiro lugar

Ninguém esperava que Max Verstappen e Lewis Hamilton deixariam o GP do Azerbaijão zerados

A corrida em Baku não foi exatamente a prova maluca que muitos esperavam, mas contribuiu para o agito do campeonato de pilotos e construtores. Um passeio quase tranquilo, até a aproximação das voltas finais. A estratégia estabelecida pela Red Bull devolveu Max Verstappen à frente de Lewis Hamilton depois das paradas nos boxes, a equipe austríaca conseguiu fazer o mesmo com Sergio Pérez, desta forma colocou o mexicano na segunda posição.

A Red Bull não podia imaginar, mas isso fez muita diferença, pois ao final da prova Sergio Pérez receberia a bandeira quadriculada na primeira posição, vencendo uma prova pela segunda vez na carreira. Mas o mais importante era, eles tinham um piloto que a equipe poderia contar, principalmente em um momento de ‘aperto’.

Vale dizer que este é o terceiro pódio de Pérez no Azerbaijão! 

Charles Leclerc perdeu espaço para o inglês da Mercedes após poucas voltas do início da prova, a Ferrari não conseguia sustentar o bom redimento obtido na classificação. O monegasco ainda foi ultrapassado pela dupla da Red Bull, deixando caminho livre para o embate entre Mercedes e Red Bull.

E a corrida segue! 

Mas como a prova só termina na última volta, ainda tivemos uma reviravolta e o modo corrida maluca foi ativado. A Red Bull que parecia estar tranquila na ponta, mas viveu um drama: o pneu de Max Verstappen estourou na volta 46 e o holandês bateu na reta dos boxes, abandonando a corrida. Sergio Pérez assumiu a liderança da prova e Lewis Hamilton ficou com a segunda posição.

A FIA optou por realizar uma paralisação com o regime de bandeira vermelha, deixar as equipes realizarem algumas modificações nos carros e recomeçar a prova (inclusive os pneus), para completar a prova.

Lance Stroll foi outro piloto que bateu quase que da mesma forma como Verstappen, o piloto da Aston Martin largou com os pneus duros e não teve a chance de realizar uma parada, pois enfrentou problemas antes. Mas a estratégia estabelecida pela Aston Martin era boa para os dois pilotos – como em Mônaco – e foi realmente uma pena o canadense abandonar a prova. Sebastian Vettel surgiu no pódio com a terceira posição, após largar do décimo primeiro lugar.

O novo começo

Aí o final maluco entrou em ação!

Sergio Pérez quase perdeu a liderança para Lewis Hamilton, quando o piloto tentou investir em uma ultrapassagem. No entanto, o piloto da Mercedes passou reto e caiu para a décima quinta posição, perdendo o pódio do GP do Azerbaijão.

Tudo o que a Red Bull precisava, pois Hamilton não estava no pódio, desta forma terminou a prova zerado como Max Verstappen. Além disso a equipe austríaca tinha ainda um pouco mais de vantagem, pois ainda contou com a vitória de Sergio Pérez e os dois carros da Mercedes fora da zona de pontuação.

Pierre Gasly teve um bom fim de semana e se aproveitou do abandono de Hamilton para terminar no pódio, conquistando o terceiro lugar. Um grande momento também para a AlphaTauri, que após enfrentar uma queda de desempenho, terminou o GP do Azerbaijão com os dois carros nos pontos, já que Yuki Tsunoda conquistou o sétimo lugar.

E na briga Ferrari e McLaren?

Bom, os quatro pilotos pontuação, Charles Leclerc conquistou o quarto lugar, Lando Norris foi o quinto, Carlos Sainz ficou com o oitavo lugar, realizando uma corrida de recuperação e Daniel Ricciardo ficou com o nono lugar. A disputa entre estes dois times segue viva.

A Ferrari assumiu a terceira posição do campeonato com 94 pontos, enquanto a McLaren fechou a etapa com 92 pontos.

O GP do Azerbaijão é assim, fornece uma prova interessante, mas também resultados positivos. Fernando Alonso conquistou a sexta posição, enquanto Kimi Raikkonen que terminou em décimo conquistou mais um ponto para a Alfa Romeo, mas também obteve o seu primeiro ponto do ano.

Saiba como foi o GP do Azerbaijão

Finalmente chegou o GP do Azerbaijão, mesmo com a corrida em Mônaco não sendo tão eletrizante, deixou o campeonato mais disputado. Desta forma, a corrida no Baku gerava uma grande expectativa, acumulada justamente pela corrida passada.

Antes do início da prova, a temperatura na pista estava na casa dos 40°C com 25°C no ambiente, uma pista mais fria do que aquela encontrada no sábado. Os pneus eram a grande preocupação do fim de semana justamente por conta das áreas de sombra na pista.

O grid de largada ficou definido desta forma: 

Lando Norris largou da nona posição, após ser punido no sábado.

Falando sobre os pneus, do primeiro ao décimo terceiro, todos estavam apostando nos pneus macios. Raikkonen, Russell e Latifi largaram com os médios. Apenas Stroll estava utilizando os compostos duros.

A largada ocorreu com Hamilton tentando atacar Leclerc, mas o piloto da Ferrari conseguiu manter a primeira posição. Pérez ultrapassou Sainz e Gasly na primeira volta, assumindo a quarta posição. Foi uma largada tranquila, sem incidentes e sem nenhum piloto usando as áreas de escape.

Antonio Giovinazzi que largou da última posição, terminou a primeira volta em décimo quinto. Mas Lando Norris caiu para o décimo segundo lugar e segunda volta foi ultrapassado por Daniel Ricciardo.

George Russell foi para os boxes na segunda volta, precisando trocar os pneus e retornou na vigésima posição de pneus duros.

Foi na terceira volta, que Hamilton usou o vácuo do carro de Leclerc para assumir a primeira posição depois de ultrapassar o monegasco. Max Verstappen já estava andando abaixo de um segundo, buscando realizar a ultrapassagem no monegasco.

Na quarta volta Esteban Ocon abandonou a prova com falta de potência no motor. Giovinazzi tinha caído para o décimo oitavo lugar depois de realizar uma parada, colocando os pneus duros assim como Russell, na tentativa de ganhar algumas posições quando os outros pilotos fizessem as suas paradas.

Durante a sexta volta, os dez primeiros eram: Hamilton, Leclerc, Verstappen, Pérez, Gasly, Sainz, Alonso, Tsunoda, Vettel e Bottas.

Verstappen assumiu a segunda posição na sétima volta ao usar o DRS para concluir a ultrapassagem. O holandês estava separado do inglês por apenas 1s5. Pérez se aproximou de Leclerc e na volta seguinte assumiu o terceiro lugar. Nesta oitava volta ainda foi possível ver Fernando Alonso e Lando Norris realizaram suas paradas, retornando com os pneus duros.

Na décima volta foi a vez de Charles Leclerc seguir para os boxes, o mesmo aconteceu com Yuki Tsunoda da AlphaTauri e Nicholas Latifi da Williams que também apostaram no uso dos pneus duros.

Com a rodada de paradas, as posições estavam se alternando. Carlos Sainz foi para os boxes, retornou com os pneus duros, passou direto na área de escape da curva oito por conta dos pneus frios, mas conseguiu retornar para a pista – no entanto tinha perdido muitas posições, ficando no décimo quinto lugar, precisando realizar uma corrida de recuperação.

Na volta 12 foi a vez de Hamilton e Bottas realizar as suas paradas. E claro que na volta 13 a Red Bull respondeu a parada da Mercedes e conseguiu devolver Verstappen à frente do inglês. Uma guerra nas paradas, a executada pela equipe alemã foi lenta, enquanto a Red Bull deu show na troca do holandês.

Na volta 14 a Red Bull parou Pérez, não foi uma parada incrível, mas o mexicano ganhou a posição de Hamilton quando retornou para a pista. Vettel assumiu a liderança da prova e estava aproveitando a pista livre.

Desta forma os dez primeiros eram: Vettel, Verstappen, Pérez, Hamilton, Stroll, Gasly, Leclerc, Tsunoda, Norris e Bottas. Giovinazzi estava na décima quinta posição, ganhando espaço após as paradas realizadas pelos rivais. Entre os dez, Vettel e Stroll não tinham realizado uma parada ainda. 

Vettel abandonou a liderança da prova com a parada realizada na décima nona volta. O alemão retornou em sétimo, com pneus duros mais novos que todo o pelotão. Enquanto isso Hamilton fazia muito esforço para tentar ultrapassar Pérez, mesmo andando abaixo de um segundo, ele não conseguia concluir a manobra.

Sainz demorou para realizar a ultrapassagem em Giovinazzi, mas ganhou a décima terceira posição na volta 24.

Mazepin rodou na curva 4, quando o russo retornou para a pista estava prestes a ser ultrapassado por Verstappen, tomando uma volta do líder. Mas o piloto da Haas não dificultou a ultrapassagem para o piloto da Red Bull.

Na volta 30 os dez primeiros eram: Verstappen, Pérez, Hamilton, Stroll, Gasly, Leclerc, Vettel, Tsunoda, Norris e Bottas. O holandês estava com mais de 6 segundos de vantagem para Pérez, enquanto o mexicano tinha mais de 2 segundos de vantagem para Hamilton que precisou se distanciar do piloto da Red Bull.

Lance Stroll bateu forte na volta 31 e o Safety Car entrou na pista. O pneu traseiro esquerdo do piloto furou após perder pressão. A pista precisou ser limpa e o Safety Car permaneceu na pista para a remoção do carro do canadense.

Os boxes foram abertos na volta 35, desta forma vários pilotos realizaram uma segunda paradas, como Alonso, Giovinazzi, Russell e Schumacher. Mas a parada do piloto da Haas teve problemas e os mecânicos precisaram empurrar o carro para terminar a parada.

A relargada aconteceu na volta 36, Verstappen dominou a ponta, acompanhado por Pérez e Hamilton, enquanto Vettel ultrapassou Leclerc e assumiu a quinta posição após o monegasco travar os compostos, o alemão logo foi atacar Gasly. Bottas caiu para a décima segunda posição depois da relargada, desta forma Ricciardo assumiu o décimo lugar.

Na volta 37 Vettel que estava com um bom ritmo e desfrutando dos pneus mais novos, concluiu a ultrapassagem em Gasly para assumir a quarta posição. Bottas perdeu mais uma posição, desta vez para Kimi Raikkonen da Alfa Romeo.

O finlandês virou uma chicane na pista e também perdeu a décima terceira posição para Giovinazzi.

Com menos de 10 voltas para o final, Hamilton ficou impossibilitado de atacar Pérez e como nenhuma equipe estava indicando parar mais uma vez o inglês ‘estava se contentando’ com a terceira posição.

Na volta 46 Max Verstappen bateu na reta e o pneu traseiro esquerdo do piloto da Red Bull tinha estourado na reta dos boxes, bem parecido com o que aconteceu com Lance Stroll. Sergio Pérez assumiu a liderança, desta forma Hamilton assumiu a segunda posição, enquanto Sebastian Vettel era o terceiro colocado, formando o pódio da prova.

Os pilotos começaram a passar pelos boxes, para evitar os destroços do carro do holandês. O campeonato mudou com este abandono de Verstappen.

Na volta 48 a corrida foi paralisada em regime de bandeira vermelha para a limpeza na pista e todas as equipes tiveram a oportunidade de realizar modificações nos carros.

Com a paralisação, os dez primeiros eram: Pérez, Hamilton, Vettel, Gasly, Leclerc, Tsunoda, Norris, Sainz, Ricciardo e Alonso.

A FIA optou pela largada parada, os pilotos deixaram os boxes e se alinharam no grid; todos os carros estavam com os pneus macios instalados para ter mais aderência. Hamilton atacou Pérez, mas se deu mal e perdeu a segunda posição, caindo para o décimo sexto lugar. O mexicano assumiu a liderança, Vettel ficou com o segundo lugar e Gasly ficou o terceiro lugar. Raikkonen entrou nos pontos desta forma, ficando com a décima posição.

Enquanto isso Leclerc e Gasly estavam batalhando pelo terceiro lugar, com o monegasco e o francês alternando as posições até a última volta.

Pérez recebeu a bandeira quadriculada na primeira posição com a Red Bull, acompanhado por Sebastian Vettel na segunda posição em seu primeiro pódio conquistado com a Aston Martin. Gasly conseguiu garantir a terceira posição com a AlphaTauri. Os dois carros da Mercedes terminaram fora dos pontos!

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados