ColunistaFórmula 1Post

Valtteri Bottas lidera segundo dia de atividades, enquanto RB16B com Pérez perde a tampa do motor

Os times concluíram o segundo dia de testes no Bahrein, Aston Martin enfrentou problemas na manhã; sessão segue bem movimentada

Neste sábado (13) a Fórmula 1 realizou o seu segundo dia de atividades, muitos testes aerodinâmicos e avaliação dos equipamentos, os pilotos também investiram nas voltas em modo de simulação de corrida.

Os ventos seguem como uma questão para a atividade, já que eles mudam radicalmente em vários momentos da sessão, desta forma em alguns momentos os carros acabam perdendo rendimento já que eles são bem afetados pelas rajadas.

Fernando Alonso marcou o seu retorno neste dia de testes e durante a parte da manhã o piloto tentou mostrar uma boa velocidade da Alpine e praticamente travou uma disputa com a McLaren pela ponta da tabela de tempos. Mas durante a sessão da tarde ele focou no acúmulo de quilometragem e voltas em modo de simulação de corrida.

Nesta atividade também vimos Sergio Pérez guiando com a Red Bull, e o piloto protagonizou uma cena curiosa quando a tampa do motor acabou se soltando do carro e se transformando em vários pedaços.

Daniel Ricciardo foi o líder da manhã com a McLaren, enquanto Pierre Gasly assumiu a ponta da atividade verspertina com a AlphaTauri, após travar uma boa disputada com Lando Norris da McLaren e Antonio Giovinazzi da Alfa Romeo.

Confira em detalhes o que ocorreu no segundo dia de testes no Bahrein

Manhã

Os ventos no circuito do Bahrein seguiam intensos, na tarde do primeiro dia eles acabaram carregando muita areia para a pista prejudicando a visibilidade dos pilotos e até mesmo a sessão.

O segundo dia de atividades começou rapidamente, assim que os boxes foram liberados, Daniel Ricciardo liderou a saída, acompanhado por Latifi com a Williams. A pista ainda estava um pouco suja, mas os pilotos passaram a realizar as suas voltas de instalação. No entanto, quem roubou a cena logo nos primeiros minutos foi Lewis Hamilton, a Mercedes que enfrentou problemas com o câmbio nas primeiras horas de atividade na sexta-feira, logo liberou o inglês para a coleta de dados.

Hamilton registrou os primeiros tempos com os pneus duros, mas estava com a grade de aferição aerodinâmica localizada na parte frontal do carro. Pouco depois foi a vez de ver o retorno de Fernando Alonso, o piloto deu apenas uma volta com uma grade localizada na parte traseira do carro, para instantes depois retornar para o circuito e investir na melhora dos seus tempos e giros.

A primeira hora estava sendo dedicada para alguns testes aerodinâmicos. Mas os pilotos já estavam trabalhando em voltas mais agressivas e os tempos que começaram altos, passaram a apresentar uma queda. Mazepin liderou a primeira meia hora de atividade até Carlos Sainz assumir a ponta com 1m33s072 com os pneus médios.

A Ferrari também estava realizando outros testes, o carro de Carlos Sainz apareceu equipado com duas luzes na parte traseira, elas acabam coletando várias informações do que acontece na traseira do carro durante a volta no circuito.

Era um dia de estreia, tanto para Fernando Alonso que estava retornando para a categoria, como para Sergio Pérez que assumiu o comando do RB16B já na Red Bull. 

Os testes seguiram, alguns pilotos como Sainz, Vettel e Ricciardo deram algumas voltas com o pneu protótipo da Pirelli, a fornecedora de compostos está em busca de uma avaliação, tentando atestar as diferenças entre os pneus produzidos na fábrica da Turquia e Romênia. Mas os times ainda estavam dando preferência para a coleta de dados com os pneus duros e médios que já estão acostumados. 

Outros testes começaram quando os pilotos adentraram na segunda hora de atividades como por Daniel Ricciardo partindo para a pista com o flow-vis espalhado na lateral esquerda do carro, mais um método para a coleta de dados aerodinâmicos, para entender a passagem do ar no carro.  

Após completar seis voltas com o carro da Aston Martin, Sebastian Vettel retornou para os boxes com problema na caixa de câmbio. É o segundo carro com motor Mercedes passando por problemas em dois dias de atividade.

LEIA MAIS: Sebastian Vettel enfrenta problemas com Aston Martin no segundo dia de testes no Bahrein 

Restando pouco mais de 1h40 de sessão, Lewis Hamilton provocou uma bandeira vermelha, o piloto perdeu a traseira do carro na curva 13 e ficou atolado na brita. No momento o piloto estava com o flow-vis espalhado em parte da lateral esquerda do carro e já havia completado 35 voltas.

A sessão foi reestabelecida cerca de 10 minutos depois já que a remoção do carro de Hamilton ocorreu de forma rápida. E assim que o W12 chegou aos boxes, o time realizou uma avaliação e o inglês foi devolvido para a pista podendo participar da última hora de atividades da manhã.

Nas últimas duas horas de atividade os times abandonaram o uso dos pneus duros, para utilizar os médios e os macios. As temperaturas seguiram aumentando, de 37° no início da atividade, passaram para os 41°C no circuito, com 25° no ambiente.

Os times focaram em voltas de simulação de corrida, os tempos aumentaram o que indica que eles estavam andando com os tanques mais cheios.

Nos últimos cinco minutos a FIA realizou um teste com a bandeira vermelha, na sexta-feira eles haviam feito o teste do virtual safety car. É um procedimento de segurança, mas os carros podem retornar para a pista logo depois. A atividade encerrou desta forma.

Daniel Ricciardo ficou com a liderança da manhã após registrar 1m32s215, o australiano foi seguido por Fernando Alonso da Alpine que fechou a atividade com 1m32s339. O espanhol tentou demostrar um desempenho forte, aproveitando para virar voltas rápidas e acompanhar o ritmo da McLaren.

Em número de voltas, Nikita Mazepin foi o piloto que mais adquiriu quilometragem, fechando a atividade com 76 giros, enquanto Antonio Giovinazzi com a Alfa Romeo registrou 73 voltas. Lewis Hamilton fechou na oitava posição completando 58 voltas com o carro da Mercedes. 

Tarde

Com a diferença de uma hora a temperatura havia caído, na pista eles estavam lidando com 34°C, enquanto no ambiente estava na casa de 24°C.

Ferrari, McLaren, AlphaTauri, Aston Martin, Haas e Mercedes realizaram a troca de pilotos para a parte vespertina. Charles Leclerc foi o primeiro a ser liberado para a pista dez minutos após o início da atividade, o piloto aproveitou o momento para testar o pneu protótipo da Pirelli.

Mick Schumacher começou a atividade de pneus médios, o alemão estava em busca de recuperar o tempo perdido da sexta-feira, então logo ele assumiu a nona posição, superando a Alfa Romeo de Giovinazzi após anotar 1m35s463.

Giovinazzi deu continuidade aos trabalhos da Alfa Romeo, o time estava avaliando a aerodinâmica e espalhou o flow-vis na barra de suspenção dianteira.

As equipes apostaram em mais uma rodada de pneus médios e duros para este início de atividade.

Todos os ‘novos’ pilotos que estavam escalados para participar da sessão vespertina foram para a pista antes da primeira hora se encerrar. A Mercedes também demorou para enviar Bottas para a pista, mas logo o piloto passou a explorar alguns giros com os pneus duros, mas o finlandês já havia cometido um erro na curva 11. Vale lembrar que Hamilton também acabou perdendo alguns pontos de frada quando deu as suas voltas pela manhã.

No entanto, as voltas dadas por Lando Norris não contavam com tempo aferido no circuito, e o piloto só foi registrar uma boa volta cerca de duas horas depois do início quando anotou 1m34s674. O piloto da McLaren só conseguiu fazer a sua volta cronometrada após passar nos boxes e trocar o volante.

Mick Schumacher estava determinado em conseguir quilometragem, e com pouco tempo já havia completado 30 voltas. O alemão também foi o primeiro a instalar os pneus macios após quase duas horas de atividade.

Diferente do companheiro de equipe que fez poucas voltas em Sakhir, Lance Stroll estava conseguindo ajudar o time na coleta de dados.

Giovinazzi foi o primeiro a quebrar a barreira das 100 voltas, assim como a Williams com Nicholas Latifi, e pouco depois Fernando Alonso também fez o mesmo com a Alpine.

A cena da tarde que acabou chamando a atenção na última 1h30 de atividade foi o carro de Sergio Perez que acabou perdendo a tampa do motor e espalhando destroços na pista, o piloto estava atrás de Latifi, parece que a turbulência acabou ocasionando o problema. O mexicano provocou uma bandeira vermelha.

Gasly passou parte da atividade vespertina focado em voltas de simulação de corrida, além de testes aerodinamicos e só começou a investir nas voltas rápidas próximo da última hora de atividades quando os times passaram a instalar os pneus macios para as suas voltas rápidas. Este foi o resultado da chegada do entardecer, Lando Norris, Pierre Gasly e Antonio Giovinazzi se alternavam na ponta. O piloto da McLaren cravou 1m30s586 pouco depois do francês da AlphaTauri anotar 1m30s825.

Bottas havia se aproximado deles com os pneus macios. 

Pérez conseguiu retornar para a pista, participando dos últimos 40 minutos de atividade com o RB16B restaurado.

Bottas instalou os pneus macios e foi investindo nas voltas rápidas, da segunda posição ele saltou para o primeiro lugar nos últimos 20 minutos de atividade após anotar 1m30s289. O filandês terminou o dia completando 57 voltas.

Nicholas Latifi foi o piloto com mais voltas completadas na pista, o piloto fez 132 giros, contra 125 de Alonso e 128 de Antonio Giovinazzi. Stroll chamou a atenção por ter completado 70 voltas e ficar com a terceira posição da atividade. 

A FIA voltou a testar o sistema de bandeira vermelha nos últimos cinco minutos de atividade, assim como fez na parte da manhã. 

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados