ColunistaFórmula 1Post

Valtteri Bottas lidera dobradinha da Mercedes em Abu Dhabi

A sessão foi agitada por conta dos testes de pneus. Uma bandeira vermelha acabou roubando um pouco de tempo da atividade

O segundo treino livre realizado nesta sexta-feira (11) foi igualmente agitado, os pilotos começaram as suas atividades no circuito avaliando um composto para a Pirelli. A fornecedora de pneus entregou o modelo C4 para todos os pilotos, desta forma o início da atividade foi dedicada aos testes, mas nos últimos minutos de atividade algumas equipes avaliaram eles mais uma vez, durante a simulação de corrida.

Além disso foi necessário dividir o tempo em simulação de classificação e corrida, avaliando os compostos que de fato vão ser utilizados neste fim de semana. Valtteri Bottas terminou a atividade na primeira posição ao anotar 1m36s276, Lewis Hamilton ficou com a segunda posição, pois teve um tempo deletado quando estava buscando o seu melhor resultado durante a sessão

A dupla da Red Bull acompanhou a Mercedes, Verstappen anotou 1m37s046, contra Alexander Albon que cravou 1m37s263. Lando Norris conseguiu estabelecer uma boa volta com os pneus macios e fechou o dia na quinta posição.

A sessão foi apertada entre o sexto e nono colocados, com poucos milésimos separando-os. Esteban Ocon ficou com o sexto lugar, seguido por Sergio Pérez, Charles Leclerc e Danil Ricciardo. Lance Stroll fechou o top-10.

Os pilotos perderam um pouco do tempo dedicado para a simulação de corrida pois o regime de bandeira vermelha foi instaurado no circuito. Kimi Raikkonen enfrentou um problema e seu carro começou a pegar fogo, até a remoção do carro acontecer o pit-lane não foi liberado. O incidente lembra muito o que aconteceu com Sergio Pérez durante o GP do Bahrein, na ocasião um problema no MGU-K tirou o mexicano da corrida. 

É fato, os equipamentos já estão no limite e vários problemas já estão aparecendo nos carros. Algumas equipes já estão realizado trocas para enfrentar a última prova do ano.

A Fórmula 1 retorna neste sábado às 7h pelo horário de Brasília, para a realização do TL3.

Saiba como foi o TL2 em Abu Dhabi

Antes das atividades começarem, Fernando Alonso entrou na pista com o carro da Renault que ele guiou em 2005 quando ganhou o seu primeiro campeonato.

Na pista a temperatura estava na casa dos 32°C, com 25°C no ambiente.

Antes da pista ser liberada pela segunda vez no dia, vários pilotos se alinharam no pit-lane. Neste primeiro momento os pilotos estavam realizando testes para a Pirelli, com os pneus C4 instalados em seus carros.

Alexander Albon anotou 1m42s081 com estes compostos, mas rapidamente outros pilotos foram aferindo os seus tempos. Bottas assumiu a ponta com 1m37s818, seguido por Hamilton com 1m37s921, enquanto Kimi Raikkonen era o terceiro colocado com 1m38s943.

Vale dizer que Kevin Magnussen voltou para o seu carro, assim como Antonio Giovinazzi na Alfa Romeo.

Com cerca de 20 minutos alguns pilotos já haviam passado das 10 voltas com os pneus de teste. Os dez primeiros eram: Bottas, Hamilton, Gasly, Raikkonen, Pérez, Stroll, Sainz, Leclerc, Norris e Ocon

Hamilton foi o primeiro a abandonar os pneus de teste e passou a utilizar os pneus médios alocados para este fim de semana, o inglês logo pegou a ponta por anotar 1m36s479. Aos poucos outros pilotos passaram a testar estes mesmos pneus, Albon saltou para a segunda posição com 1m37s015.

Valtteri Bottas era o líder com 1m36s276, enquanto Sergio Pérez que vinha forte assumiu a terceira posição com 1m37s506. Alguns pilotos estavam investindo no teste com os pneus duros, como Carlos Sainz, Pierre Gasly e Kimi Raikkonen.

Com 40 minutos de atividade realizados, os dez primeiros eram: Bottas, Hamilton, Verstappen, Pérez, Sainz, Norris, Ricciardo, Stroll, Gasly e Raikkonen. Hamilton já havia instalado os pneus macios. Russell que ocupava a décima segunda posição, abandonou os pneus de teste para utilizar os macios e já estava trabalhando com as voltas rápidas nestes compostos.

O inglês da Mercedes seguia na disputa pela ponta e cravou 1m36s097, mas pouco depois o seu tempo foi deletado por exceder os limites de pista na última curva do circuito.

Alguns pilotos realizaram uma breve pausa nos boxes até realizar a instalação dos pneus macios e retornar para a pista com os pneus macios.  Os pilotos foram trabalhando as voltas em modo de simulação de classificação com os compostos, além de avaliarem a durabilidade deles neste tipo de volta. A dupla da Mercedes era seguida pela dupla da Red Bull, enquanto Lando Norris assumiu a quinta posição, seguido por Sergio Pérez e Charles Leclerc. As posições se alternavam rapidamente.

Por conta da proximidade era possivel ver Ocon com 1m37s505, Pérez com 1m37s506, Leclerc anotou 1m37s508, assim como Ricciardo. 

Com a conclusão da última meia os dez primeiros eram: Bottas, Hamilton, Verstappen, Albon, Norris, Ocon, Pérez, Leclerc, Ricciardo e Stroll. Neste momento da atividade os pilotos passaram a realizar as voltas em modo de simulação de corrida.

Kimi Raikkonen provocou uma bandeira vermelha na sessão, o seu carro perdeu potência e começou a pegar fogo. O finlandês ainda foi ajudar os fiscais de pista a apagar o fogo do seu carro, indicando os melhores lugares para aplicar o spray.

Nos boxes da Williams o time identificou um problema no MGU-K de George Russell e os mecânicos precisaram se afastar do carro até ser seguro tocá-lo.

A pista foi liberada nos últimos seis minutos, para que as equipes finalizassem as suas atividades.

Lewis Hamilton falou sobre o problema com a troca de marchas do carro, a equipe foi buscar o piloto na saída do pit-lane, mas ele voltou a funcionar e o inglês retornou para o circuito. Pouco depois Hamilton passou pelos boxes para trocar o seu volante e retornar mais uma vez para o circuito de Yas Marina.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo