ColunistaFórmula 1Post

Raio-X GP da Estíria – Verstappen comemora vitória na casa da Red Bull

Bom, o GP da Estíria não foi exatamente o que nós esperavamos, mas alimentou a briga pelo campeonato

O GP da Estíria foi disputado como a 8ª corrida da temporada 2021, Max Verstappen conquistou mais uma vitória, onde mostrou o seu completo domínio. Uma corrida que eu considero bem no estilo Red Bull, dominante e confiante. A primeira prova no Red Bull Ring, é a segunda corrida de uma rodada tripla. Vamos a análise do campeonato.

Red Bull 252 pontos x 212 pontos da Mercedes

Max Verstappen vence GP da Estíria – Foto: reprodução Red Bull Racing

Ainda restam quinze corridas para o encerramento da temporada 2021, 40 pontos estão separando a Mercedes da Red Bull pós GP da Estíria. O jogo já acabou? A meu ver não, a equipe austríaca está criando uma margem para tentar vencer o campeonato de 2021 e está se aproveitando do desempenho do seu carro. Mas ainda não acho que está tudo perdido para a Mercedes.

No entanto, ocorre uma dualidade na Mercedes, Lewis Hamilton quer que novas atualizações sejam introduzidas no carro de 2021, enquanto Toto Wolff acredita que já está na hora de focar no próximo campeonato. Neste ano estamos tendo a oportunidade de ver uma Mercedes tentando solucionar problemas, ao mesmo passo que o principal piloto da equipe está enfrentando dificuldades em compreender o carro.

O GP da Estíria não foi exatamente aquela disputa que estávamos vendo nas corridas iniciais, onde a estratégia tinha que funcionar por conta da proximidade entre os rivais. Até mesmo na França os pilotos tiveram um embate mais direto, pautado por décimos.

2-3 a Mercedes termina o GP da Estíria no pódio – Foto: reprodução Mercedes Daimler

Nos treinos livres e até mesmo na classificação, eles pareciam estar mais próximos, mas as retas do circuito Austríaco mostraram a diferença entre eles. Max Verstappen largou da pole, conseguiu manter a ponta e a melhor chance que a Mercedes tinha era realizar uma ultrapassagem no início da prova. Depois o holandês se tornou dominante, estabelecendo uma distância que foi progredindo conforme a prova avançou.

Nem mesmo as paradas foram capazes de aproximar os rivais, mas certamente o dono do carro #44 fez o dono do #33 quebrar um pouco a cabeça e levar o seu carro ao limite. Pois em diversas voltas Verstappen se sentia pressionando e precisando mudar a sua tocada para não cometer erros.

Hamilton ficou com o ponto da volta mais rápida, pois instalou os pneus macios na última volta. Outro embate que vimos foi aquele protagonizado por Valtteri Bottas e Sergio Pérez. Com uma parada desastrosa, o mexicano terminou a corrida na quarta posição, mas pressionou Bottas nas últimas voltas, com o objetivo de garantir um outro pódio duplo para a Red Bull.

Na estratégia adotada por Pérez, ainda vale dizer que muitos pilotos estavam sentindo o desgaste dos pneus e para aqueles que começaram a corrida com os compostos macios, a parada teria que ser antecipada.

Bottas realizou uma boa prova, mas assim como Hamilton, fez uma corrida isolada. E não apresentou ameaça para companheiro de equipe.

Uma semana é um período curto para a Mercedes se recuperar, mas se a chuva aparecer, certamente a classifica e a corrida acabam virando uma grande loteria.

McLaren 120 pontos x 108 pontos Ferrari

Os dois pilotos da Ferrari pontuaram no GP da Estíria – Foto: reprodução Ferrari

Este é mais um episódio para a disputa que está ocorrendo em 2021. A chegada na Estíria despertava curiosidade, principalmente após o desempenho pífio apresentado pela Ferrari na França. As longas retas da pista austríaca apresentavam dúvidas com relação ao desempenho da Ferrari, mas a equipe teve um resultado surpreendente.

Charles Leclerc conseguiu se classificar na sétima posição, mas um incidente na largada com Pierre Gasly – provocado pelo monegasco – fez o piloto danificar a asa dianteira, realizar um pit-stop e retornar para a pista no final do pelotão. Leclerc realizou uma prova de recuperação e terminou a corrida no sétimo lugar.

Muitos consideraram o monegasco o piloto do dia, ignorando o fato que ele provocou o abandono de Pierre Gasly e contribuiu para problemas de outros pilotos no grid. Mas possivelmente por ter provocado alguma movimentação na corrida, foi agraciado com a votação popular.

Carlos Sainz que largou da décima segunda posição, cruzou a linha de chegada em sexto. A dupla não apresentou a mesma queda de desempenho da última corrida, desta forma os dois pilotos pontuaram.

Na McLaren, apenas Lando Norris foi o responsável por levar pontos para a equipe e ajudar a manter a distância entre seu time e o rival. Norris largou da terceira posição, mas terminou em quinto lugar, obviamente ainda é difícil para a equipe rivalizar diretamente com Red Bull e Mercedes, então ele esteve no considerado ‘melhor do resto’.

Daniel Ricciardo começou a prova do décimo terceiro lugar e terminou na mesma posição de largada. O australiano tentou se recuperar, apareceu no top-10, mas o carro apresentou perda de potência e depois ele se tornou uma chicane na pista, sendo ultrapassado, para retornar a sua posição de largada.

O australiano faz falta nesta disputa, principalmente por conta dos pontos que a McLaren necessita, nesta luta direta com a Ferrari. Mas provavelmente será uma temporada assim, entre bons resultados de Ricciardo e resultados abaixo do esperado.

Para o lado da Ferrari, é algo que devemos esperar também, em alguns circuitos eles vão se acertar, em outros terão um desempenho mais complicado.

AlphaTauri 46 pontos x 44 pontos Aston Martin x 31 pontos da Alpine

Lance Stroll conquista pontos para a Aston Martin – Foto: reprodução Aston Martin

A briga entre AlphaTauri e Aston Martin ficou ainda mais intensa, dois pontos voltam a separar estas duas equipes.

A vida delas em pista é uma montanha-russa, assim como a pista austríaca. O abandono de Pierre Gasly, fez a AlphaTauri perder alguns pontos importantes, mas Yuki Tsunoda esteve representando a equipe na décima primeira posição. O japonês talvez tivesse a chance de até angariar mais pontos, se não fosse a punição recebida depois da classificação que fez ele largar abaixo do top-10.

Neste GP da Estíria, um piloto de cada uma dessas equipes conquistou pontos para os seus times. Lance Stroll terminou a prova em oitavo, acompanhado por Fernando Alonso e Tsunoda. A conquista de mais pontos pela Aston Martin, fez a equipe se aproximar da AlphaTauri, tendo grandes chances de superar a equipe em breve.

A Alpine contou com o desempenho de Fernando Alonso, uma corrida boa para o Espanhol que está aprendendo a lidar melhor com o carro do time. Já Esteban Ocon teve uma prova totalmente apagada e sem justificativa para não ter encontrado ritmo. Aliás, durante todos os treinos livres o francês parecia que poderia ajudar o time na conquista por pontos e a ajudar na conquista por pontos.

Alfa Romeo

Kimi Raikkonen foi um desafio para a corrida de Daniel Ricciardo – Foto: reprodução Alfa Romeo

Não conseguiram pontuar neste fim de semana e a corrida de Antonio Giovinazzi foi prejudicada pelo enrosco que aconteceu à sua frente. Onde o piloto acabou rodando no início da prova e tendo que escalar o pelotão.

Tanto o italiano, quanto Kimi Raikkonen deram trabalho para Charles Leclerc que estava tentando retornar para a zona de pontuação. Como neste GP da Estíria não vimos tantos abandonos, a Alfa Romeo não pode conquistar pontos como em 2020, em uma das rodadas feitas no Red Bull Ring.

O finlandês disse que eles até tinham ritmo e tiveram um bom início de prova, mas não conseguiram chegar aos pontos, mesmo com a equipe realizando um bom trabalho. No final das contas, a Alfa Romeo forçou a McLaren pensar em uma estratégia para tentar fazer Daniel Ricciardo superar a sua dupla.

Williams 0 x 0 pontos da Haas

George Russell começou bem, mas abandonou a prova – Foto: reprodução Williams

No GP passado, ficou claro que faltava pouco para a Williams conquistar os seus primeiros pontos, por conta do resultado obtido por George Russell e na Estíria eles bateram na trave mais uma vez.

Russell teve uma boa classificação, não a típica passagem para o Q2, mas o piloto quase avançou para o Q3. Com a punição de Yuki Tsunoda, ele ganhou a oportunidade de largar entre os dez. Permaneceu muito tempo no top-10 e até esteve em disputa com Fernando Alonso.

Largando com os pneus médios, ele teria a oportunidade de permanecer na pista por mais tempo, mas infelizmente o motor do seu carro apresentou um problema. A Williams antecipou a sua parada com a necessidade de injetar ar-comprimido no sistema, a parada que já fora demorada, precisou acontecer mais uma vez e pouco depois Russell abandonou a prova frustrado. Ele estava perto de conquistar os pontos com a Williams, aqueles que são tão aguardados não só por ele, mas pela torcida que ele já formou.

Para Nicholas Latifi, foi uma corrida diferente, o piloto ficou ao final do pelotão, encarando uma sequência de bandeiras azuis por conta do tráfego na pista.

A dupla da Haas também esteve se enfrentando entre eles, nada de espetacular relacionando ao seu desempenho. Mick Schumacher e Nikita Mazepin se estranharam no início da corrida, também foram alcançados pelos líderes três vezes e terminaram nas últimas posições.

Escute o nosso podcast! 

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados