ColunistaFórmula 1Post

Raio-X do Grande Prêmio da Hungria

Terceira prova do calendário, Hamilton assume a liderança, boa performance de Stroll e Ferrari pontua com Vettel

Fim de semana na Hungria foi perfeito para Lewis Hamilton e a Mercedes. Estamos concluindo a primeira rodada de três corridas da Fórmula 1, então confira como foi o final de semana das esquipes: 

Mercedes
Formel 1 – Mercedes-AMG Petronas Motorsport, Großer Preis von Ungarn 2020. Lewis Hamilton
Formula One – Mercedes-AMG Petronas Motorsport, Hungarian GP 2020. Lewis Hamilton

A equipe lidera com tranquilidade o campeonato, ainda que os pilotos estejam em disputa direta pelo título. São 121 pontos contra os 55 obtidos pela Red Bull, mas vamos falar sobre o seu fim de semana.

É claro que liderar dois treinos livres já os colocam em alta, mas é durante a classificação que fica registrado todo o seu potencial. Lewis Hamilton voltou a obter a pole, registrando 1:13.447, em duas voltas ótimas. Valtteri Bottas ficou com a segunda posição, separado pelo companheiro de equipe por 0s107, com uma boa diferença para a dupla da Racing Point.

E durante o domingo Hamilton voltou a dar show, realizando uma corrida “quase solitário”, pois conseguiu dar uma volta até o sexto colocado (Sebastian Vettel). O inglês ainda fechou com a melhor volta da corrida.

Vale ressaltar o desempenho de Bottas que largou da segunda posição, “queimou a largada” e perdeu a oportunidade de ter um início melhor. O finlandês teve que remar para retomar as posições perdidas, mas não conseguiu a segunda posição que por fim ficou com Max Verstappen. Infelizmente com o terceiro lugar, Bottas perdeu a liderança do campeonato, mas foi um ótimo final de semana para os pilotos da equipe alemã.

Red Bull
Max Verstappen pódio GP da Hungria – Foto: Red Bull Racing

A equipe passou para a segunda colocação do campeonato de construtores, após um início ruim, a equipe austríaca está se recuperando. No começo das atividades a Red Bull estava apagada e durante a classificação Alexander Albon pegou muito tráfego e foi prejudicado, não conseguindo obter uma boa volta.

Durante a volta de apresentação Max Verstappen acabou perdendo o controle do carro e bateu no muro de contenção, a equipe precisou trabalhar com o carro que já estava alinhado no grid. Conseguiram um bom resultado e Verstappen terminou a prova na segunda posição, enquanto Albon que largou de décimo terceiro finalizou a corrida em 5º.

O resultado foi satisfatório, Verstappen não perdeu a posição para Bottas e mesmo terminando a corrida a mais de oito segundos de Hamilton, teve uma boa performance.

McLaren
Lando Norris, McLaren MCL35 and George Russell, Williams FW43

A McLaren caiu para a terceira posição, desta vez apenas Carlos Sainz chegou à zona de pontuação, somando mais dois pontos para o time. Obter uma boa classificação na Hungria é de suma importância, mas desta vez Lando Norris e Carlos Sainz partiram da oitava e nona posição.

Com a pista úmida, Norris sentiu mais dificuldade na largada e perdeu algumas posições o que dificultou em seu desempenho no restante da corrida. Sainz teve uma disputa importante com Charles Leclerc o que resultou na décima posição e após a punição da Haas, o espanhol passou ao nono lugar.

Está sendo um começo de campeonato bom para a McLaren, mas para permanecer na terceira posição é necessário superar a dupla da Racing Point que cada vez mais obtêm melhores resultados.

Racing Point
Lance Stroll no GP da Hungria – Foto Racing Point Media

O que nos leva a falar justamente sobre eles que estão ocupando a quarta posição do campeonato, separados por apenas um ponto da McLaren. São três corridas onde é possível destacar tranquilamente o bom desempenho dos carros e pilotos, a cada corrida o time vai se superando.

Desta vez a Racing Point voltou a pontuar com os dois carros, Lance Stroll fechou a corrida na quarta posição, o melhor resultado do time até o momento. O canadense não reverteu a terceira posição em pódio, mas agora a Racing Point mostra que não está tão distante desse objetivo. Ainda vale destacar o bom desempenho do motor Mercedes no circuito travado.

A Renault voltou a protestar sobre o carro da rival, a novela entre eles continua.

Ferrari
GP UNGHERIA F1/2020 – DOMENICA 19/07/2020 credit: @Scuderia Ferrari Press Office

A Ferrari volta a não ter um bom desempenho, apesar de avançarem até o final da classificação, os italianos não conseguiram reverter a quinta e sexta posição da classificação em pontos para os dois carros. Sebastian Vettel cruzou a linha de chegada em sexto, foi ultrapassado no final por Albon e só teve um desenvolvimento melhor pois não aceitou instalar os pneus macios como a equipe sugeriu em sua primeira parada.

O alemão ainda perdeu tempo na parada dos boxes quando o time o segurou, pois existiam muitos carros no pit-lane. Após não pontuar na última etapa Vettel somou oito pontos. Charles Leclerc teve boas disputar na pista, mas a escolha errada de compostos tirou a chance do piloto de realizar uma corrida melhor, o monegasco desta vez não levou pontos para casa.

Renault
Daniel Ricciardo (AUS) Renault F1 Team RS20.
Hungarian Grand Prix, Friday 17th July 2020. Budapest, Hungary.

A Renault vem mantendo a constante em consagrar a oitava posição como a melhor em suas corridas. O time superou o problema de confiabilidade e desta vez os dois carros terminaram a prova, ainda que Esteban Ocon não tenha obtido pontos.

Durante a classificação a dupla ficou no Q2, o meio do pelotão está bem disputado e realmente são os detalhes que fazem a diferença na competição. Desta forma, optar pelos pneus médios, não foi uma boa opção para a sessão classificatória.

AlphaTauri
GP da Hungria de 2020 – Foto AlphaTauri

Novamente os problemas com o motor surgiram, desta vez evidentes no carro de Pierre Gasly desde o início do final de semana. O francês recebeu um novo ICE, turbo e MGU-H, o que rendeu uma décima posição na classificação, mas ao final do Q2 o piloto voltou a sentir problemas no carro.

Já na corrida foi identificado um problema no sistema de tração, Gasly passou a lutar com a troca de marchas do carro e não finalizou a corrida. São três com resultados não favoráveis para o time e desta vez não somaram nenhum ponto, pois Daniil Kvyat terminou em décimo segundo.

Alfa Romeo
Kimi Raikkonen – Foto Alfa Romeo

Novamente a Alfa Romeo mostra o quanto o seu desempenho na temporada de 2020 é ruim, a começar por Kimi Raikkonen que largou da última posição. O time acredita que ainda tiveram um bom ritmo durante a corrida, mas um pouco de falta de sorte, principalmente com a punição do finlandês, por não estar posicionado de forma correta na largada e Giovinazzi sofrendo com o desempenho dos pneus macios.

Fato é que a corrida desempenhada por eles coloca o time mais próximo da Williams, sem uma perspectiva boa para enfrentar melhores brigas com o meio de pelotão.

Haas
HUNGARORING, HUNGARY – JULY 18: Kevin Magnussen, Haas VF-20, passes the Haas F1 pit wall during the Hungarian GP at Hungaroring on Saturday July 18, 2020 in Budapest, Hungary. (Photo by Glenn Dunbar / LAT Images)

Primeiro ponto conquistado pela equipe. O início do time se compara muito ao que vem ocorrendo com a Alfa Romeo, problemas com o carro que inviabilizam um bom desempenho, mas a sacada do time no início da prova foi bem inteligente, ainda que tenha rendido uma punição ao final.

Por conta do asfalto úmido os pilotos largaram com os pneus para chuva, mas a aposta no carro de Kevin Magnussen foi bem ousada, no carro do dinamarquês foram instalados os compostos para chuva extrema.

Durante a volta de apresentação a dupla foi chamada para os boxes, pois a pista já tinha alguns trechos secos e os compostos atrapalhariam naquele momento. A dupla parou, colocou os pneus de pista seca e quando os rivais realizaram as suas paradas o time cresceu na disputa.

É claro que com um carro que apresenta falhas, não era possível segurar as investidas de outros times, mas a Kevin Magnussen terminou na zona de pontuação. Infelizmente esse auxílio rendeu 10 segundos de penalização para os pilotos, mas o dinamarquês ainda faturou um ponto. É um ponto bem vindo, principalmente nesse emaranhado de Alfa Romeo e Williams.

Williams
George Russell – Foto: Williams Racing

A única equipe que permanece sem pontos na tabela dos construtores. O começo pareceu animador, principalmente com a ameaça de chuva para o final de semana e o clima ameno. Munido dos motores Mercedes é possível atrelar um pouco do desempenho a eles e foi ótimo ver os dois pilotos avançando para o Q2.

Na corrida o ganho das voltas rápidas foi perdido e Nicholas Latifi enfrentou problemas com o pneu furado após a parada, quando a equipe o liberou dos boxes em Carlos Sainz. Para completar o combo o canadense acabou rodando na pista. Russel fechou a corrida em décimo oitavo acompanhado pelo companheiro de equipe, este a cinco voltas atrás do líder.

 

 

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados