Raio-X do GP de Sakhir

A prova em que a Mercedes cometeu erros e a Racing Point foi ao pódio com os dois pilotos e Sergio Pérez venceu a prova

A Mercedes começou o fim de semana bem, mesmo com as alterações necessárias após Lewis Hamilton contrair o Covid-19. George Russell se adaptou rapidamente o que aumentou a confiança do time, no entanto, bastou um pit-stop errado para comprometer toda a corrida do time alemão. Sergio Pérez venceu a prova e ganhou a primeira corrida da carreira na Fórmula 1, com Lance Stroll no pódio. O resultado ruim da McLaren nesta prova surtiu efeitos no campeonato de construtores que voltou a sofrer alterações.

Acompanhe agora o texto que respeita a ordem atual do campeonato de construtores. O GP de Sakhir foi a penúltima prova da temporada 2020.

Mercedes

George Russell ganhou a oportunidade de guiar para a Mercedes, após Lewis Hamilton contrair o Covid-19 – Foto: Mercedes / Daimler

O time alemão começou a semana em destaque, Lewis Hamilton não poderia participar do GP de Sakhir pois contraiu o Covid-19, o positivo aconteceu um dia depois da corrida, então rapidamente a Mercedes começou a buscar um substituto para a prova. Após negociações com a Williams, George Russell foi liberado pelo time e teria a sua tão sonhada oportunidade com a Mercedes.

Era difícil saber se o piloto faria bonito, afinal foram necessários diversos ajustes para Russell conseguir entrar no carro de Lewis Hamilton por conta dos seus tamanhos tão diferentes. Existia muito expectativa, mas o esperado era que Valtteri Bottas tomasse as rédeas e conseguisse ser mais veloz, no entanto, durante os treinos livres de sexta-feira Russell mostrou um bom desempenho e liderou as duas sessões.

A pressão em Bottas aumentou drasticamente, pois na sexta-feira enquanto Russell aparentava domínio com o carro, o finlandês cometeu diversos erros em suas voltas. Ao final dos treinos livres daquele dia os pilotos falaram sobre a necessidade de realizar alguns ajustes aerodinâmicos para o sábado pois o carro tinha alguns problemas e é um fato, no segundo dia de atividades no anel externo Bottas apresentou uma evolução e até cravou a pole, mas ainda tinham que lidar com a Red Bull.

No domingo Bottas tracionou mal mesmo largando do lado limpo da pista, logo George Russell que estava realizando a sua estreia assumiu a ponta e passou a ampliar a distância. A prova da Mercedes estava confortável, os dois carros liderando, mas foi a aposta no segundo pit-stop que bagunçou a vida do time. Uma falha de comunicação no rádio fez com que os pneus ficassem misturados, Russell teve os pneus de Bottas instalados em seu carro e precisou retornar na volta seguinte para destrocar os compostos. O finlandês perdeu tempo ao retornar para a pista e passou a ser atacado na relargada, após a saída do Safety Car provocada pelo acidente de Jack Aitken.

Confira: Mercedes erra feio no pit-stop após confusão no rádio

Russell ainda conseguiu recuperar um pouco do desempenho e até tentou atacar Sergio Pérez, enquanto Bottas perdia desempenho. Mas na realidade a saga da Mercedes não estava completa e foi detectado um furo no pneu de Russell, que tirou as suas chances de lutar pela vitória e fez o piloto terminar na 9ª posição, atrás de Valtteri Bottas.

Red Bull

Alexander não conseguiu um bom resultado como o do GP do Bahrein – Foto: Red Bull Racing

Mais um fim de semana em que a Red Bull é temida pela Mercedes e apresenta bom desempenho durante os treinos livres e classificação. Max Verstappen voltou a imprimir um bom ritmo e esteve trabalhando duro para brigar pela liderança. Na linha sucessória de dominância era esperado que o holandês estivesse brigando diretamente com Bottas e até conseguisse essa vitória.

Verstappen fez uma boa classificação e largou da terceira posição e esteve brigando para atacar Bottas e se defender de Sergio Pérez e Charles Leclerc. Mas a lambança causada pelo monegasco da Ferrari levou com ele Verstappen que bateu no muro de contenção e precisou abandonar a corrida. Em um recorte da temporada, Verstappen não pontuou em cinco corridas este ano.

Confira: Raio-X do GP do Bahrein

Diferente do desempenho obtido por Alexander Albon no fim de semana passado, desta vez o piloto tailandês da Red Bull esteve realizando sessões mais distantes do seu companheiro de equipe. Na classificação Albon obteve a 12ª posição e terminou a corrida em 6º, mas quando comparado diretamente com Sergio Pérez – aquele que deseja o assento dele – fica difícil dizer que o piloto teve uma boa corrida quando era o único representante da Red Bull na prova e não conseguiu barrar a Racing Point.

Racing Point

Sergio Pérez conquistou a sua primeira vitória na Fórmula 1 e ainda não sabe se vai disputar a próxima temporada – Foto: Racing Point

O que me leva a falar sobre a equipe que conquistou a vitória com Sergio Pérez e o pódio com Lance Stroll na terceira posição. A Racing Point começou o fim de semana escondendo um pouco o desempenho, mas em outros momentos exercia um papel forte na pista. Na classificação a dupla conseguiu avançar para o Q3 com Sergio Pérez conseguindo conquistar a 5ª posição, enquanto Lance Stroll largou do 10ºlugar.

Sergio Pérez logo viu a oportunidade de brigar pela ponta, quando Valtteri Bottas não tracionando bem. Infelizmente o mexicano foi atingido por Charles Leclerc e precisou realizar um pit-stop já na primeira volta da corrida. O que poderia ser encarado como uma derrota não desanimou o piloto que realizou uma prova de recuperação e, foi galgando posições após a saída do Safety Car, aquele acionado na primeira volta.

O mexicano se deu bem na confusão protagonizada pela Mercedes pois assumiu a ponta da corrida e seguiu administrando a prova para conquistar a sua primeira vitória da carreira. Lance Stroll já estava desempenhando uma boa corrida e até apareceu no pódio em outros momentos da prova. O canadense acompanhou o ritmo do companheiro de equipe para obter o segundo pódio nesta temporada.

Confesso que não estava na minha lembrança o fato de Sergio Pérez ainda não possuir vitórias na Fórmula 1, o piloto tem talento e experiência. Agora, após está conquista do mexicano, ver que ele não possui uma equipe para disputar a temporada 2021 na Fórmula 1, é realmente uma pena.

McLaren

Foi um início complicado para a dupla da McLaren, eles lidaram com pouco ritmo e falta de confiabilidade – Foto: McLaren

O terceiro lugar no campeonato de construtores realmente não estava garantido. A McLaren começou o fim de semana mal, alguns problemas apareceram pelo meio do caminho, Lando Norris teve o assoalho do carro danificado, enquanto a Renault identificou um problema na sua unidade de potência e o piloto foi punido após a troca dos componentes. Norris largou da 19ª posição. Já no carro de Carlos Sainz foi identificado um problema na caixa de câmbio.

Todos estes problemas deram um susto na McLaren já na sexta-feira durante os treinos livres e se não bastasse tudo isso a falta de ritmo apareceu, além da queda de desempenho. O time precisou arrumar soluções para voltar a ter um carro competitivo que mudou muito de uma semana para a outra.

Não foi o fim de semana ideal, mas Carlos Sainz conseguiu largar do 4º lugar e teve mais oportunidade de brigar por um resultado melhor, o piloto da McLaren terminou na posição de origem, mas namorou o pódio em alguns momentos da prova. Lando Norris por outro lado não foi muito além e ficou na décima posição. A McLaren não conseguiu marcar a rival e caiu para a quarta posição do campeonato de construtores com o resultado obtido.

Os pilotos vão enfrentar uma última prova, nada está garantido, mas o resultado está nas mãos da McLaren e Racing Point, pois a Renault perdeu um pouco de contato com as duas, apesar de pontuar mais que a McLaren nesta prova.

Renault

Esteban Ocon conquistou o seu primeiro pódio no GP de Sakhir – Foto Renault

A Renault somou 28 pontos nesta corrida, o melhor resultado da temporada, desde a Bélgica desde que o time somou 23 pontos naquela prova. O time francês se distanciou da disputa com a McLaren e Racing Point, mas neste jogo onde os resultados são muito distintos entre as equipes em cada etapa, os franceses podem sonhar com uma reviravolta, afinal conquistaram três pódios nesta temporada.

Depois de criticar Esteban Ocon na última semana, onde o piloto esteve em uma disputa interna com Daniel Ricciardo, neste GP de Sakhir é necessário fazer elogios. Ocon apresentou um bom desempenho, superou o companheiro de equipe em todos os treinos livres e mesmo quando foi superado na classificação, retomou a boa performance na corrida. Ocon terminou a corrida na 2ª posição concluindo o bom trabalho realizado neste fim de semana com a conquista do seu primeiro pódio.

 

Daniel Ricciardo esteve um pouco distante do companheiro de equipe, mas estava confiável para a prova e tinha chance de brigar pela quarta posição, mas o conflito com a AlphaTauri atrasou o time. Mesmo abrindo o DRS não era muito fácil realizar as ultrapassagens. Ricciardo gostaria de ter obtido um resultado melhor, mas o seu 5º lugar agregou ao bom resultado obtido pelo time.

Ferrari

Charles Leclerc bateu com Sergio Pérez na largada da corrida. O monegasco era o melhor carro com motor Ferrari posicionado na pista – Foto: Ferrari

A segunda corrida no circuito do Bahrein não era favorável para a Ferrari, um circuito que não valorizava o atual carro do time italiano ou sua unidade de potência. Com resultados ruins durante os treinos livres, Charles Leclerc surpreendeu quando conseguiu se classificar na quarta posição. Alguns pilotos tentaram bater o tempo estabelecido pelo monegasco, mas não tiveram sucesso.

No entanto, na mesma medida que Leclerc acertou, o piloto cometeu um erro catastrófico ao se tocar com Sergio Pérez durante a largada. Atitude que também tirou Max Verstappen da corrida. A melhor chance da Ferrari foi desperdiçada e Leclerc ainda vai carregar uma punição com a perda de três posições no grid do GP de Abu Dhabi.

Sebastian Vettel teve mais um fim de semana ruim, somando mais um em meio a tantos outros que o alemão coleciona nesta temporada. Todas as paradas realizadas por Vettel durante a corrida foram ruins e com problemas, mesmo com a Ferrari trabalhando exclusivamente para ele. A única boa notícia é que Vettel deve treinar com a Racing Point no teste de “jovens pilotos” após o último GP do ano.

Confira o nosso podcast para saber mais sobre o GP!

AlphaTauri

Daniil Kvyat terminou no top-10 e conquistou pontos para a AlphaTauri – Foto: AlphaTauri / RedBull Racing

O time voltou a apresentar um bom desempenho, se mostrando consistente nos treinos livres e classificação, quando os dois pilotos evoluíram para o Q3. Vale ressaltar o trabalho de Daniil Kvyat que tem mostrando uma melhora significativa em seu desempenho e começou a prova na sétima posição para o time – mesmo que no GP do fim de semana passado tenha participado dos acidentes de Romain Grosjean e Lance Stroll.

Kvyat terminou a prova na zona de pontuação, obtendo a 7ª posição, enquanto Pierre Gasly perdeu um pouco de terreno na prova e ficou com o décimo primeiro lugar. Foram mais alguns pontos conquistados e agora eles estão longe da Ferrari, não será possível duelar pelo 6º lugar no campeonato de construtores, mas a melhora e as conquistas ao longo do ano mostram que o time evoluiu bastante.

Alfa Romeo

Antonio Giovinazzi foi o melhor carro da Alfa Romeo durante o GP de Sakhir – Foto: Alfa Romeo

O resultado nos treinos livres apontou mais um fim de semana complicado para a dupla da Alfa Romeo. O carro não apresentava um bom rendimento, complicando a busca por resultados melhores. Antonio Giovinazzi conseguiu levar o seu carro para o Q2, mas foi o melhor que ele pode fazer para o time. Durante a corrida o italiano saltou para a 13ª posição, mas a briga se resumiu a disputas com a Ferrari de Vettel ou a dupla da Williams e Haas.

Com dificuldades para realizar ultrapassagens Giovinazzi terminou a prova em 13ª, com Kimi Raikkonen em na 14ª posição. A corrida do finlandês foi igualmente difícil, onde o piloto rodou no início da prova e teve dificuldade para se recuperar. A entrada do Safety Car serviu para arriscarem em outras estratégias para brigar com estes times.

Haas

Pietro Fittipaldi participa do GP de Sakhir e se prepara para prova em Abu Dhabi – Foto: Haas

Pietro Fittipaldi realizou a sua estreina na Haas e teve a tarefa árdua de substituir Romain Grosjean. O brasileiro deu o seu melhor tentando aprender mais sobre o carro em um curto período antes de entrar na pista com a equipe americana. Durante os treinos livres Fittipaldi apresentou um bom desempenho quando foi comparado com Magnussen, a diferença entre eles era pequena.

O brasileiro foi punido pela troca de componentes do seu carro e como a Haas já tinha conhecimento disso, utilizou Fittipaldi para fornecer vácuo para o carro de Magnussen. Ele colaborou bastante com a equipe e ganhou a oportunidade de participar da corrida de Abu Dhabi já que Romain Grosjean não poderá correr na próxima corrida pois ainda está se recuperando.

Confira: Romain Grosjean não participará do GP de Abu Dhabi

Mesmo com todas as mudanças e a dificuldade da Haas na pista, Magnussen esteve lutando por um resultado melhor, mas terminou a corrida na 15ª posição, com Fittipaldi em 17º.

Williams

Jack Aitken substituiu George Russell na Williams – Foto: Williams Racing

A Williams passou por mudanças nesta prova já que George Russell disputou o GP de Sakhir com a Mercedes. A equipe chamou Jack Aitken para a penúltima prova do ano, o piloto que estava na F2 realizou a sua estreia na principal categoria.

A dupla esteve disputando com a Haas e Alfa Romeo principalmente. Aitken passou o fim de semana lidando com um misto de emoções pois foi uma grande oportunidade guiar um carro de F1 durante uma corrida. O seu trabalho não era ruim, mas ele cometeu um erro e acabou batendo na última curva do circuito, por conta deste incidente a prova mudou drasticamente para a Mercedes. A Williams conseguiu recuperar o carro em uma breve passagem nos boxes para trocar a asa dianteira e o piloto pode terminar a prova.

Nicholas Latifi estava realizando uma ótima corrida, travando boas disputas, mas abandonou com um vazamento de óleo. Confiabilidade não é exatamente o problema que a equipe enfrenta, desta forma o abandono foi frustrante.

Sair da versão mobile