ColunistaFórmula 1Post

Raio-X do GP da Inglaterra

Lewis Hamilton termina a corrida com três pneus e Leclerc chega ao pódio

O GP da Inglaterra com as suas 52 voltas foi bem disputado, mas foram as últimas três voltas que proporcionaram muita euforia. Valtteri Bottas, Carlos Sainz e até mesmo Lewis Hamilton lidaram com o estouro de pneus. O líder da corrida que não perdeu a ponta em nenhum momento cruzou a linha de chegada com apenas três pneus.

Os times levaram atualizações para o circuito e durante a primeira atividade na pista, eles realizaram testes aerodinâmicos das peças novas. McLaren, Williams, Racing Point e Mercedes têm sede no Reino Unido, o que facilita o desenvolvimento de algumas equipes.

Chegou a hora de conferir um pouco mais sobre este fim de semana, no Raio-X do GP da Inglaterra das equipes:

Mercedes

Fim de Semana de Hamilton na Inglaterra
Lewis Hamilton  no  GP da Inglaterra– Foto: Mercedes / Daimler

A equipe alemã começou o fim de semana de forma discreta, mas na sexta-feira (03) já voltou ao topo, dominando o último treino livre e a classificação. Os ventos em Silverstone dificultaram a vida das equipes e em alguns momentos os pilotos passaram a reclamar da falta de equilíbrio dos carros.

Já no domingo o time dominou mais uma vez, Lewis Hamilton não perdeu a ponta quando realizou a sua parada nos boxes. Os pilotos realizaram uma disputa à parte, onde Valtteri Bottas buscava reduzir a diferença para o companheiro de equipe, virando voltas rápidas a todo o momento.

Por fim o pneu de Bottas estourou e o finlandês que estava na segunda posição perdeu espaço no grid, além disso precisou seguir para os boxes e instalar um composto macio para finalizar a prova. No entanto, Bottas terminou a prova fora da zona de pontuação.

Já Lewis Hamilton foi a imagem da prova, o inglês terminou a corrida com três pneus, conduzindo com paciência para concluir a corrida e a todo tempo se comunicando com o seu engenheiro que informava a posição de Verstappen.

Red Bull

Max Verstappen chega ao segundo lugar da Corrida
Max Verstappen  no  GP da Inglaterra– Foto: Red Bull Racing

Assim como as outras equipes, a Red Bull levou atualizações para o circuito, elas não colocaram o carro da equipe próximo da Mercedes, mas deram uma boa oportunidade para Verstappen lutar pela terceira posição do pódio.

O time teve uma resposta rápida após o estouro do pneu de Bottas e conseguiram garantir a segunda posição. O time não tinha como ter certeza se Verstappen conseguiria vencer a corrida, pois estava com os pneus bem degradados, assim como os dos seus rivais. Então o pódio foi até melhor do que o esperado, pois conseguiram o segundo lugar com o holandês, além disso se distanciaram da McLaren no campeonato de construtores.

Vale lembrar a corrida de Albon, o tailandês bateu no TL2 e seguiu tendo problemas ao longo do fim de semana. Voltou a não se classificar bem e rendimento na corrida não foi o esperado (se comparado ao de Max). Os dois carros terminaram na zona de pontuação, com Albon em oitavo.

Confira o podcast para saber mais sobre a nossa visão.

McLaren

Carlos Sainz, McLaren MCL35
Carlos Sainz  no   GP da Inglaterra – Foto: McLaren

A equipe se sentiu confiante com as novas atualizações e os pilotos curtiram a performance do carro. A McLaren ainda está descobrindo com quem está disputando o campeonato, por ser o time a ocupar a terceira posição do campeonato, ela fica entre Red Bull, Ferrari, Renault e Racing Point.

Foi uma boa corrida, Sainz e Norris disputaram espaço com a Renault de Daniel Ricciardo e a vantagem foi o mal desempenho da Racing Point. Infelizmente o pneu de Sainz estourou e o piloto ficou fora da zona de pontuação, mas agora podem respirar aliviados, pois conseguiram se afastar das equipes Ferrari e Racing Point, além de concluirem a prova com 51 pontos.

Ferrari

Charles Leclerc chega ao Pódio do GP da Inglaterra – Foto: Ferrari

Os italianos conseguiram a quarta posição do campeonato de construtores, após ultrapassar a Racing Point. O time segue com dificuldade e a disparidade entre Charles Leclerc e Sebastian Vettel se mostra ainda maior.

O alemão teve problemas durante todo o evento, ficando bastante tempo parado nos boxes e desta forma extraiu o que conseguiu com o carro ruim. E à medida que perdeu rendimento durante a corrida, quase perdeu a chance de conquistar pontos, Vettel só entrou na zona de pontuação pelo problema enfrentado por Bottas.

O monegasco encontrou um carro melhor e chegou ao pódio. Leclerc realizou uma corrida mais isolada e se beneficiou do problema com Bottas. A Ferrari chegou duas vezes ao pódio nesta temporada por problema de outras equipes.

Racing Point

Nico Hulkeberg - Racing Point
Nico Hulkenberg  no  GP da Inglaterra – Foto: Racing Point

A Racing Point de fato viveu um turbilhão de emoções, primeiro Sergio Pérez sendo confirmado com o covid-19 e depois a necessidade da equipe encontrar um piloto que estivesse apto a participar da etapa.

Nico Hulkenberg substituiu o mexicano e precisou ir imediatamente ao circuito, sorte que a equipe é praticamente do outro lado da rua. Eles precisaram fazer um novo banco para o alemão, além de disponibilizar o simulador para que treinasse um pouco e após o resultado do seu exame – covid-19 – o piloto foi liberado para participar das atividades.

Foi um golpe de azar, pois Hulkenberg não alinhou no grid no domingo, a equipe identificou um problema que afetou o carro de modo geral. Lance Stroll defendeu a Racing Point sozinho, mas só obteve a nona posição. Acredito que Pérez faz falta, principalmente para auxiliar a equipe com os dados que são coletados. Eles esperam que a próxima etapa seja melhor.

Renault

Daniel Ricciardo – Foto: Renault Media

Este foi o melhor resultado obtido pela Renault, Daniel Ricciardo terminou na quarta posição, enquanto Ocon cruzou a linha de chegada na sexta posição. O australiano teve boas disputas com a dupla da McLaren e certamente a confiabilidade foi um ponto forte.

Silverstone auxiliou o time a entender as vantagens e desvantagens que tem contra os seus rivais e vão aproveitar estes dados para melhorar os seus carros, ajudando o time a fazer progresso na competição.

AlphaTauri

Pierre Gasly – Foto: AlphaTauri

Não é o carro ideal, mas segue buscando avançar na briga pelo meio de pelotão. A AlphaTauri realizou a troca do câmbio dos seus pilotos e Daniil Kvyat foi punido, mas eles acreditavam em um bom resultado no domingo.

Após a largada a dupla foi crescendo na competição, mas na volta 12, com o pneu traseiro direito estourando, o piloto perdeu a traseira e bateu forte no muro de contenção. Possivelmente os dois carros terminariam na zona de pontuação, pois estavam rendendo bem no circuito.

Pierre Gasly foi o responsável por levar pontos para casa, o piloto terminou na sétima posição, travou disputas importantes para conseguir o feito e prova que quando o carro não tem problemas eles podem extrair muito mais do equipamento.

Alfa Romeo

Antonio Giovinazzi - Foto: Alfa Romeo
Antonio Giovinazzi – Foto: Alfa Romeo

A Alfa voltou a apresentar problemas, o carro se mostrava bem instável e a traseira sem controle. O final de semana não foi fácil, especialmente para Kimi Raikkonen que além de perder o ritmo com os compostos duros, ainda lidou com a asa quebrada ao final da corrida.

Antonio Giovinazzi teve um começo mais promissor, mas foi punido logo após a saída do Safety Car, o italiano terminou a prova na décima quarta posição. É um time que precisa de muitas coisas para melhorar no campeonato e passar a brigar por pontos.

Haas

Romain Grosjean – Foto: Haas Media

A corrida de Kevin Magnussen terminou antes do esperado, após o toque com Albon o piloto ficou com o carro danificado e abandonou a corrida. A Haas passou a trabalhar para Romain Grosjean e desta forma quando os pilotos foram para os boxes durante a entrada do Safety Car provocada por Kvyat, eles permaneceram na pista e Grosjean passou a ser o quinto colocado.

O francês acabou ficando vulnerável na pista pois estava com pneus mais degradados, mas ainda ficou bastante tempo entre os dez primeiros. Grosjean só caiu para a última posição quando realizou o pit-stop na volta 37. Desta forma o francês terminou a corrida apenas a frente de Raikkonen, na décima sexta posição.

Williams

"George

Russell voltou a seguir para o Q2 durante a classificação, já mostrando o avanço da Williams, mas também os problemas enfrentados por suas rivais. No entanto, o inglês foi punido após a classificação infelizmente Nicholas Latifi rodou na sua frente e Russell acabou sendo vítima das bandeiras amarelas e teve que largar da vigésima posição.

Durante a corrida a Williams esteve disputando posições com as Alfas e tiveram um desenvolvimento melhor. Eles estão avançando mais ainda será difícil chegar aos pontos.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados