ColunistaFórmula 1Post

Preview – A seleção de pneus para o GP da Emilia-Romagna

A Pirelli segue na utilização da gama intermediária para o circuito de Ímola, os mesmos pneus da temporada passada que funcionaram na pista italiana

A Fórmula 1 vai realizar o segundo GP do ano em Ímola, três semanas após a categoria abrir o campeonato com a prova do Bahrein.

O GP da Emília-Romagna desta temporada contará com os tradicionais treinos livres na sexta-feira, um dia a mais para as equipes testarem os seus carros, diferente da temporada 2020 onde os times realizaram apenas um treino livre e já partiram para a classificação – a estratégia adotada foi por conta do pouco espaço de tempo entre a etapa disputada em Portugal e a corrida que seria realizada na Itália.

A gama escolhida para a etapa

A Pirelli vai utilizar mais uma vez os pneus intermediários da gama, apostando nos pneus C2 (faixa branca – duro), C3 (faixa amarela – médio) e C4 (faixa vermelha – macios), que também foi a escolha para a prova realizada no Bahrein.

Ímola – Foto: reprodução Pirelli Motorsport

Eles apostam na gama intermediária por conta das combinações climáticas e características variadas do circuito, já que combina técnica, curvas de alta velocidade, uma pista que testa a fundo o desempenho do carro. Mas para 2021 os pneus também sofreram algumas mudanças na sua estrutura, impactando na durabilidade. Outra manobra da Pirelli para a temporada é modificar a calibragem dos compostos, para ajudar na sua duração, desta forma os times talvez acabem apostando para Ímola em apenas uma parada. 

Realizar a troca de pneus em Ímola acaba afetando as disputas, o pit-lane é longo e gera muita perda de tempo. Com poucas chances para ultrapassar, as estratégias para o momento da parada são essenciais.

LEIA MAIS: GP da Emilia-Romagna – Dados e as estratégias sobre os pneus utilizados no Circuito de Ímola

No ano passado o circuito foi recapeado antes da prova, mas ele ainda é bem acidentado. Vale lembrar que a prova é realizada no circuito anti-horário.

Ímola não é um circuito que proporciona muitas ultrapassagens, desta forma a guerra na pista se resume as estratégias. Na temporada passada com a ativação do virtual Safety Car na volta 30, Hamilton teve tempo suficiente para realizar uma parada e garantir a liderança da prova com mais de 3 segundos de vantagem para Bottas.

LEIA MAIS: Volta por Volta – Lewis Hamilton conquista vitória em Ímola, acompanhado por Bottas e Ricciardo

Nas últimas 10 voltas o carro de segurança entrou na pista por conta do abandono de Max Verstappen – relacionado ao pneu – George Russell acabou batendo e os pilotos realizaram uma segunda parada nos boxes, com muitos apostando nos pneus macios para o encerramento da prova, já que antes estavam trabalhando com apenas uma parada nos boxes.

Foto: Pirelli Motorsport

O abandono de Max Verstappen

Na ocasião, Max Verstappen estava perto de conquistar o segundo lugar, já que vinha apresentando um bom ritmo na prova. Durante a volta 51 o pneu traseiro direito acabou estourando e o piloto da Red Bull abandonou a prova. O holandês estava com os pneus duros instalados e como vários pilotos conseguiram dar mais voltas com aquele mesmo tipo de composto, a fornecedora de pneus abriu uma investigação.

LEIA MAIS: A Pirelli revelou o motivo do abandono de Max Verstappen no GP da Emilia-Romagna

A Pirelli concluiu que o motivo da falha se deu dentro do centro da banda de rodagem, que causou um dano nas correias e nas lonas do pneu, ocasionando um rompimento. Foi o máximo que conseguiram verificar, já que pneu ficou em pedaços.

LEIA MAIS: F1 modifica horários dos treinos e classificação por conta do funeral do Príncipe Philip

Os comentários de Mario Isola, chefe da Pirelli na Fórmula 1 sobre a etapa em Ímola: 

“Depois de um começo emocionante no Bahrein, temos exatamente a mesma seleção de pneu para Imola: um circuito com características muito diferentes, que estamos ansiosos para visitar como patrocinador principal, ajudando a demonstrar o prestígio do ‘Feito na Itália’ para o mundo. Embora a última corrida em Ímola tenha ocorrido há quase seis meses, as condições podem ser diferentes agora em abril em comparação com novembro e, claro, a construção do pneu mudou. Como foi o caso da última corrida aqui, esperamos que as equipes optem por uma estratégia de parada única, também por causa do tempo perdido nos boxes e a relativa dificuldade nas ultrapassagens. O safety car fez uma grande diferença no ano passado, então há muitos pontos de interrogação no retorno deste fim de semana à Europa.”

 

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados