Picci discorda das escolhas de Vasseur e deixa a presidencia da Sauber

Pascal Picci não concordou com a dupla de pilotos escolhida para 2022, depois de atritos com Vasseur ele deixa a Sauber

Pascal Picci deixou o cargo de presidente da Sauber, que ele ocupava desde 2016. A equipe fora vendida durante a temporada de 2016 para uma empresa de investimentos suíça a Longbow Finance, desta forma Picci assumiu o posto que era de Peter Sauber.

O italiano trabalhou junto com a Islero Investments, empresa que controla a Sauber em nome da Longbow – pois tem sede em Hinwill, cidade-sede da equipe.

Entretanto, ainda no GP do México, Picci surpreendeu o time anunciando que estava deixando o cargo, o motivo está ligado ao fato de discordar das decisões tomadas por Frédéric Vasseur, chefe de equipe da Alfa Romeo na Fórmula 1. Picci não concordou com a escolha dos pilotos para a próxima temporada.

Ao site Motorsport.com ele disse: “Não quero ser associado à gestão de Fred Vasseur no futuro”.  Embora não tenha se aprofundado sobre quais questões especificas levaram ele a tomar essa decisão ele explicou que a escolha dos pilotos que vão estar no time no próximo ano foi fundamental para a sua escolha.

“A forma como os pilotos foram escolhidos foi um dos pontos para ocorrer o rompimento entre mim e a atual gestão. Lamento que Antonio não esteja mais aqui e estou feliz que Zhou chegue. Eu conheço o jovem chinês e também a sua família desde que queríamos coloca-lo na Academia de Pilotos da Sauber, bem como avaliar as oportunidades comerciais que ele pode abrir”, disse Picci.

LEIA MAIS: Alfa Romeo confirma a saída de Giovinazzi e a contratação de Guanyu Zhou para a temporada 2022 da F1

A Alfa Romeo aproveitou a aposentadoria de Kimi Raikkonen para contratar Valtteri Bottas, enquanto Antonio Giovinazzi não teve o contrato renovado, desta forma Guanyu Zhou assume o assento do italiano em 2022.

Neste ano a Alfa Romeo tomou a decisão de se afastar da Ferrari, a Alfa Romeo optou por ter autonomia para escolher a dupla da pilotos, sem ter influência do time italiano. Nos últimos três anos a Ferrari garantiu a sua vaga dentro da Alfa com Antonio Giovinazzi.

Picci não concordou com a mudança da dupla feita por Visseur para a temporada 2022 – Foto: reprodução Alfa Romeo

A Sauber realmente cogitou realizar uma venda da equipe, Picci revelou o que ocorreu nos últimos meses: “O que aconteceu no GP da Bélgica ainda é uma ferida esporta. Ter feito uma corrida com apenas três voltas que permitiu a Williams ganhar pontos, tiraram qualquer oportunidade que tínhamos de recuperar a posição no campeonato de construtores. Spa foi um divisor de águas importante para nós, foi uma das principais razões pelas quais decidimos desistir da F1 e a vender”.

LEIA MAIS: Alfa Romeo confirma a contratação de Valtteri Bottas para a temporada de 2022

No não-GP da Bélgica, a Williams somou 10 pontos, 9 que foram conquistados por George Russell e 1 por Nicholas Latifi. A Williams chegou aos 20 pontos, enquanto até aquele momento a Alfa Romeo contava com apenas 3 pontos.

As negociações com a Andretti que geraram todo aquele burburinho na mídia fracassaram pois os proprietários da Sauber não estavam interessados em abrir mão do controle total da equipe. Picci acredita que Finn Rausing está fazendo as escolhas certas para o futuro. Rausing controla a Islero.

“Ele, [Rausing] é livre para fazer as escolhas, representa os acionistas e é uma pessoa confiável que coloca toda a sua paixão e energia em cima disso. Fui colocado em minoria e tirei as minhas conclusões. Finn permanece sendo alguém confiável para mim quanto as outras pessoas que representam a empresa. Sem hesitar desejo sinceramente o melhor possível para toda a equipe”, completou Picci.

LEIA MAIS: Raio-X: considerações sobre o não-GP da Bélgica

“Estou muito tranquilo quanto ao futuro da equipe porque os donos são pessoas entusiastas e muito apaixonadas, cuja prioridade número um é a proteção dos quadros que a integram. Minha demissão, portanto, não deve, de forma alguma, se tornar um motivo de preocupação para os funcionários da Sauber, tenho certeza”, concluiu.

Sair da versão mobile