ColunistaFórmula 1Post

OPINIÃO – Pérez é ideal para a Red Bull neste momento

A Red Bull optou por contratar Sergio Pérez, pensando no campeonato de construtores. O time quer alguém que ande perto de Max Verstappen

Sergio Pérez estava esperando a confirmação do assento na Red Bull para não tirar o seu ano sabático. A confirmação ocorreu na última sexta-feira (18) e o mexicano vai formar dupla com Max Verstappen em 2021. É claro que alguns questionamentos foram levantados após este movimento.

Se pautarmos pelo ano que Pérez teve, realmente seria triste ver o piloto se despedindo da Fórmula 1 em 2020. Mesmo não participando de dois eventos – GP da Grã-Bretanha e GP dos 70 anos – e abandonando duas corridas, Pérez ficou com o quarto lugar do campeonato de pilotos e somou mais pontos que Alexander Albon durante a temporada.

O mexicano realizou a sua melhor campanha neste ano, após fechar a décima temporada na Fórmula 1 e a sétima com o time. A Racing Point que no próximo ano será a Aston Martin optou por contratar Sebastian Vettel e permanecer com Lance Stroll, desta forma Pérez havia ficado sem assento para o próximo ano, antes que muita coisa nesta temporada se desenrola-se.

Sergio Perez no GP de Abu Dhabi – Foto: Racing Point

Naquele momento Pérez não era suficiente? Na realidade não é bem isso, se dependesse da vontade da internet o mexicano disputaria a próxima temporada ao lado do tetracampeão mundial, Sebastian Vettel. Mas como não era possível ficar com um e ter o outro, já que Lance Stroll tem aporte por conta do pai, no momento da escolha Pérez foi retirado dos planos futuros e de longo prazo do time.

A temporada final de Pérez e Albon e a decisão

Sergio Perez conquista o segundo lugar no GP da Turquia – Foto: Racing Point

A parte final da temporada do mexicano deve ter contado muito, mas se olharmos como um todo, Pérez pontuou em todas as etapas, ainda que tenha ficado fora de quatro corridas. Ser consistente é algo que a Red Bull busca, então o piloto acabou entrando no radar do time.

Ser trocado e estar sem um assento disponível para 2021 poderia abalar muitos pilotos, mas para Pérez foi um motivacional, a busca por conseguir outra equipe. O piloto que já tinha terminado na quarta posição no GP da Rússia e Eifel, foi ao pódio no GP da Turquia e quase repetiu o feito no Bahrein, mas no GP de Sakhir ele finalmente conquistou a sua primeira vitória da carreira.

Confira: Sergio Pérez, Alex Albon e a Red Bull

Em contrapartida Alexander Albon havia dado esperanças para a Red Bull com a temporada de 2019, mas com o desenrolar da temporada 2020, o tailandês deixou um pouco a desejar. Helmut Marko não é o homem mais fácil de agradar e cobrou o desempenho de Albon. Ao andar com um carro da Red Bull Albon não precisava superar Verstappen, mas estar andando próximo ao companheiro de equipe, coisa que ficou longe de acontecer em várias provas.

Os dois pódios de Albon não foram suficientes, então optaram por buscar outra opção e mover o piloto para reserva do time.

Alexander Albon foi ao pódio no GP da Toscana – Foto: Red Bull Racing

Com este desempenho a Red Bull optou por quebrar o seu ciclo de chances para os jovens pilotos e recorrer a um piloto mais experiente de fora do seu círculo. Pérez estava disponível, conhece os carros desta temporada, além de se mostrar um piloto aguerrido. Com mais anos de experiência é possível que o mexicano não tenha o emocional afetado, desta forma a única limitação será – a Red Bull vai entregar o mesmo carro para Pérez?

O mexicano não faz muito perfil segundo piloto, e se a Red Bull de fato quer desafiar a Mercedes na próxima temporada terá que se preparar para atualizar o carro e deixar ele o mais equilibrado para os dois pilotos. Também é o momento de Pérez mostrar que a aposta que a RBR fez nele valeu o investimento.

A base da Red Bull está ameaçada?

De forma alguma essa posição está ameaçada. Várias equipes no grid estão passando por processos de reestruturação e fizeram outras apostas para a temporada 2020. O objetivo da Red Bull é claro, vencer o campeonato de construtores, infelizmente com o desempenho de Albon isso não aconteceria na próxima temporada. Como o time austríaco já conhecia as suas possibilidades, optou por arriscar em algo diferente.

Yuki Tsunoda é a prova que a base dentro da Red Bull não está ameaçada, o piloto será preparado na AlphaTauri para futuramente ocupar um cago no time principal.

Alexander Albon teve a sua chance, mas várias pessoas acreditam que a sua promoção aconteceu de forma precipitada. O tailandês está na posição de piloto reserva e de testes no próximo ano, vai continuar executando trabalhos com o time e pode sim retornar em algum momento para a Fórmula 1. Daniil Kvyat teve mais chances que qualquer um. Seu retorno não deve ocorrer imediatamente tem apenas 24 anos.

Além disso, existe uma outra questão que a Red Bull precisa ainda resolver com Max Verstappen. O motor Honda permanece no time ou eles vão retornar para o Renault? Então tem muita água para rolar ainda.

Briga interna

O próprio perfil da Fórmula 1 já lançou esse duelo, Max Verstappen e Sergio Pérez precisam trazer pontos para casa, eles não podem se dar ao luxo de abandonar uma corrida com batidas porque um dos dois não quis ceder um pouco.

Certamente o holandês tem vantagem pois conhece a Red Bull e tem o carro trabalhando para ele, mas isso não impede de Pérez exigir um equipamento melhor – só depende do contrato dele.

Ao mesmo tempo que o fator Pérez pode dar uma mudada em Verstappen, pois o piloto está um pouco acomodado com os companheiros que tem. Certamente ele vai adquirir um pouco de experiência com o mexicano ao seu lado.

É esperado que a dupla ande perto, desta forma a Red Bull teria uma gama de estratégias melhores para trabalhar ao longo da prova. A Mercedes deve continuar dominando a ponta, mas também é esperado que a Racing Point esteja mais forte na próxima temporada, além disso a McLaren vai receber o motor Mercedes, com este cenário o número de equipes que será preciso atacar e planejar a defesa tira a Red Bull completamente da zona de conforto.

Com tudo isso desenhado, assim como Vettel parecia ideal para a Aston Martin quando ele foi escolhido para compor o time, agora Sergio Pérez parece a peça que faltava para a Red Bull.

E por fim, os objetivos da Red Bull foram traçados, dentro do cenário atual Pérez era realmente o piloto que melhor se encaixava no perfil, neste primeiro momento parece realmente que foi a melhor opção dentre as escolhas.

A Fórmula 1 não é fácil, nunca teremos vagas para todos os pilotos. O ambiente cobra resultados e adaptação rápida. Cada time traça o seu propósito dentro das pistas, além de avaliar os seus projetos em outros campos, e quem melhor atente a demanda atual fica com a vaga. Nem sempre será justo.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados