ColunistaDestaquesFórmula 1Post

O Grupo McLaren deve reduzir 1.200 funcionários após ser afetada por pandemia

Foto de Capa: Fórmula 1

Por conta da pandemia do novo coronavírus, a McLaren anunciou nesta terça-feira (26) que deve demitir 1.200 funcionários. Diversas empresas foram afetadas ao redor do mundo e sem um prazo para as coisas “voltarem ao normal”, estão precisando tomar medidas drásticas agora.

A McLaren além de atuar na Fórmula 1 e utilizar a categoria para explorar a tecnologia, ela fabrica carros esportivos. Com as demissões a equipe mostra tem sofrido com a pandemia e o próprio time da Fórmula 1 não sairá ileso.

As equipes do grid precisaram afastar alguns funcionários por conta do fechamento das fábricas, a Fórmula 1 antecipou as férias de verão para o início do ano, como uma forma de reduzir os custos do início de uma temporada de 2020.

“Nós lamentamos muito o impacto que essa reestruturação terá sobre nós, especialmente sobre aqueles que tiveram seus empregos afetados”, disse Paul Walsh, diretor-executivo do Grupo McLaren.

Neste período as equipes discutiram sobre a redução do novo teto orçamentário que estava estipulado em US$ 175 milhões, mas precisaram chegar em um acordo e reduzir ele ainda mais, pensando em US$ 145 milhões, para fechar o acordo. Desta forma as equipes estão sinalizando que vão precisar mudar e se reestruturar para cumprir o acordo.

“É uma ação que trabalhamos pesado para evitar, já cortando gastos de forma drástica em todas as áreas. Só que agora não temos outra opção além de diminuir o tamanho do nosso quadro de funcionários. Esse é certamente um momento desafiador para nossa empresa, ainda mais para nossos funcionários, mas planejamos um retorno mais eficiente, sustentável, com plano de crescimento”, completou.

A categoria, assim como as suas equipes têm passado por um momento de reestruturação. A McLaren vem de uma desafiadora “volta por cima”, após se reestruturar e voltar a crescer no pelotão intermediário. A equipe ainda vai passar por outras mudanças e precisa se reinventar.

<

p style=”text-align: justify;”>Destes 1.200 funcionários, aproximadamente 70 deles são ligados com a Fórmula 1 e seus negócios, mas as discussões seguem em andamento, pare serem de fato concluídas.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados