ColunistaFórmula 1Post

Max Verstappen lidera último dia de testes no Bahrein, acompanhado por Tsunoda com a AlphaTauri

O terceiro dia de testes foi marcado pelas voltas em modo de simulação de corrida, mas alguns times treinaram as voltas rápidas no final da sessão

A pré-temporada se encerrou neste domingo (14) após três dias de atividade intensa no Bahrein. O último dia de testes foi reservado para os times se alterarem em voltas em modo de simulação de corrida e voltas rápidas, mas algumas equipes ainda fizeram alguns testes aerodinâmicos tanto com as grades de aferição aerodinâmica, quanto com o flow-vis espalhado em partes específicas do carro.

Os últimos 60 minutos foram reservados para os times gastarem os seus pneus macios e médios, realizando a simulação de classificação e se o dia parecia um pouco parado até o momento, logo perdeu está cara com a alteração de posições.

Max Verstappen e Yuki Tsunoda disputaram a liderança da tabela de tempos utilizando os pneus macios. Carlos Sainz conseguiu se aproximar dos pilotos com motor Honda e fechou a atividade na terceira posição, após superar Kimi Raikkonen.

Falando no finlandês da Alfa Romeo, foi possível ver o piloto completando 166 voltas, o piloto com mais giros neste último dia de testes. George Russell que treinou com a Williams terminou no sexto lugar com 157 voltas.

Confira como foi o último dia de atividades da pré-temporada

Manhã

O último dia de testes começou assim que o pit lane foi liberado, e igual a primeira atividade que ocorreu na sexta-feira foi Kimi Raikkonen que liderou a entrada na pista, ele já estava com as grades de aferição aerodinâmica começando a coleta de dados para a Alfa Romeo. A Red Bull guiada por Sergio Pérez, a AlphaTauri com Pierre Gasly e a Mercedes com Valtteri Bottas estavam com grades posicionadas nos seus carros também.

O sol brilhante e o tempo aberto marcaram o início da atividade, a temperatura na pista estava na casa dos 34°C, com 21°C no ambiente e não havia ventos como nos dois primeiros dias de atividade.

Charles Leclerc abriu a tabela de tempos com 1m32s959 de pneus médios, enquanto Valtteri Bottas vinha logo atrás com o pneu protótipo da Pirelli instalado – C3 Médio – registrando 1m36s347. Os outros pilotos que só completaram voltas de instalação estavam com pneus macios ou duros instalados em seus carros.

Apenas a Alfa Romeo e a Williams realizariam o último dia de testes com apenas um piloto, Raikkonen e George Russell foram escalados para uma atividade completa com os seus times.

A Aston Martin que enfrentou problemas na manhã do sábado enquanto Sebastian Vettel estava no carro, liberou Lance Stroll para o circuito ainda nos primeiros 20 minutos. Foi no mesmo momento que Russell registrou o terceiro melhor tempo até aquele momento – 1m34s075 – de pneus duros, enquanto Mick Schumacher era o líder da atividade com 1m32s803.

Antes da conclusão da primeira hora de atividade, todos os pilotos haviam completado pelo menos uma volta cronometrada no circuito. Charles Leclerc era o líder com 1m30s486 registrado com os pneus médios, o piloto estava acompanhado por Mick Schumacher, Sergio Pérez e Esteban Ocon. O mexicano foi o último liberado, mas logo passou para o terceiro lugar na tabela de tempos, vale lembrar que no sábado o piloto que guia o RB16B protagonizou uma cena interessante, já que a tampa do motor do carro acabou estourado.

A primeira hora de atividade garantiu a permanência de Leclerc na liderança, por outro lado era possível ver que alguns times já estavam focados em adquirir quilometragem, como a Aston Martin, Mercedes, Williams e Alpine. Os times alteranavam entre a utilização dos pneus duros, médios e macios. 

Pela segunda hora de atividades a McLaren começou a trabalhar com o flow-vis espalhado no bico carro guiado por Lando Norris, mas a AlphaTauri também optou por realizar tais testes com o AT02. Os times seguiram em seus testes aerodinâmicos particulares e as simulações de corrida.

Bottas e Leclerc acabaram protagonizando algumas escapadas de pista, enquanto faziam suas voltas com um possível taque cheio. Os times seguiram investindo na simulação de corrida, alternando a utilização dos pneus duros, médios e macios. O filandês da Mercedes, assim como o inglês da Williams já haviam chegado a marca de 40 giros ao final da segunda hora de testes.

Ao invadir a terceira hora de atividades da manhã, Sergio Pérez que estava com os pneus médios instalados passou para a segunda posição com 1m30s543. O mexicano seguiu tentando melhorar a suas voltas e evoluiu para 1m30s309 quando pegou vácuo do carro de Kimi Raikkonen no início da volta, pegando a ponta da sessão, mas ele não parou por aí e já na última hora de atividades anotou 1m30s187 de pneus médios.

A sessão matinal foi dedicada a testes em que os pilotos praticaram os ‘’long runs’’, permanecendo mais tempo na pista, antes de retornar para os boxes. No entanto, Raikkonen ainda trabalhou algumas voltas rápidas. 

Sergio Pérez realizou uma troca da asa dianteira, para dar algumas voltas nos últimos dez minutos de atividade. O mexicano seguiu na liderança da sessão, enquanto Lance Stroll foi o piloto que mais completou voltas na atividade, finalizando a manhã com 51 giros.

Tarde

Oito times trocaram os seus pilotos para a atividade vespertina, apenas Kimi Raikkonen e George Russell permaneciam com os sues times.

Quando o pit lane foi liberado pela segunda vez, Ricciardo foi para a pista abrindo a atividade com uma volta de instalação. Fernando Alonso que assumiu o carro da Alpine já havia começado a aferir os seus primeiros tempos – 1m32s953 – mas o piloto estava utilizando o pneu protótipo em seus primeiros giros.

Kimi Raikkonen também estava trabalhando uma sequência de voltas rápidas, mas estava utilizando os pneus protótipos iguais aos de Alonso. O finlandês ocupava a décima primeira posição com 1m33s238 com a Alfa Romeo, mas também estava realizando testes aerodinâmicos com a utilização do flow-vis espalhado na asa traseira do C41.

Depois de quarenta minutos de atividade, Ricciardo assumiu a quinta posição com os pneus médios, os pilotos estavam investindo na utilização deste composto para registrar algumas voltas mais velozes.

Com a primeira hora de testes a tarde concluída, Hamilton era o único piloto que não tinha deixado os boxes ainda. A Mercedes não havia finalizado a preparação para o inglês assumir o carro. O destaque desta parte da atividade ficou para Daniel Ricciardo que foi o mais veloz do segundo grupo, ocupando a quinta posição.

A Mercedes liberou Hamilton dez minutos após iniciar a segunda hora de atividades, o carro estava escorregando pela pista e o piloto encontrou uma certa resistência para concluir a volta. O time alemão havia aplicado um pouco de flow-vis na suspensão do lado esquerdo do carro.

Yuki Tsunoda rodou na curva 7, o piloto estava próximo a Kimi Raikkonen quando perdeu o carro, mas rapidamente retornou para a pista para seguir a sua atividade. O japonês fez uma rápida passagem nos boxes para trocar os pneus, ele já havia completado 38 voltas.

Os pilotos que começaram as suas atividades a tarde seguiram o ritmo dos pilotos da manhã, alternavam entre voltas rápidas e o modo de simulação de corrida. Ninguém havia superado o tempo estabelecido por Pérez na manhã ainda, mas Ricciardo era o terceiro colocado com a McLaren, apresentando a melhor volta da tarde com 1m30s587 de pneus macios depois de duas horas de atividade.  

A Alfa Romeo foi a primeira a ultrapassar as 100 voltas, enquanto George Russell surgiu depois adquirindo uma boa quilometragem para a Williams, ambos já haviam ‘completado’ dois GPs.

Outra Red Bull passou a lidera os testes nas duas últimas horas, Max Verstappen virou duas boas voltas com os pneus protótipos da Pirelli anotando 1m29s942 e depois 1m29s792, estes eram os melhores tempos estabelecidos nos três dias de atividade. Algumas equipes já estavam dando mais atenção aos pneus médios, mas principalmente aos macios já que o fim da tarde estava se aproximando. 

Restando 1h30 para o encerramento da atividade, foi a vez de ver Raikkonen com os pneus macios superando o tempo estabelecido por Leclerc na atividade da manhã, o finlandês encaixou o melhor tempo com a Alfa Romeo após anotar 1m30s441.

A AlphaTauri estava mostrando mais uma boa performance, Gasly havia completado 76 voltas, enquanto Tsunoda já tinha 62 giros. Apesar de alguns problemas durante o fim de semana como o do tanque de combustível na primeira sessão, ou o motor no sábado, o time vinha acumulando uma boa quilometragem.

Se aproximando da última hora, Tsunoda instalou os pneus macios e anotou 1m30s036, para assumir a segunda posição. Carlos Sainz tinha acabou de deixar o final da tabela de tempos depois de cravar 1m31s070 com os compostos duros.

Com a temperatura da pista na casa dos 26°C, e 21° no ambiente, os times passaram a investir em algumas voltas rápidas, fazendo a simulação de classificação. Tsunoda assumiu a ponta rapidamente após anotar 1m29s777, mas o japonês foi superado por Raikkonen que cravou 1m29s766.

Verstappen entrou na disputa pela ponta e anotou 1m29s733 de pneus médios, mas a sua volta não fora perfeita, pois isso pouco tempo depois foi a vez de Tsunoda bater o tempo do piloto da Red Bull e retomar a ponta com 1m29s671.

Mesmo completando 65 voltas, o carro da Ferrari que era guiado por Carlos Sainz passou por uma verificação que detectou problemas hidráulicos, mas o espanhol retornou para a pista na última meia hora de atividade. 

Enquanto isso Yuki Tsunoda seguia voando, após melhorar a sua marca para 1m29s282, Hamilton escalava o grid de forma modesta, avançando um pouco entre as posições até chegar ao quarto lugar com 1m30s025.

Depois de uma breve passagem nos boxes, o holandês voltou para a ponta com 1m28s960, seguido pelo japonês que havia melhorado para 1m29s053.

Hamilton havia deixado os boxes com um jogo novo de pneus macios, mas acabou rodando na última curva do circuito quando planejava abrir a volta rápida, mas precisou abortá-la, dando uma volta lenta pelo circuito. Desta forma Carlos Sainz que estava ocupando a décima primeira posição saltou para o terceiro lugar – 1m29s611 – com o pneu C4.

Sebastian Vettel teve um problema mecânico nesta tarde, o piloto estava ocupando a décima sétima posição e não pode participar das voltas rápidas que os times realizaram nesta tarde. Em três dias de atividade, está foi a segunda vez que o alemão foi prejudicado já que perdeu a atividade realizada na manhã de sábado.

Max Verstappen terminou a atividade na liderança, completando mais de 60 voltas na pista. Lewis Hamilton teve dificuldade para encaixar uma boa volta, mesmo instalando jogos de pneus macios novos, o piloto ficou com a quinta posição. 

Já com a sessão encerrada, Carlos Sainz e Kimi Raikkonen disputaram espaço na pista como se fosse uma corrida, os dois pilotos se tocaram e depois ficaram se fechando pelo circuito antes de chegarem aos boxes. 

LEIA MAIS: Dia 1 – Verstappen passa das 100 voltas e lidera primeiro dia de testes no Bahrein

Valtteri Bottas lidera segundo dia de atividades, enquanto RB16B com Pérez perde a tampa do motor

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados