ColunistaFórmula EPost

Max Guenther vence prova que parecia ser dominada por Vergne

O alemão não desistiu do primeiro lugar, até conseguir a ultrapassagem em Vergne nas últimas voltas

Assim como na rodada de abertura, o grid inteiro fez um minuto de silêncio em homenagem a todas as vítimas da COVID-19 no mundo. Um gesto simbólico, mas como falado por Téo José na transmissão, o Brasil chegou neste sábado a triste marca de 100.000 mortos pela doença.

A equipe do Boletim do Paddock expressa sua profunda solidariedade a todas as famílias que perderam seus entes queridos devido à pandemia. 

Na pista, um safety car causado por um acidente que envolveu Sérgio Sette Câmara mudou a história da corrida. O brasileiro abandonou a prova logo após bater em James Calado. Os outros dois brasileiros brigaram entre si e Felipe Massa foi punido com um drive through pela disputa, acabou chegando em último, enquanto di Grassi terminou na 8ª posição. 

O pole position Jean-Eric Vergne chegou em terceiro, após o carro novamente apresentar problemas de consumo de bateria. Vergne foi ultrapassado nas últimas voltas pelo vencedor Max Guenther e por Robin Frijns.

Antonio Félix da Costa consolidou sua liderança com o quarto lugar, seguido de perto por Andre Lotterer. Oliver Rowland e Jerome D’Ambrosio, que participaram de boas disputas durante toda a prova, chegaram em 6º e 7º. Mitch Evans e Alexander Sims fizeram corridas de recuperação para chegar entre os dez primeiros. 

SAIBA COMO FOI A CORRIDA

Luzes apagadas e Vergne se manteve na liderança. Guenther caiu para 3º, perdendo a posição para D’Ambrosio. Vandoorne tentou passar Lynn por fora e perdeu a posição para Frijns. Sette Câmara caiu para a 13ª posição. Di Grassi e Massa subiram para 10º e 11º. Líder do campeonato, da Costa se manteve em oitavo e Guenther voltou a ser segundo.

Nas primeiras voltas os carros estavam bem próximos uns dos outros. Vandoorne caiu de 4º para 6º. Frijns passou o belga e Alex Lynn para chegar ao 4º lugar.

Em 19º, Nico Mueller foi o primeiro a ativar o Modo Ataque. Gunther iniciou seus ataques a Vergne. Assim como Massa em di Grassi. Ainda na briga com Lynn, Vandoorne subiu para a 4ª posição após uma fritada de pneus.

Evans ganhou duas posições no grid ao passar Mueller e Mortara, chegando a 18º. Sette Câmara caiu para o 15º lugar.

D’Ambrosio se aproximou de Guenther e Vergne, o francês não demonstrava ter o mesmo rendimento que o companheiro de equipe nas primeira rodadas. 

Na rinha de brasileiros, Lucas di Grassi perdeu a posição para Felipe Massa após ativar o Modo Ataque. Di Grassi tentou recuperar e foi empurrado por Felipe, quase bateu no muro. 

Safety Car na pista, Sette Câmara se envolveu em acidente com Calado. Metros depois de Buemi ultrapassar di Grassi, o brasileiro da Dragon bateu no piloto da Jaguar ao tentar ultrapassá-lo, Calado rodou e ficou atravessado na pista. Sérgio tentou prosseguir com o carro danificado e acabou sendo atingido por Neel Jani que por sua vez bateu em Rene Rast. O piloto da Audi conseguiu se manter na pista, mas Sette Câmara e Jani abandonaram a prova.

Ainda com o Safety Car na pista, Calado levou o carro para os boxes e abandonou a prova. 

Redução de 9 kW e relargada, a corrida que estava tranquila, vira um festival de disputas e ultrapassagens por todo lugar. Guenther parte para o ataque em Vergne. Na volta seguinte, o alemão ativou o Modo Ataque e caiu para 5º. Ouviu no rádio um “tenha paciência” do engenheiro, e subiu para 4º logo depois, mostrando que o aviso do engenheiro foi devidamente ignorado.

Com os líderes passando pela zona de ativação, Guenther subiu para segundo novamente e quase passou Vergne. Robin Frijns apareceu em 3º. Vandoorne começou a cair no grid, até a última posição e abandonou a corrida.

Fanboost da corrida para Lotterer, Abt, di Grassi, Vandoorne e da Costa.

Todas as simultâneas ativações do Modo Ataque levaram Massa para a 6ª posição. Evans em mais uma ótima corrida de recuperação já era o 12º. Félix da Costa se manteve em 8º, fazendo uma clara corrida conservadora. 

Alex Lynn caiu para 9º após perder posições para da Costa e Lotterer. Na frente, Vergne abriu 1.7 para Guenther e ativou o Modo Ataque pela segunda vez. Na saída da zona de ativação, Guenther pressionou o francês de todas as maneiras para chegar à liderança. 

Perdendo posições, Massa caiu para 11º no momento em que foi punido com um drive through por ter causado a colisão com di Grassi. Lucas manteve o ritmo na pista. ultrapassou de Vries após grande disputa com o holandês. Rast e Sims encostaram nos dois.

Mitch Evans, que saiu do 19º lugar já estava na 8ª posição quando fez a volta mais rápida da prova 1:08.350. Quem também ganhou terreno aos poucos, foi Félix da Costa que já aparecia na quinta posição. 

Faltando 5 minutos para o fim da prova, os dez primeiros eram Vergne, Guenther, Frijns, da Costa, Rowland, Lotterer, d’Ambrosio, Evans, di Grassi e Lynn.

A perseguição de Guenther continuou até ele conseguir a ultrapassagem quando o cronômetro já marcava menos de 3 minutos para a bandeira final. Contudo, a intensa disputa não havia chegado ao fim, Vergne tentou voltar à liderança, mas não conseguiu. O francês, na verdade precisou poupar bateria e perdeu a segunda posição para Frijns. Mais atrás, Lotterer passou Rowland e chegou 5º lugar.

Na volta final, Frijns encostou em Guenther e tentou a ultrapassagem até o último segundo. A dupla da Techeetah também travou uma disputa forte e Andre Lotterer chegou nos dois. Apesar da emoção, as posições se mantiveram e foi Max Guenther quem viu a bandeira quadriculada primeiro. Frijns e Vergne completaram o pódio com da Costa e Lotterer logo atrás. Rowland, D’Ambrosio, di Grassi, Evans e Sims fecharam o top 10. Massa não conseguiu se recuperar do drive through e acabou chegando em último.

Mostrar mais

Cinthia Venâncio

Cearense que acompanha Fórmula 1 desde que se entende por gente. Faz aniversário no mesmo dia do Damon Hill.

Deixe uma resposta

Artigos relacionados