ColunistaExtreme EPost

Lenda do Rally Dakar, Carlos Sainz vai correr na Extreme E em 2021

Tricampeão se junta à Laia Sanz em supertime espanhol 

A Extreme E confirmou nesta segunda-feira (30) os boatos sobre a participação de Carlos Sanz na categoria. O tricampeão do Rally Dakar terá Laia Sanz como companheira de equipe na ACCIONA | Equipe Sainz XE.

A dupla de pilotos formada por Sainz e Sanz como pilotos faz parte das regras da categoria que tem como um dos objetivos incentivar a participação feminina em competições automobilísticas e promover a igualdade de gênero. Além disso, a nova competição global também integra preservação ambiental e mobilidade sustentável.

Titular da equipe, a Acciona é um conglomerado espanhol do promoção e gestão de infraestruturas e as energias renováveis que em 2017 levou a primeira equipe a completar o Rally Dakar com um veículo 100% elétrico.

Já a QEV Technologies, uma empresa especializada em P&D em mobilidade elétrica e com vasta experiência em competição automobilística, será a parceira técnica da equipe. 

A empresa, que também é espanhola, foi uma das parceiras da NextEV quando Nelsinho Piquet conquistou o campeonato na primeira temporada. Ela também trabalhou em conjunto com a Mahindra por alguns anos e agora está na Fórmula E com a NIO 333.

Carlos Sainz ganhou o Campeonato Mundial de Rally duas vezes, em 1990 e 1992. Ele também venceu o Rally Dakar três vezes: em 2010, 2018 e, mais recentemente, este ano. O piloto espanhol recebeu o prêmio Princess of Asturias Sports Award 2020 por sua bem-sucedida carreira na elite do automobilismo mundial.

Para ele “Este é sem dúvida um novo tipo de competição no mundo do automobilismo e não só pelo tipo de carro, que é 100% elétrico, mas também pelo formato. Competir em um campeonato onde há igualdade de gênero, onde ambos os pilotos são igualmente importantes e onde ambos vão ganhar e perder juntos parece muito original e inclusivo.

“Para um veterano como eu, esta é uma das últimas coisas que ainda estou para experimentar: Eu teria deixado para trás algum território inexplorado (se não tivesse aceitado participar)”, afirmou o tricampeão.

Laia Sanz foi Campeã Mundial de Trial (competição de motocicletas) treze vezes e Campeã Mundial de Enduro em cinco ocasiões. Ela terminou o Rally Dakar dez vezes, entre 2011 e 2020, vencendo na categoria de motocicletas femininas em todas elas. 

Ela também terminou em 9º lugar em 2015, alcançando o melhor resultado já obtido por uma mulher na categoria de motocicletas do Rally Dakar. Sua participação na nova equipe Extreme E representa sua passagem oficial do motociclismo para as corridas de carros esportivos.

A piloto está muito empolgada com o novo desafio: “Sou muito grata pela fé que Carlos, QEV Tech e ACCIONA têm demonstrado em mim. Estou tremendamente motivada e entusiasmada, pois este é um passo importante para mim; sempre tive interesse em carros esportivos e tenho certeza de que vou aprender muito ao lado de Carlos. 

“Sou uma grande admiradora dele e formar uma equipe com ele é como um presente; ele é o melhor companheiro de equipe que eu poderia pedir. Espero estar à altura das expectativas e aprender rapidamente para ajudar a equipe o mais rápido possível.

“O formato do campeonato é novo em si e é muito interessante ver equipes formadas por homens e mulheres. Também inclui um conceito de sustentabilidade: temos que começar a pensar sobre isso. Acho que as corridas vão caminhar cada vez mais nessa direção”.

A Equipe ACCIONA | Sainz XE competirá contra oito equipes de corrida de ponta, que mostrarão a confiabilidade da mobilidade elétrica e como as energias renováveis podem ser competitivas quando colocadas à prova nos ambientes mais exigentes.

Mostrar mais

Cinthia Venâncio

Cearense que acompanha Fórmula 1 desde que se entende por gente. Faz aniversário no mesmo dia do Damon Hill.

Deixe uma resposta

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo