ColunistaFórmula 1Post

Kimi Raikkonen um dos mestres na Fórmula 1

O finlandês não liga muito para os recordes ou números, mas a sua experiência na categoria é vasta e quem convive com o finlandês sabe sobre a sua importância

Os recordes acabam marcando a carreira dos pilotos, após o GP de Eifel, Kimi Raikkonen completou 323 largadas e mesmo não ligando muito para este número, outras pessoas olham para este feito com tamanha admiração.

Na live desta última quinta-feira aproveitando o Dia dos Professores, falamos sobre os mestres da Fórmula 1, alguns pilotos que ensinaram os seus companheiros de equipe ou que outros pilotos se espelharam em suas carreiras para aprender mais.

Kimi Raikkonen pode não ter o perfil de piloto que parte dele ensinar as coisas, mas é possível ver na relação que o finlandês estabeleceu com Antonio Giovinazzi, que o italiano consegue extrair o conhecimento adquirido por Raikkonen durante estes anos de Fórmula 1.

“Estou muito feliz com o relacionamento que temos e como trabalhamos juntos. Acho que ele sempre foi um adversário justo e nunca tivemos problemas um com o outro. Como estreante, com um companheiro de equipe campeão mundial, aprendi muito com ele nos últimos dois anos e também quando trabalhamos juntos na Ferrari, ele sempre esteve aberto para me ajudar e discutir coisas juntos.”

No vídeo publicado pela Fórmula 1 nesta manhã, Raikkonen e Giovinazzi deram uma volta em Nüburgring no Nordschleife. Durante a volta do finlandês é possível ver todo o seu domínio, ainda que tente assustar o companheiro de equipe. Mas durante a volta de Giovinazzi, Raikkonen passa algumas instruções para o italiano aproveitar mais a sua volta.

Giovinazzi e Raikkonen – Foto: Alfa Romeo Media

Ano após ano, as pessoas se perguntam quando Raikkonen vai deixar as pistas, mas enquanto ele manter a vontade de vencer e continuar sendo competitivo, é difícil dizer quando ele vai parar.

Mark Arnall que é seu treinador desde a 2002 quando o piloto foi para a McLaren. “Kimi tem uma força de caráter excepcional para lidar com os pontos baixos e seguir em frente. Ele também é muito bom em celebrar os altos”

“Nunca pensei que a carreira dele fosse durar tanto (na verdade pensei que seria muito mais curta), mas sempre pensei que ele seria Campeão do Mundo, ele era muito rápido e tinha muito talento. Eu também não conseguia imaginar o jovem lunático destemido com quem comecei a trabalhar tendo filhos e se estabelecendo, mas vê-lo como um pai também é incrível.”

Raikkonen apoia os filhos que ainda são novos, mas aposta no futuro deles e já vimos algumas vezes ele incentivando as crianças no kart. Ele aparenta ser um bom mestre para os filhos e deve ensiná-los a enfrentar este futuro se optaram realmente por estabelecer uma carreira no automobilismo.

Robin Raikkonen e Kimi Raikkonen correndo de kart – Foto: Robin Raikkonen

O engenheiro de corrida de Raikkonen, Julien Simon-Chautemps, que já trabalhou com o finlandês na Lotus, falou sobre como é trabalhar com o homem de gelo: “Tem sido muito fácil trabalhar com ele desde o início. Nós nos damos muito bem, ele é um homem muito franco e não há áreas cinzentas com ele. Ele sabe exatamente o que precisa e o que quer fazer, o que torna nossa vida muito mais fácil. Ele poderia ser um engenheiro de corrida muito bom, na verdade às vezes isso torna minha vida mais fácil, às vezes um pouco menos! Mas ele é um cara muito bom, um piloto muito rápido, extremamente bom em saber o que os carros precisam e o que ele precisa fazer para que eles andem rápido. Ele é um grande trunfo para a equipe.”

E mesmo não sabendo sobre a permanência de Kimi Raikkonen para a próxima temporada, o contido Peter Sauber disse: “Trezentos e vinte e três corridas são boas, mas os números não são tão importantes”, disse Sauber. “O que é importante para mim é que Kimi ainda tem o mesmo carisma que me fez contratá-lo há 20 anos.”

O finlandês completa neste sábado 41 anos, está na categoria desde 2001 quando estreou com a Sauber no GP da Austrália. Neste período Raikkonen não participou das temporadas de 2010 e 2011. Ele correu pela Sauber, McLaren, Ferrari e Lotus e atualmente defende a Alfa Romeo.  

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo