Haas confirma a saída de Magnussen e Grosjean. Pilotos da base podem ser a aposta para 2021

A Haas teve apenas três pilotos na sua equipe, foi uma história longa e duraroura com os atuais pilotos, mas agora o time está em um momento de renovação

Nesta quinta-feira (22) a Haas anunciou a saída de Romain Grosjean e Kevin Magnussen, este era um assunto que vinha dominando a semana, pois alguns sites já estavam dando como certo a saída deles e o anúncio seria realizado antes das atividades para o GP de Portugal.

Não é a notícia que espanta, na verdade o grande choque foi provocado quando o time optou pela renovação do contrato dos dois pilotos para a temporada 2020. Para o próximo ano é possível olhar para o grid atual, os pilotos que estão na base e aqueles que estão sem vaga na F1, para notar que o mercado tem pilotos promissores e que podem ajudar no crescimento do time de diferentes formas.

JULY 09: Kevin Magnussen, Haas F1 and Romain Grosjean, Haas F1 during the Styrian GP on Thursday July 09, 2020. (Photo by Andy Hone / LAT Images)

Romain Grosjean foi para a Haas no início de 2016, correu com Esteban Gutierrez, a Haas começava a sua história com o modelo VF-16. No ano seguinte Kevin Magnussen já havia passado pela McLaren e Renault, passou a fazer parte do time e desde então os dois estão comandando o time.

O melhor resultado no campeonato de construtores ocorreu em 2018, quando o time conseguiu conquistar o quinto lugar. No entanto, na última temporada a equipe passou a ocupar o nono lugar, além disso a quantidade de pontos conquistados também reduziu.

A Haas garante que vai permanecer na F1, após ter assinado o Pacto de Concórdia e desta forma, vão mudar os seus pilotos para tentar dar um novo rumo para o time. A lista de pilotos é vasta, vários boatos vêm surgindo, mas eles ainda não confirmaram a dupla para 2021. Acredita-se que um dos assentos é de algum piloto da Academia da Ferrari, vamos precisar aguardar um pouco mais para está definição.

Confira: GP de Portugal – História, estatísticas e o retorno

Colocar jovens talentos implica na falta de experiência, mas como a Haas aparenta ser uma equipe que gosta de trabalhar com os pilotos por um longo período de tempo, pode ser uma boa aposta ter pilotos que querem se garantir e podem trazer um aporte financeiro.

Os pilotos já estavam buscando participar de outros projetos para permanecer no automobilismo, Romain Grosjean deve apostar nos hipercarros, enquanto Magnussen parece inclinado a se manter na Fórmula 1.

Sobre a sua saída Grosjean disse: “O último capítulo está fechado e o livro está terminado. Estou na Haas desde o início. Cinco anos durante os quais passamos por altos e baixos, marcamos 110 pontos em 92 corridas, mas a jornada valeu a pena.”

“Aprendi muito, melhorei para ser um piloto melhor e também um homem melhor. Espero ter ajudado as pessoas da equipe a se aprimorarem. Este é provavelmente o meu maior orgulho, mais do que qualquer uma das primeiras corridas loucas em 2016 ou o P4 no GP da Áustria 2018. Desejo à equipe tudo de bom para o futuro.”

Magnussen também falou sobre a sua saída: “A temporada 2020 será minha última com a Haas. Eu me diverti muito com a equipe por quatro anos e olho para trás e vejo uma grande jornada. Fazer parte de uma equipe totalmente nova tem sido um desafio que eu gostei muito e isso me trouxe uma enorme quantidade de experiência que me ajudou a crescer e me desenvolver como piloto.”

Confira: GP de Portugal – Os compostos para a rodada, uma estrátegia mais conservadora adota pela Pirelli

“Gostaria de agradecer a Gene, Guenther e toda a equipe por sua lealdade e confiança em mim nos últimos quatro anos. Ainda estou trabalhando em meus planos para o futuro, que irei anunciar assim que possível. Ainda há seis corridas para fazer nesta temporada, e estou determinado a dar tudo de mim para terminar em alta.”

Kevin Magnussen deixa a Haas ao final da temporada 2020 (Photo by Andy Hone / LAT Images)

O chefe da equipe, Guenther Steiner, acrescentou: “Temos muitas boas lembranças juntos, em particular nossa temporada de 2018, quando terminamos em quinto lugar na classificação em apenas nossa terceira temporada. Romain e Kevin tiveram um papel significativo nesse sucesso.”

“Claro, ainda há muitas corridas restantes na temporada de 2020. Tem sido um ano desafiador, sem dúvidas, mas os dois pilotos deram tudo de si ao volante do VF-20. Valorizamos suas contribuições e experiência para continue empurrando a equipe para o Grande Prêmio de Abu Dhabi em dezembro”.

Sair da versão mobile