ColunistaFórmula 1Post

GP de Eifel – Dados e as estratégias sobre os pneus utilizados em Nürburgring

A Pirelli precisou lidar com as baixas temperaturas nesta prova disputada na Alemanha, foi um grande desafio para as equipes

O GP de Eifel ficou marcado com a conquista da 91ª vitória de Lewis Hamilton, o inglês chegou ao recorde de Michael Schumacher. Além disso vimos um Max Verstappen forte tentando de alguma forma se aproximar das Mercedes e o tão esperado pódio de Daniel Ricciardo.

As equipes não tiveram muito tempo para escolher os pneus ideias para a corrida, pois ficaram sem os dois primeiros treinos livres. Com a pista fria e a dificuldade para aquecer os pneus, grande parte dos times apostaram na utilização dos pneus macios e médios para completarem as suas provas.

A entrada do Safety Car após o abandono de Lando Norris influenciou as estratégias daqueles que apostaram em uma segunda parada, utilizando pneus mais novos para o final da corrida. A Red Bull estava trabalhando para cobrir a estratégias adotadas pela Mercedes e neste momento Hamilton e Verstappen partiram juntos para a troca de pneus.

Confira: Volta por Volta – Vitória de Hamilton com Verstappen e Ricciardo completando o pódio

Romain Grosjean foi o único que apostou em uma única parada nos boxes o piloto da Haas largou com os pneus médios e terminou a prova com os compostos duros.

Os pneus da rodada

Duros – faixa branca: foi utilizado por quatro pilotos durante a corrida, entre os dez primeiros foi possível ver Pierre Gasly que fez um stint curto com eles, além de Grosjean que apostou nestes compostos para ir até o final da corrida.

Sebastian Vettel largou com os pneus médios e permaneceu por pouco tempo com eles, lá pela volta 11 o alemão foi chamado para realizar a troca dos compostos e retornou com os pneus duros, mas após a volta 40 precisou de outro jogo de pneus. Daniil Kvyat também apostou nos pneus duros, mas teve a sua parada antecipada por conta do incidente com Kimi Raikkonen que acabou quebrando a sua asa dianteira, deixando o russo lento na pista.

Médios – faixa amarela: grande parte dos pilotos apostaram nestes pneus após a primeira parada. Charles Leclerc, Magnussen e Latifi, completaram a prova utilizando dois jogos dos médios. Por outro lado, nomes como o de Gasly, Grosjean, Vettel e Kvyat se repetem aqui, pois os pilotos largaram com estes pneus, fugindo da estratégia de utilizar os pneus macios para a largada.

Macios – faixa vermelha: foi a grande aposta de diversos pilotos e alguns conseguiram completar diversas voltas com eles, como Nico Hulkenberg que foi escalando o grid após largar da vigésima posição. Hamilton, Verstappen e Ricciardo pararam na volta 16, aproveitando o acionamento do virtual Safety Car, já Pérez e Sainz que terminaram a corrida em quarto e quinto, apostaram na parada na vigésima oitava volta.

Pirelli estratégias de Pneus para o GP de Eifel – Foto: Pirelli Motorsport

No comentário de Mario Isola, chefe da Pirelli na Fórmula 1: “Esta foi uma corrida extremamente inusitada com as temperaturas baixas e falta de atividades na sexta-feira. Todo o trabalho de preparação foi feito em uma sessão no sábado, mas embora não houvesse informações sobre desgaste dos pneus, verificou-se que houve menos granulação do que o esperado, o que levou algumas equipes a apostar em apenas uma parada. No final vimos alguma granulação leve no composto macio, mas isso não influenciou o resultado da corrida. A estratégia de corrida foi amplamente influenciada pelos dois safety cars – virtual e real – que foram perfeitamente sincronizados para os líderes e proporcionaram a todos nós um final emocionante”.

As melhores voltas completadas com cada composto

A melhor volta com cada composto em Nürburgring – Foto: Pirelli Motorsport
Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo