ColunistaFórmula 1Post

GP da Bélgica: Verstappen vence corrida fora dos padrões com Russell e Hamilton no pódio

GP da Bélgica foi cancelado com quatro voltas em Safety Car, não havia condições climáticas para dar continuidade ao evento

As condições climáticas impediram a realização do GP da Bélgica da forma convencional. Havia previsão de chuva para todo o fim de semana, antes do primeiro carro ser liberado para a pista. Durante os treinos livres as equipes tiveram que lidar com o traçado molhado, mas as coisas foram piorando à medida que o fim de semana avançava.

O domingo foi marcado por mais de três horas de espera, as condições climáticas não melhoraram, mas a direção de prova arriscou realizar algumas voltas com o Safety Car em pista. Uma hora no cronômetro, teoricamente 39 voltas para realizar, mas com apenas quatro giros completados, acabaram validando metade dos pontos e encerrando a corrida. 

Na Fórmula 1 atual é muito complicado correr com essas condições, já que eles presam muito pela segurança dos pilotos (e tem que ser assim). Além disso, o acidente de Lando Norris no sábado foi um ponto de atenção e critícas para a direção de prova, já que resolveram continuar a classificação quando a chuva tinha apertado. 

Desta forma, Max Verstappen que foi o pole-position do sábado ficou com a vitória por ter liderado as voltas atrás do Safety Car, sendo acompanhado por George Russell que se classificou na segunda posição – o primeiro pódio da Williams na temporada 2021. Enquanto Lewis Hamilton fechou a ‘corrida’ na terceira posição. 

Problemas desde o início

No sábado a Fórmula 1 teve que lidar com o adiamento do início da classificação e uma paralisação por bandeira vermelha depois da batida de Lando Norris. Neste domingo os times alinharam no grid, mas o início da corrida foi adiado e quando finalmente os pilotos foram liberados para realizar duas voltas de formação do grid, a direção de prova notou que não tinham condições para correr.

Instauraram o regime de bandeira vermelha, aguardando uma janela climática melhor para o início, mas a chuva e a visibilidade só foi piorando. Enquanto isso, o tempo de duração do evento começou a correr, deixando a realização da prova ainda mais apertada.

Quando optaram por um retorno, ainda não existia uma possibilidade real de prova, então só fizeram o cumprimento do protocolo. 

No próximo fim de semana a Fórmula 1 retorna para o GP da Holanda. 

O Não-GP da Bélgica

Lando Norris acabou batendo durante o Q3, o dano no seu carro foi grande e desta forma a equipe precisou realizar a troca da caixa de câmbio, mas não do chassi. Com a troca da peça o piloto perdeu cinco posições no grid de largada. Norris está bem, mesmo após as imagens que provocaram grande impacto. Vale dizer que outros componentes também precisaram ser trocados.

O grid de largada ficou desta forma:

Por conta da chuva a pista estava bem traiçoeira, mesmo sendo um circuito que muitos já conhecem, o asfalto molhado deixa o carro mais escorregadio, propenso para ocorrer falhas. Durante a volta de alinhamento para os boxes Sergio Pérez da Red Bull rodou e bateu depois que o carro deslizou. A parte frontal do RB16B, como asa e suspensão dianteira ficaram danificadas. 

O início da corrida teve que ser atrasado por conta da chuva que ficou mais forte. Mas os pilotos já informavam que não era possível correr assim, com 12°C na pista, seria crítico para os pneus. 

Kimi Raikkonen não alinhou na pista e ficou esperando nos boxes o possível começo da corrida, o piloto precisou realizar a troca da asa traseira.

A prova deveria ter início às 10h25 (pelo horário de Brasília), as equipes partiram para a volta de formação, mas ficou provado que não tinha condições da corrida começar pois a pista estava muito molhada e os carros escorregavam muito, já que os pneus não conseguiam atingir a temperatura ideal.  

Max Verstappen completou as duas voltas fugindo do spray do Safety Car, para os competidores que estavam mais atrás, a visibidade era ainda pior. 

Bandeira vermelha 

Todos os carros retornaram os boxes aguardando o melhor momento para a corrida começar, uma volta foi debitada da duração da corrida. Mas as condições climáticas foram impedindo o seu início. Com o tempo de atraso conseguiram recuperar o carro de Sergio Pérez, desta forma o piloto da Red Bull foi liberado para participar do evento. 

Restando uma hora para o encerramento do evento, a direção de prova cancelou a contagem, usando o artíficil de ‘força maior’. O carro médico passou a dar algumas voltas na pista, verificando as condições para o reinício da prova. 

A direção de prova optou por dar seguimento ao evento mais de três horas depois do horário original, desta forma a corrida começou às 13h17 (pelo horário de Brasília), depois de uma longa espera, pois, a corrida deveria ter começado às 10.

Um cáos, várias perguntas e poucas repostas. Poderiam ter cancelado antes, mas tentaram a realização do evento de todas as formas. A prova também não pode ser adiada para a segunda-feira, pois nesta semana eles já vão enfrentar o GP da Holanda e estão diante de uma rodada tripla. 

Os carros foram deixando o pit-lane acompanhados do carro de segurança. As equipes tinham 39 voltas, ou uma hora de corrida. Raikkonen estava nos boxes e deixou o pit-lane acompanhado por Sergio Pérez.
Os dez primeiros eram: Verstappen, Russell, Hamilton, Ricciardo, Vettel, Gasly, Ocon, Leclerc, Latifi e Sainz. Todos os pilotos estavam com os pneus para chuva extrema instalados.

As voltas estavam passando dos 3 minutos. No terceiro giro, Nikita Mazepin tinha 3m18s016, a melhor volta da prova.

Depois de quatro giros o regime de bandeira vermelha foi estabelecido, por conta da pouca visibilidade para dar continuidade. A metade dos pontos já era válida, pois conseguiram completar estes giros para prova. A pontuação completa só pode ser dada com 75% da corrida completado. 

A direção de prova deu a prova como encerrada, desta forma os carros não retornaram para os boxes. Max Verstappen conquistou a 16ª vitória da carreira, enquanto George Russell obteve o seu primeiro pódio, acompanhado por Lewis Hamilton.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados