ColunistaDestaquesFórmula EPost

Fórmula E apresenta o GEN 2 Evo um novo passo da categoria frente a antigos desafios

A Fórmula E inovou a bater de frente com as tradicionais categorias apostando em uma modalidade de carros elétricos e eficientes.

Não muito distante do seu primeiro protótipo na linha temporal no automobilismo, hoje terça-feira dia 04 de fevereiro do 2020 a categoria apresenta o GEN 2 Evo, uma sensível evolução de uma versão arrojada do GEN 2.

O carro será utilizado já este ano, porém na temporada 2020-2021, os fãs vão ter que aguardar ansiosos pelo desfilo do novo carro, que visa dar uma sensação real de aumento de velocidade em um novo carro, , disse Alejandro Agag, CEO da Fórmula E:

O Gen 2 já se destaca como um dos carros de corrida mais impressionantes a entrar em pista e, assim como o nome indica, o Gen 2 Evo é uma evolução do design

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mantendo as linhas do corpo do carro com linhas sensuais e bem delineadas para um carro de corrida que visa uma performance real em ambientes reais, o carro abre mão de uma asa dianteira que integrava uma cobertura para rodas, sendo levemente substituída por uma extensão da asa até a altura das rodas dianteira e as asas traseiras ficaram mais fluídas e com leveza em sua envergadura ao centro do carro.

Como fizemos com o carro de primeira geração, o Gen 2 Evo recebeu uma carroceria com perfil repaginado para se tornar mais elegante e ágil

Completou Alejandro Agag, outro destaque fica a cargo da barbatana de tubarão que ficou presente nos carros de Fórmula 1 e hoje presente em algumas categorias de base.

“Gostaria de agradecer ao presidente da FIA Jean Todt e à sua equipe por tornar esta evolução possível . O design futurista mostra mais uma vez a Fórmula E como a categoria de inovação em avanços tecnológicos e aparência. “

Agora o desafio foi lançado, a categoria que busca atrair novos fãs e a manutenção dos atuais indica que esta no caminho certo, evoluindo dentro de tempos curtos o carro, as regras e as formas de interpretar os traçados que antes davam certos e que no futuro serão obsoletos.

 

Mostrar mais

Rubens Gomes Passos Netto

Editor-chefe do BP, host do BPCast e colunista.

Artigos relacionados