ColunistaFórmula 1Post

F1: Congelamento de motores é aprovado pelas equipes e fonecedoras do grid

O congelamento começa a valer a partir de 2022. Categoria já está pensando nas novas unidades de potência e define estratégia sustentável para 2025

Nesta quinta-feira (11) após a realização da reunião da Comissão da Fórmula 1 – FIA e Fórmula 1 – ficou decidido de forma unânime a aprovação do congelamento dos motores a partir de 2022.

As dez equipes do grid e as fornecedoras de motores se reunião por vídeo chamada para discutir a questão, está decisão era a mais esperada. No atual grid, a Red Bull era o time que mais tinha interesse no congelamento, principalmente porque ela deseja assumir o programa de desenvolvimento da Honda, podendo se tornar futuramente uma fornecedora de unidades de potência.

A Red Bull já sabia que o atual cenário não teria como seguir desenvolvendo o motor nos próximos anos. O time não queria retornar para os motores da Renault e esperava está decisão para também poder optar pelo motor Honda de forma mais consciente. A fornecedora japonesa informou em 2020 que vai deixar a Fórmula 1 em 2021.

Inicialmente algumas equipes não pareciam favoráveis com a decisão, mas as conversas avançaram e conseguiram a aprovação de forma unânime. Durante a conversa a decisão ficou marcada como “um desenvolvimento significativo para o esporte” que reflete “espírito de unidade e colaboração”. 

“A definição dos objetivos para a próxima geração de carros de F1 e Unidade de Potência é de extrema importância para a FIA e a Fórmula 1, e junto com as equipes e fabricantes de motores, há um forte alinhamento nas metas gerais – particularmente a necessidade de redução custo e alcançar a neutralidade de carbono”, a FIA informou em comunicado.

LEIA MAIS: A saída da Honda e as questões que ela provoca neste momento

A medida também busca a redução de custos, a Fórmula 1 já adotou o teto orçamentário e segue fazendo adaptações já que os times precisam economizar.

Além disso a categoria aponta alguns pontos para a unidade de potência de 2025:

  • Sustentabilidade ambiental e relevância social e automotiva
  • Combustível totalmente sustentável
  • Criando uma Unidade de Potência poderosa
  • Redução de custo significativa
  • Ser atrativa para novos fabricantes de unidades de potência

Na quarta-feira a F1 já havia comunicado sobre os novos pontos do #WeRaceAsOne, onde a categoria volta a reafirmar o seu compromisso com a sustentabilidade.

LEIA MAIS: FIA manifesta intenção de realizar GP de Portugal em 2021

+ Sem arco-íris, Fórmula 1 apresenta novo plano de ação para o #WeRaceAsOne

+ Honda anuncia saída da Fórmula 1

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados