Em procissão holandesa, Max Verstappen vence para comemoração da sua torcida

Verstappen venceu a corrida, acompanhado por Hamilton e Bottas, um pódio normal, para o retorno do GP da Holanda

O GP da Holanda não foi uma prova animada, a dificuldade de ultrapassar no circuito é nítida. Ainda que os pilotos gostem muito pelas características do circuito, um traçado composto por curvas inclinadas e uma pista rápida, para o público a prova não foi agitada. Talvez a parte mais emocionante tenha sido a largada, pois aquela aflição de um possível toque pairava.

Max Verstappen conquistou a décima sétima vitória da carreira, mas agora diante da sua torcida. Não foi um domínio absoluto, mas em alguns momentos da prova, o holandês conseguiu estabelecer mais de 4 segundos de vantagem para o seu rival. Com a vitória obtida hoje, Verstappen retorna para a liderança do campeonato.

Lewis Hamilton tentou obter a vitória, a Mercedes até trabalhou com alguma estratégia que ajudasse o inglês, mas os esforços não deram resultado. No entanto, ele ficou com a segunda posição, mas também com a volta mais rápida da corrida, depois de anotar 1m11s097. Valtteri Bottas completou o pódio, ficando com a terceira posição.

Destaque para Pierre Gasly que realizou uma corrida tranquila, mas sólida, conseguindo manter a quarta posição. Charles Leclerc ficou com o quinto lugar, enquanto na disputa entre espanhóis Fernando Alonso conseguiu concluir a ultrapassagem em Carlos Sainz na última volta para ficar com a sexta posição.

Sergio Pérez que largou dos boxes, realizou uma prova de recuperação que no início não parecia que daria muito certo, mas conquistou a oitava posição, acompanhado por Esteban Ocon que perdeu um pouco de espaço na corrida, enquanto Lando Norris obteve um ponto para a McLaren.

Por conta de um furo no pneu, Antonio Giovinazzi terminou fora da zona de pontuação, ficando com o décimo quarto lugar.

A Fórmula 1 retorna na próxima semana, para a disputa do GP da Itália.

Saiba como foi o GP da Holanda

Antes da corrida ter início, a Red Bull aproveitou a classificação ruim executada por Sergio Pérez para realizar a troca dos componentes do motor do mexicano.

Veja como ficou o grid de largada depois que Nicholas Latifi e Sergio Pérez tiveram que largar do pit-lane.

Os dez primeiros largaram com os pneus macios, no grid completo apenas Russell, Norris, Kubica, Mazepin e Latifi começaram a prova com os macios, enquanto Pérez estava com os compostos duros.

Max manteve a dianteira, acompanhado por Hamilton e Bottas que pressionava o companheiro de equipe. Giovinazzi manteve por um tempo a sétima posição, mas depois foi ultrapassado por Alonso e Ocon, enquanto Ricciardo aproveitou o momento e colocou o carro de lado para assumir a nona posição. Giovinazzi terminou a primeira volta na décima posição na onbord era possível ver o italiano tocando na traseira de Alonso.

Com duas voltas, Verstappen já tinha 1s8 de vantagem para Lewis Hamilton, enquanto Valtteri Bottas estava separado por 1s5 de Hamilton. Russell que era o décimo primeiro começou a reclamar do motor, falando sobre o cheiro de óleo e problema no motor.

O DRS foi ativado na quinta volta, neste momento foi possível ver Ocon atacando Alonso, tentando usar um traçado diferente daquele utilizado pelo seu companheiro de equipe.

Durante a sexta volta, Mick Schumacher foi chamado para os boxes, instalando os pneus duros, mas retornou na vigésima posição separado por mais de 40 segundos de Latifi.

Pérez tentava se aproximar de Mazepin para obter a décima sétima posição, no entanto, o mexicano que largou com os pneus duros já estava com o composto dianteiro direito danificado. Pérez realizou uma parada durante o nono giro, retornando com os compostos médios na décima nona posição.

Durante a décima volta, os dez primeiros eram: Verstappen, Hamilton, Bottas, Gasly, Leclerc, Sainz, Alonso, Ocon, Ricciardo e Giovinazzi.

Sebastian Vettel que era o décimo quinto colocado, abriu as paradas nos boxes, o alemão instalou os pneus duros. Por conta do circuito curto e estreito, ultrapassagens não ocorriam mesmo com a proximidade entre os competidores, portanto, as equipes precisavam trabalhar com a estratégia de pneus.

A prova seguia, o máximo que vimos foi uma ultrapassagem de Latifi em Mazepin obtendo o décimo sexto lugar.

Na volta 15 Verstappen permanecia na liderança com 3s3 de vantagem para Hamilton. Tanto a Red Bull quanto a Mercedes passaram a virar na casa de 1m15s, enquanto Gasly e a dupla da Ferrari estava virando em 1m16s, já os pilotos da Alpine estavam em 1m17s.

Pérez só conseguiu realizar a ultrapassagem em Mazepin na volta 16, o próximo adversário para o mexicano era Latifi da Williams.

Foi apenas na vigésima volta que Pérez conseguiu concluir a ultrapassagem em Latifi, pouco depois ele também ganhou a posição de Kubica. Hamilton conversava com o engenheiro sobre o ritmo de Verstappen na corrida e o desgaste dos seus pneus. O inglês realizou a sua parada na vigésima primeira volta, mas teve um problema na troca do pneu dianteiro direito.

Verstappen realizou a sua parada no giro seguinte, respondendo a estratégia do piloto da Mercedes. O holandês retornou na segunda posição, atrás de Valtteri Bottas que era o líder momentâneo da prova.

Foi na volta 25 que Pierre Gasly abandonou os pneus macios, para usar os pneus médios, retornando na sétima posição.

Na volta 29, Giovinazzi, Russell e Stroll realizaram as suas paradas juntos, apenas o italiano retornou com os pneus médios, enquanto os rivais apostavam nos compostos duros.

Verstappen se aproximou de Bottas na trigésima volta, separados por menos de um segundo. Hamilton também tinha abaixado para menos de um segundo, mas o finlandês acabou atrapalhando o seu companheiro de equipe, pois Verstappen realizou a ultrapassagem ao final da reta.

Bottas que não conseguiu segurar Verstappen foi chamado para os boxes na volta 32, mantendo a terceira posição quando retornou para a pista. A troca de pneus de Sainz ocorreu no mesmo giro, assim como Ocon e Tsunoda, enquanto Schumacher parou pela segunda vez.

Na volta 35 Russell foi penalizado com cinco segundos, por ter passado no pit-lane com velocidade mais alta. Fernando Alonso também

Durante a volta 36, a Alfa Romeo realizou a segunda parada com Giovinazzi, instalando os pneus duros, mas retornando na décima oitava posição, perdendo contato com a disputa entre Russell e Stroll. A Alfa Romeo informou um furo no pneu, desta forma foram obrigados a realizar uma segunda parada. 

Foi na volta 38 Sebastian Vettel rodou e pouco depois Valtteri Bottas quase bateu no piloto alemão. O sétimo já tinha tomado uma volta do líder.

Na volta 40, Hamilton realizou a sua segunda parada, retornando na segunda posição, mas no meio do trânsito. Os dez primeiros eram: Verstappen, Hamilton, Bottas, Gasly, Leclerc, Sainz, Norris, Pérez, Alonso e Ocon. E mais uma vez Verstappen respondeu a parada de Hamilton no giro seguinte.

Daniel Ricciardo inverteu a posição com Lando Norris, deixando o companheiro da McLaren passar. Na volta 44 o britânico entrou na zona de pontuação.

Esteban Ocon que era o nono colocado começou a informar durante a volta 47 que tinha uma sacola presa no duto de freios. Era possível ver muita sujeira na pista, algo que se intensificava com a aproximação da finalização da corrida.

Pérez que seguia escalando o grid, realizou outra parada na volta 49, agora usando os pneus macios e ocupava a décima primeira posição, depois de figurar em sétimo lugar.

Yuki Tsunoda abandonou a corrida na volta 50, depois de apresentar falta de potência no motor.

Na volta 55, os dez primeiros eram: Verstappen, Hamilton, Bottas, Gasly, Leclerc, Sainz, Alonso, Ocon, Norris e Pérez. Os líderes estavam mais uma vez pegando os retardatários da pista. Enquanto Pérez concluiu a ultrapassagem em Ricciardo, chegando na zona de pontuação.

Depois da distância, cair entre Verstappen e Hamilton, na volta 63 ela passou dos 4 segundos.

Se aproximando do encerramento da corrida, durante a volta 65, Alonso batalhava com Sainz tentando obter a sexta posição, enquanto Pérez atacava Norris pelo nono lugar. Duas voltas depois, Pérez assumiu a nona posição, concluindo mais uma ultrapassagem em um dos carros da McLaren, depois que os dois se tocaram.

Bottas realizou mais uma parada, instalando os pneus macios, mas o piloto ainda não poderia fazer a volta mais rápida. Na volta 70, o finlandês anotou 1m12s549, mas no giro seguinte Hamilton trocou mais uma vez os pneus, instalando os compostos macios para roubar a volta mais rápida do companheiro de equipe.

Russell também parou e instalou os pneus macios. Alonso concluiu a ultrapassagem em Sainz, assumindo sexta posição. O piloto da Williams abandonou a corrida.

Verstappen venceu a prova diante da sua torcida, enquanto Hamilton ficou com a volta mais rápida, registrando 1m11s097.

Sair da versão mobile