ColunistaIMSAPost

Em decisão emocionante, Felipe Nasr e Pipo Derani são campeões da IMSA com segundo lugar em Road Atlanta

Em corrida vencida pelo Mazda 55, a disputa pelo campeonato foi decidida na última volta em disputa frenética do Cadillac da Action Express e o Acura da Wayne Taylor

Pilotos brasileiros celebraram a conquista após um desfecho dramático (Richard Dole/IMSA)

O caminho para o campeonato foi simples: o melhor colocado entre os dois competidores nas 10 Horas de Road Atlanta, também conhecida como Petit Le Mans, seria o campeão. A definição, é claro, não foi nada simples.

Felipe Nasr aguentou Ricky Taylor, que tentava ultrapassá-lo na última volta no sábado à noite. O piloto da Wayne Tayler Racing escapou e foi na brita, voltando à pista à sua frente, para reclamar o título IMSA WeatherTech SportsCar Championship Daytona Prototype International (DPi), por terminar em segundo na Petit Le Mans.

Nasr estava perseguindo o eventual vencedor da corrida Harry Tincknell, mas liderando a batalha do campeonato quando Taylor tentou passar Nasr indo para a Curva 10 na volta final. Os dois carros entraram em contato e o Acura número 10 saiu do curso e voltou à pista.

Mas o Cadillac número 31 da Action Express de Nasr ultrapassou Taylor na curva 11 e se manteve em segundo lugar na corrida – e no campeonato – até a curva final da corrida final de 2021 para prevalecer por 0,405 segundos.

“Eu sabia que ele tentaria fazer uma jogada de última hora, mas isso foi um pouco selvagem”, disse Nasr. “Todo o caminho até a brita e depois cruzando a pista. Se houvesse grama ali, ele poderia simplesmente ter continuado. Ele teve que passar pelo cascalho, e então eu tive que guiar para retomar a posição.

“Há muitos ses: Se eu estava atrasado e tinha que fazer algo, com certeza você tinha que tentar. Talvez tenha sido um pouco demais, mas eu entendo. Ele também é um piloto. Ele tem que tentar algo. “, continuou o piloto brasileiro.

Na despedida da Mazda da classe principal da IMSA, a trinca do carro 55 conquistou uma vitória marcante (Jake Galstad/IMSA)

Enquanto Nasr saía como campeão, Tincknell, Oliver Jarvis e Jonathan Bomarito ajudavam a Mazda a vencer a Petit Le Mans na corrida final da marca na classe DPi. Tincknell correu com o No. 55 Mazda Motorsports Mazda RT24-P passando Nasr para a liderança na Curva 7 com 22 minutos restantes na corrida de 10 horas e manteve-se até o final.

“Para ser honesto, durante toda a corrida tive a sensação de que a oportunidade se abriria na (Curva) 6 para 7,” disse Tincknell. “Não é realmente um lugar de passagem normal, mas eu também sabia que, na parte de trás da cabeça (de Nasr), ele também tinha um campeonato em que pensar.”

A corrida pelo campeonato de Nasr veio em sua última corrida com a Action Express Racing, que anunciou no mês passado que Tristan Nunez o substituirá no carro 31 na próxima temporada. O co-campeão de Nasr, o também brasileiro Pipo Derani, falou sobre a emoção por trás do campeonato.

“Para mim, pessoalmente, foi muito emocionante olhar para trás e lentamente começar a perceber que sou um campeão”, disse Derani. “Aprendi com os erros que cometi e cresci muito como pessoa no ano passado. Terminar este capítulo com o Felipe foi ótimo. ”

Taylor, Filipe Albuquerque e Alexander Rossi tiveram a mesma missão que os seus rivais – manter o Acura número 10 à frente de Nasr, Derani e Mike Conway no Cadillac número 31 Essa missão esteve ao alcance de quase todas as 410 voltas da corrida.

“O campeonato literalmente desceu até a última curva”, disse Taylor. “Eu só tenho que dizer que dei tudo que eu tinha. Haverá muitos pesadelos antes de Daytona (a abertura da temporada de 2022), apenas pensando no que eu poderia ter feito diferente. ”

Enquanto Nasr e Derani dividiam o campeonato de pilotos, a Action Express conquistou o campeonato da equipe DPi – o quinto desde 2014 – e Cadillac conquistou o título de fabricante DPi.

Mas às vezes, a volta final de Nasr era difícil para seus companheiros assistirem.

“Isso nos manteve na ponta dos assentos até o fim”, disse Conway. “Foi difícil assistir. Tive que me afastar algumas vezes da TV para recuperar o fôlego. É assim que é esse campeonato. A série IMSA é realmente difícil. Isso sempre vai para o fio. ”

Em um ponto da corrida, o Mazda estava três voltas atrás com vários problemas mecânicos, mas o trio de pilotos recuperou a distância em questão de duas horas e assumiu a liderança. A despedida vitoriosa foi um alegre desfecho para os quatro anos da marca japonesa na classe superior da IMSA.

“No início do programa, estávamos usando os extintores de incêndio no carro ”, disse Tincknell. “Agora estamos jogando champanhe nele depois de uma das maiores corridas do mundo.”

Eles não foram os únicos a espirrar champanhe na noite fria da Geórgia. Nasr, Derani e Conway fizeram uma celebração emocionante.

“Chegou à última curva após 10 horas de corrida. Eu disse à equipe: ‘Por que tem que ser tão difícil? Que dia. Que dia!”, completou Nasr.

Adaptado de Jeff Olson/IMSA Wire Service

Mostrar mais

Eduardo Casola

Jornalista formado na Universidade de Sorocaba (Uniso) e apaixonado por esporte a motor desde quando se conhece por gente. Apenas um rapaz que gosta de uma boa corrida e de uma boa história!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados