ColunistaFórmula 1Post

Em corrida doida, Newgarden vence, mas Dixon conquista o hexa da Indy

Piloto da Penske fez a sua parte, em meio aos problemas dos ponteiros, mas o neozelandês escapou das confusões e, com o terceiro lugar, garantiu o seu sexto título na categoria

A decisão da temporada 2020 da Fórmula Indy foi marcada por muitas confusões ao longo da prova, mas os eventos da etapa de St. Petersburg foram insuficientes para mudar o panorama do campeonato. Josef Newgarden até fez a sua parte, com a vitória, mas Scott Dixon conseguiu escapar das confusões e, com o terceiro lugar, o neozelandês sagrou-se campeão da categoria pela sexta vez.

A tática do piloto da Chip Ganasssi era simples: largando em 11º, a meta era marcar Newgarden, que partia em oitavo, para evitar que o corredor da Penske se distanciasse na pista e na estratégia. A única chance do americano era que coisas estranhas ocorressem durante a prova. E elas até ocorreram

O pole, Will Power, teve um problema de câmbio no começo da prova e despencou para quarto. O australiano tentou se recuperar na primeira sequência de paradas nos boxes, mas perdeu o controle e bateu na volta 36, provocando a primeira bandeira amarela. Power saiu irritado e descontou sua ira no HANS ao sair do carro.

A corrida teve uma sequência de interrupções a seguir. Primeiro, foi com a escapada de Santino Ferrucci, que acertou os pneus na curva 2. Na relargada seguinte, o estreante da Penske, Scott McLaughlin rodou e foi atingido por Rinus Veekay, encerrando o debute do neozelandês, tricampeão da Supercars.

A corrida foi retomada na volta 50 e a Andretti dominava a disputa com os carros de Alexander Rossi, Colton Herta e James Hinchcliffe, mas o sonho da equipe começou a desmoronar na volta 70, quando Rossi bateu sozinho na curva 4.

Na relargada, cinco voltas depois, mas logo outra bandeira amarela foi acionada depois que Marco Andretti levou um toque de Takuma Sato e bateu com o pneu furado. Durante o Safety Car, Hinchcliffe rodou sozinho e, na volta à pista, atingiu Jack Harvey.

Neste momento, Newgarden era o terceiro e Dixon o quinto, com ambos cumprido suas paradas nos boxes e estavam atentos para a oportunidade de buscar o resultado que lhes interessassem. Para embaralhar as cartas, uma nuvem com uma ligeira garoa deixou a pista levemente escorregadia em alguns pontos. O suficiente para mudar o panorama da prova.

Quatro voltas depois, os rumos da corrida foram redefinidos na relargada. Newgarden partiu com tudo e tomou a ponta na primeira curva. Enquanto Herta escapava e saía da pista, caindo para o fim do pelotão, Dixon se firmava na terceira posição, apenas com Pato O’Ward entre os dois postulantes ao título.

Pouco depois, Oliver Askew, na sua despedida da equipe McLaren, bateu e provocou a última bandeira amarela. Com a sexta intervenção do Safety Car, o carro de segurança ficou sem combustível! O veículo teve que entrar nos boxes e encostou, enquanto outro bólido assumia a função.

A prova retornou na volta 84 e nos últimos giros, Newgarden abriu vantagem suficiente para garantir a vitória. No entanto, o piloto da Penske dependia de um revés com Dixon para poder ser campeão.

O neozelandês apenas comboiou O’Ward até o final, para garantir o terceiro posto, mais que o suficiente para confirmar o seu sexto título na categoria (incluindo IRL e IndyCar Series). Uma conquista merecida para quem dominou o campeonato desde o começo e foi o piloto mais regular de 2020.

Classificação da etapa de St Petersburg:
Classificação final do campeonato 2020:

1 – Scott Dixon (NZL) – Chip Ganassi/Honda – 537
2 – Josef Newgarden (EUA) – Penske/Chevrolet – 521
3 – Colton Herta (EUA) – Andretti-Harding/Honda – 421
4 – Pato O’Ward (MEX) – McLaren SP/Chevrolet – 416
5 – Will Power (AUS) – Penske/Chevrolet – 396
6 – Graham Rahal (EUA) – Rahal-Letterman-Lanigan/Honda – 377
7 – Takuma Sato (JPN) – Rahal-Letterman-Lanigan/Honda – 348
8 – Simon Pagenaud (FRA) – Penske/Chevrolet – 339
9 – Alexander Rossi (EUA) – Andretti/Honda – 317
10 – Ryan Hunter-Reay (EUA) – Andretti/Honda – 315

24 – Tony Kanaan (BRA) – AJ Foyt/Chevrolet – 106 (6 corridas)
27 – Hélio Castroneves (BRA) – Penske/Chevrolet (1 corrida) McLaren SP/Chevrolet (2) – 57

 

Mostrar mais

Eduardo Casola

Jornalista formado na Universidade de Sorocaba (Uniso) e apaixonado por esporte a motor desde quando se conhece por gente. Apenas um rapaz que gosta de uma boa corrida e de uma boa história!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo