ColunistaFórmula 1Post

Na casa da Red Bull, Max Verstappen supera Mercedes e vence com autoridade GP da Estíria

Verstappen vence mais uma vez na temporada 2021, superando Lewis Hamilton no Red Bull Ring, confirmando bom desempenho da equipe Austríaca

A procissão Austríaca. Mesmo com uma dose de ultrapassagens a corrida foi mais parada. Com algumas estratégias semelhantes em um circuito curto, os pilotos não tinham muita chance de fazer coisas muito diferentes. A chuva não apareceu, então a prova foi ‘mais normal’. Max Verstappen conquistou a 14ª vitória da carreira, depois de apresentar um ritmo superior ao da Mercedes.

Verstappen teve uma largada tranquila e depois foi administrando a distância para Hamilton. Antes da parada eles estavam separados por mais de cinco segundos. Depois da troca de pneus, a distância caiu um pouco, mas com a prova avançando ela voltou a ficar em cinco segundos e depois foi ampliada para sete segundos.

O holandês fez uma corrida bem no estilo Red Bull, pole e liderança da corrida que foi tranquila. Onde o carro teve a chance de mostrar todo o seu bom desempenho.

Neste duelo entre Mercedes e Red Bull, Valtteri Bottas conseguiu conquistar a terceira posição, ultrapassando Sergio Pérez depois da parada obrigatória ruim executada pela Red Bull – que devolveu o mexicano atrás. A Red Bull ainda tentou uma estratégia diferente, para recuperar o pódio, parando Pérez mais uma vez. Mas mesmo com a aproximação, Pérez não conseguiu realizar a ultrapassagem na última volta no Red Bull Ring.

Destaque para a corrida realizada pela dupla da Ferrari, Carlos Sainz chegou na zona de pontuação terminando a prova no sexto lugar. Charles Leclerc tinha tudo para realizar uma prova tranquila, mas por conta da quebra da asa dianteira no início da prova depois de um toque com Pierre Gasly, o monegasco fez uma prova de recuperação, no entanto, ainda conseguiu terminar na sétima posição.

Lando Norris ‘perdeu’ o pódio, mas terminou no quinto lugar. Daniel Ricciardo não conseguiu se recuperar, teve uma corrida complicada, até apareceu no top-10, mas depois do carro apresentar problemas, o piloto da McLaren perdeu espaço e terminou na décima terceira posição.

Lance Stroll representou a Aston Martin na oitava posição, acompanhado por Fernando Alonso da Alpine em nono lugar. Yuki Tsunoda foi o décimo, conquistando um ponto para a AlphaTauri depois do abandono de Pierre Gasly.

George Russell não completou a corrida, enfrentou problemas e na melhor chance de pontuar, abandonou a prova. 

A Fórmula 1 retorna na próxima semana com o GP da Áustria.

Saiba como foi o GP da Estíria

A formação do grid foi alterada com duas punições, Valtteri Bottas foi punido depois do TL2, por conta daquela escorregada que ele deu no pit-lane e foi acusado de direção perigosa. O finlandês se classificou na segunda posição, mas vai largar do quinto lugar. No entanto Yuki Tsunoda foi punido por ter atrapalhado Bottas no Q3, o japonês inicia da 11ª posição. Os dois pilotos foram punidos com a perda de três posições.

O grid ficou definido desta forma: 

Em relação a estratégia é necessário lembrar que entre os dez primeiros, Norris, Pérez, Gasly, Leclerc, Alonso e Stroll começaram com os pneus macios. Verstappen, Hamilton, Bottas e Russell começaram com os pneus médios.  E abaixo dos dez, apenas Tsunoda começou com os macios, enquanto Raikkonen estava com os pneus duros. Os outros apostaram nos compostos médios para alongar a sua permanência na pista.

O início

Max Verstappen fechou Lewis Hamilton para segurar a primeira posição. Norris conseguiu se manter na terceira posição, mas pouco depois foi ultrapassado por Pérez e essa briga se seguiu na primeira volta, com o piloto da Red Bull e McLaren alternando posições. Giovinazzi também teve uma largada ruim e caiu para a décima sétima posição, após rodar.

Charles Leclerc teve um toque no início da prova com Pierre Gasly e realizou uma parada na segunda volta por conta da asa danificada. Pierre Gasly que tinha perdido posições com o pneu danificado tocou em Antonio Giovinazzi e Nicholas Latifi. O piloto da Williams abandonou, Latifi realizou uma parada e retornou com os pneus macios.

Na terceira volta os dez primeiros eram: Verstappen, Hamilton, Norris, Pérez, Bottas, Stroll, Alonso, Russell, Ricciardo e Tsunoda. O piloto da Williams seguia entre os dez primeiros.

Na oitava volta, Ricciardo que estava entre os dez começou a perder espaço por conta do carro que estava apresentando falta de potência e caiu para a décima terceira posição, depois de ser ultrapassado por Sainz, Vettel e Raikkonen.

Max Verstappen liderava a prova com mais de 3 segundos de vantagem para Hamilton. Enquanto Hamilton já tinha mais de 8 segundos de vantagem para Norris, enquanto Sergio Pérez estava atacando constantemente o piloto da McLaren e foi ultrapassado na décima volta.

Na volta seguinte, Norris também foi ultrapassado por Valtteri Bottas e caiu para a quinta posição. A McLaren já tinha resolvido os problemas de Daniel Ricciardo, mas ele permanecia no décimo terceiro lugar.

Comentários pelo grid na décima quinta volta: Leclerc assumiu o décimo sexto lugar, depois de ultrapassar Mazepin. O monegasco realizava uma prova de recuperação. Norris estabilizou em quinto, pois tinha seis segundos de vantagem para Stroll. Russell estava à menos de um segundo separado de Alonso, mas era atacado por Yuki Tsunoda, pois eles estavam bem próximos. Assim como Sainz que também estava próximo desta disputa.

Quando os pilotos chegaram na vigésima volta, os dez primeiros eram: Verstappen, Hamilton, Pérez, Bottas, Norris, Stroll, Alonso, Russell, Tsunoda e Sainz. O piloto da Williams parou de atacar Alonso, a equipe já tinha informado que eles partiriam para o plano B. Por conta dos pneus médios Russell deveria permanecer mais tempo na pista com aqueles compostos.

No giro 24, nesta disputa entre motores Ferrari, Leclerc ultrapassou Giovinazzi. Na volta seguinte o italiano foi para os boxes e retornou com os pneus duros. O monegasco também teve a oportunidade de realizar uma ultrapassagem em Ocon. Na ponta, Verstappen tinha mais de cinco segundos de vantagem para Hamilton e o piloto da Mercedes saiu de traseira, passando pela brita.

A parada de Russell foi bem ruim, o piloto precisou da introdução do ar comprido. Ele retornou em décimo sétimo na volta 26. As paradas começaram Pérez e Tsunoda pararam na volta 27. Na volta seguinte foi a vez de Bottas realizar a sua parada e retornar à frente do piloto da Red Bull, já que a parada do piloto da Red Bull foi ruim. Alonso e Vettel também pararam.

A Mercedes optou por realizar a parada de Hamilton na volta 29, conseguindo manter a segunda posição. Stroll também fez sua troca de pneus, com isso as posições se alternavam. Russell precisou parar mais uma vez, por conta da introdução do ar comprimido.

A parada de Verstappen foi ótima e o piloto da Red Bull voltou com folga na liderança, quase cinco segundos de vantagem nesta volta 30.

Lando Norris só foi chamado no giro 32 e ele retornou em sétimo. Entre os dez Sainz (5º), Raikkonen (7º), Ricciardo (8º) e Ocon (10º) não tinham realizados as suas paradas obrigatórias ainda.

O giro 35 mostrava que a diferença entre Verstappen e Hamilton tinha caído para 4.3s.

Kimi Raikkonen parou na volta 37, assim como Esteban Ocon. O piloto da Alfa Romeo utilizou os pneus médios, enquanto o piloto da Alpine apostou nos compostos duros.

Depois de um ótimo início George Russell abandonou na volta 39, pois enfrentava problemas.  

E nas poucas disputas que ainda ocorriam na pista, era possível ver Leclerc ultrapassando Raikkonen na volta 43. Sainz realizou a sua troca de pneus e ficou com a sétima posição, enquanto Ricciardo caiu para o décimo quinto lugar.

Portanto, na volta 44 os dez primeiros eram: Verstappen, Hamilton, Bottas, Pérez, Norris, Stroll, Sainz, Alonso, Tsunoda e Vettel. Sainz foi atacando Stroll e ganhou a sexta posição depois de ultrapassar o piloto da Aston Martin.

E na volta 46, mais uma vez Leclerc ultrapassou Antonio Giovinazzi, para ficar com a décima primeira posição. Verstappen já tinha mais de seis segundos de vantagem para Hamilton. Enquanto Pérez tinha reduzido a distância para Bottas, por conta da administração dos compostos realizadas pelo finlandês.

Charles Leclerc chegou na zona de pontuação quando ultrapassou Sebastian Vettel no giro 50.

Passados cinco giros, Pérez realizou a sua segunda parada, conseguindo retornar tranquilamente na quarta posição, pois Lando Norris não apresentava uma ameaça. O piloto da Red Bull retornou com os pneus médios.

Leclerc se tornou o oitavo colocado, depois de ultrapassar Tsunoda e Alonso. Na liderança Verstappen tinha mais de oito segundos de vantagem para Hamilton, enquanto o inglês tinha 25 segundos de vantagem para Bottas. Pérez registrou a volta mais rápida com 1m08s049 na volta 58.

Na volta 61, Charles Leclerc já era o sétimo colocado, pois conseguiu realizar uma boa corrida de recuperação. Desta forma os dois carros da Ferrari estavam na zona de pontuação.

Se aproximando da finalização da corrida, na volta 68 Pérez tinha seis segundos de diferença para Bottas, mas a distância entre eles seguia em queda. Ainda vale dizer que neste momento, do quinto ao décimo quinto colocado, todos tinham tomado uma volta do líder. Schumacher levou duas, enquanto Latifi e Mazepin tinham tomado três. Raikkonen assumiu a décima primeira posição, ultrapassando Vettel.

Lewis Hamilton parou na volta 70, instalou os pneus macios e partiu para buscar a volta mais rápida da corrida.

Max Verstappen venceu o GP da Estíria, acompanhado por Lewis Hamilton e Valtteri Bottas. O inglês anotou 1m07s058, ficando com a melhor volta da prova. Pérez não conseguiu realizar a ultrapassagem no finlandês.

 

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados