ColunistaFórmula 1Post

Duas vezes na Grã-Bretanha, festa na casa de Lewis Hamilton

Preview para o Grande Prêmio da Inglaterra

Neste ano a Fórmula 1 vai realizar duas etapas na Inglaterra, a primeira corresponde ao tradicional GP da Grã-Bretanha, enquanto a segunda prova será a corrida de 70 anos, justamente o local que recebeu a primeira vez a categoria na Grã-Bretanha.

História do Circuito

O Grande Prêmio da Grã-Bretanha é mais conhecido aqui no Brasil como Grande Prêmio da Inglaterra.

A primeira corrida de Fórmula 1 foi disputada em 1950, sendo a prova de abertura do campeonato naquele ano e realizada no circuito de Silverstone, mas a primeira corrida no país foi disputada em 1926 na pista de Brooklands, no entanto ela foi drasticamente danificada no início da Segunda Guerra Mundial e abandonada.

A maioria dos novos circuitos britânicos foram construídos dentro dos aeroportos da Royal Air Force que ficaram em desuso depois da guerra. E com Silverstone não foi diferente.

Em 1955 os Grandes Prêmios da Grã-Bretanha começaram a ser alternados com o circuito de Aintree.

Em 1963 a pista de Brands Hatch que havia sido construída em 1950 e ampliada em 1960 passou a receber a Fórmula 1.

Jim Clark que era piloto da Lotus-Climax na época venceu nos três circuitos diferentes que a Inglaterra teve para as suas disputas, com quatro vitórias consecutivas no país.

Silverstone era uma das pistas favoritas dos pilotos, já que oferecia um grande desafio com as curvas Copse, Stowe e Club mas em 1991 passou por uma reforma e teve seu traçado alterado.

Na pista que prevaleceu entre os anos de 1975 e 1985, Keke Rosberg que foi campeão em 1982 era o piloto com a volta mais rápida no circuito 1:05:591 e a velocidade obtida era de 258 km/h.

Pneus

Por conta das duas corridas realizadas no circuito, a Pirelli optou por diferentes configurações de pneus.

Neste primeiro fim de semana a fornecera italiana irá utilizar os compostos mais duros da gama:

C1 (faixa branca – duro) – C2 (faixa amarela – médio) – C3 (faixa vermelha – macio)

Para a corrida dos 70 anos os pilotos vão utilizar em seus carros o C2 (duro), C3 (médio) e C4 (macio). A mudança é para gerar imprevisibilidade de uma prova para a outra.

Durante o segundo treino livre na sessão dos 70º aniversários, as equipes vão ter a chance de testar os protótipos de 13 polegadas, validando o seu desenvolvimento para a temporada de 2021, quando eles vão ser implementados pela categoria.

A pista de Silverstone é muito abrasiva, criando facilmente bolhas nos pneus. Os pilotos estão em constante aceleração, mesmo com as 18 curvas que a prova oferece, apenas uma é feita abaixo dos 100 km/h. A pista também apresenta uma dificuldade em relação aos acertos aerodinâmicos, o downforce é de suma importância em suas curvas longas e rápidas. 

A pista foi recapeada duas vezes nos últimos dois anos e agora segue em fase de maturação.

Para relembrar a corrida do ano passado escute o nosso podcast! 

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados