ColunistaFórmula 1Post

A estratégia da Mercedes que custou a vitória da Red Bull no GP da Espanha

A Mercedes está derrotando a Red Bull nos detalhes e ampliando a vantagem no campeonato de pilotos e construtores

A quarta rodada da temporada 2021 foi completada neste fim de semana, Lewis Hamilton ampliou a diferença para Max Verstappen e agora os pilotos estão separados por 14 pontos. Barcelona é uma pista que tem muito a dizer, principalmente quando comparada as três primeiras etapas do ano – os times também estavam ansiosos para terem algumas respostas, é como se a Espanha fosse o marco zero do campeonato de Fórmula 1.

Mercedes e Red Bull

141 pontos vs 112 pontos

A Mercedes começou a temporada com problemas, no Bahrein o carro apresentava um déficit importante, colocando o time alemão como uma dúvida, mas eles também são a equipe com mais recursos do grid – além disso tem uma base sólida, pois contam com sete títulos. Durante as primeiras corridas do ano foram trabalhando com atualizações para chegar a este ponto do campeonato com muita força, e com uma margem de segurança, já que são os líderes dos construtores com incríveis 141 pontos.

Uma coisa muito importante na forma como a Mercedes se apresenta, mas ainda mais, como Lewis Hamilton se comporta na pista – é justamente a forma como o inglês e sua equipe conseguem entrar na mente do adversário, enquanto eles tinham problemas, ainda assim resistiram, registraram poles, conquistaram pontos com as voltas rápidas, além de três vitórias até aqui. Na ânsia de reagir, o conjunto Red Bull vem pecando.

A batalha na classificação e a conquista de Lewis Hamilton pela 100ª pole é um marco bem significativo neste campeonato. A pequena diferença entre o inglês e o holandês na pole foi de apenas 0s036, mas não é só disso que estamos falando… O holandês está disputando com um piloto que tem muita bagagem e está se utilizando dela para aproveitar os ‘’pequenos’’ deslizes da Red Bull e seguir guiando na frente.

100 poles, quase o mesmo número de vitórias, tornam o adversário mais duro na queda. Hamilton ainda comete falhas, mas sob pressão trabalha muito melhor que Verstappen.

O resultado da estratégia da Red Bull

Mercedes e Red Bull se enfrentam na Espanha – FOto: Mercedes/Daimler

Durante os treinos livres a Mercedes foi mostrando mais segurança e apresentando um bom desempenho com os pneus médios – algo que se mostrou decisivo para a parte final da corrida.

A Red Bull por um lado estava mostrando confiança, realizando testes e buscando o melhor acerto para a prova, contudo falharam mais uma vez em estratégia. Max conseguiu ultrapassar Hamilton na largada, fez uma boa prova liderando a corrida, foi administrando a diferença entre eles na pista, principalmente após a primeira parada, que foi bem lenta e abriu margem para Hamilton recuperar a posição – mas Verstappen parou na volta 24, enquanto Hamilton só foi chamado para os boxes no volta 28.

A parte ruim é que a Red Bull ficou sem saída após a segunda parada, não responderam o pit-stop de Hamilton, pois Max não tinha um segundo jogo de pneus médios, o piloto teria que ir partir para os macios, compostos que acabam se degradando mais facilmente em Barcelona, já optar pelos pneus duros não era a solução adequada, os compostos não têm muita aderência no circuito.

Como dizem: ‘ele ficou entre a cruz e a espada’ – mas a reposta para Verstappen, levava o piloto ao mesmo resultado, ficar sem pneus nas últimas voltas, a mercê do desempenho do seu rival.

LEIA MAIS: Com grande pilotagem e estratégia, Lewis Hamilton vence GP da Espanha

A Red Bull optou por deixar o holandês na pista e arriscar as últimas voltas – já que realizar um segundo pit-stop e retornar com os pneus macios em uma parada para responder o pit-stop de Hamilton, colocaria ele atrás de Bottas, o piloto também teria que desgastar os compostos quando se aproximasse do finlandês, no fim das contas, os dois carros da Mercedes trabalharam como seu rival.

Hamilton teve mais pneu, realizou a ultrapassagem em Verstappen com muita facilidade na volta 60, reassumiu a liderança e conquistou a vitória de número 98. De quebra, ainda teve a oportunidade de analisar de camarote a corrida de Verstappen e apreender mais sobre o seu adversário – como seu estilo de pilotagem – informações valiosas que ele poderá contar. Além disso, o inglês ainda mencionou que aprendeu mais sobre gerenciamento de pneus.

Hamilton falou após a corrida, já sabemos que a Espanha é uma prova de duas paradas, não teriam como fugir delas. Ele basicamente só realizou a sua corrida e obteve mais uma vitória, contando com a sua pilotagem e a estratégia nos boxes. Vocês se lembram do Bahrein né?

Foi um erro a Red Bull não ter pneus médios para operar uma estratégia parecida com a da Mercedes, já que no ano passado os dois times trabalham com dois sets de pneus médios. Assumiram um erro, quando deixaram o piloto da Red Bull sem um conjunto extra de pneus médios usados ou novos para o GP.

A Red Bull precisa analisar todo o conjunto, pois é exatamente a soma de vários fatores que fazem a distância no campeonato seguir ampliando.

A briga pelo título não acabou, certamente ela ainda está em aberto e ainda tem muita coisa para acontecer – uma vitória ou até mesmo um segundo lugar sem a presença de Hamilton no pódio, já facilitaria o trabalho de Verstappen.

O que a Espanha tem a dizer sobre tudo isso? Bom, a Mercedes tem um carro forte, pegará outros circuitos onde será possível trabalhar o seu desempenho e se sobressair. Enquanto isso o circuito espanhol reforçou outra questão que o time austríaco precisa resolver, eles tem até Mônaco para encontrar as respostas para este meio de campeonato.

Valtteri Bottas

O finlandês recuperou a terceira posição no campeonato de pilotos, terminou a corrida na terceira posição, mesmo sofrendo um pouco de pressão de Charles Leclerc no início da prova. Bottas está mais distante da briga pelo título, já que conta com 47 pontos, contra 94 de Hamilton e 80 de Verstappen. Mas certamente o mais importante é o piloto ajudar a Mercedes na conquista de pontos que valem para o campeonato de construtores e tentar atrapalhar Verstappen nesta briga direta com Hamilton.

Nesta prova também vimos Hamilton retornar atrás do seu companheiro de equipe na segunda parada realizada, mesmo com vários pedidos dos boxes alertando que o finlandês deveria dar a passagem para Hamilton que estava brigando pela vitória, Bottas acabou resistindo as investidas do companheiro de equipe. Ocupar o segundo assento da Mercedes e da Red Bull é bem difícil, a cada GP fica mais claro. 

Sergio Pérez

O mexicano ainda está se adaptando ao time, transita entre boas classificações e resultados ruins, a equipe ainda não pode contar com ele em alguns momentos, mas na Espanha ele se recuperou, para cruzar a linha de chegada na quinta posição, após largar de P8. Infelizmente o piloto disputou a classificação passando mal, mas no domingo se sentia melhor para disputar a corrida. 

Pérez ressalta que o carro da Red Bull tem muita velocidade, mas também é uma boa máquina para a corrida, mas ele ainda está apreendendo a como lidar com todo este equipamento, não pode ajudar a equipe nas estratégias pois não estava perto do seu compheiro de equipe e das Mercedes. Mas no momento que Max fez a sua primeira troca e retornou atrás de Pérez, o piloto não resistiu e deu passagem para o companheiro de equipe. 

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados